A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
AVALIAÇÃO DISCURSIVA Língua Portuguesa e as Novas Tecnologias da Informação e da Comunicação

Pré-visualização | Página 1 de 1

Nota
	3,5 de um máximo de 3,5(100%)
Parte superior do formulário
Questão 1
Completo
Remover rótulo
Texto da questão
Questão A
O texto abaixo servirá de apoio para que você realize a questão discursiva.
[...] O uso da gíria pela juventude e pelos meios de comunicação sempre gerou polêmica. Serra e Gurgel diz que 90% dos jovens adotam a gíria e desprezam a estruturação de sujeito, verbo e complemento. “Suas frases são vagas, carregadas de som que nada significam”.
O gramático Celso Luft afirma que a gíria é própria da juventude e da linguagem coloquial, informal. Descontraída, debochada ou crítica, a gíria tem contribuído para dar um colorido próprio à linguagem. Sem ela, sem o recurso do regionalismo e das variantes linguísticas, acredita Luft, a linguagem corre o risco de empobrecer pela padronização, ficando sem vida. “Por trás do preconceito contra a gíria há sempre um conflito entre conservadores e juventude, grupo social contra grupo social. Se a linguagem da juventude se restringir só à gíria, então haverá perigo”.
     (BRAGANÇA, Maria Alice. Revista ZH)
Acadêmico
O texto “Gíria: o lado jovem e transitório da linguagem” é um texto de opinião, em que são evidenciadas opiniões favoráveis e desfavoráveis à utilização da gíria.  Por um lado, têm-se os argumentos de João Bosco Serra e Gurgel – autor da obra “Dicionário de gíria: modismo linguístico e equipamento falado do brasileiro”, afirmando que a linguagem dos jovens, pelo uso de gírias, está se tornando vaga e carregada de sons sem significado. Em oposição a ele, o linguista Celso Luft, defende as variantes linguísticas e a gíria, afirmando que elas “dão colorido à linguagem”.
E você, qual seu posicionamento a respeito das gírias e das variantes linguísticas?  Produza um texto reflexivo entre 15 e 20 linhas a respeito da “reinvenção da língua portuguesa” e apresente argumentos que sustentem sua opinião.
Questão B
A escrita está muito valorizada na atualidade, já que as práticas sociais modernas são mediadas por textos escritos. Moodle e outros ambientes virtuais de aprendizagem permitem um processo de comunicação, no qual interagimos por meio da escrita. Com isso, dependemos dela para atuar no mundo da EaD, por exemplo. Mesmo de posse dessas informações, um estudante de graduação acredita que as regras e os conceitos de Língua Portuguesa são desnecessários para a produção de textos em sua área. 
Não podemos descartar regras e conceitos de Língua Portuguesa na nossa vida e na área de atuação profissional. 
Dica:
Procure responder de que forma a escrita é importante para seu sucesso acadêmico, profissional e para a integração das pessoas com o mundo. Procure situações que você percebe a sua volta, onde a boa escrita se mostrou necessária, e cite como exemplos para fundamentar sua resposta.
Os capítulos 2 e 3 do livro Leitura e Escrita na Era Digital, de Cleide J. M. Pareja, disponível na disciplina, podem auxiliar na sua resposta.
A partir destes conteúdos, produza um texto dissertativo argumentativo, entre 10 e 15 linhas (entre 800 e 1200 caracteres), respondendo as questões:
1) De que forma a escrita pode contribuir para seu sucesso acadêmico e profissional? Justifique sua resposta.
2) De que forma a escrita integra pessoas com o mundo? Justifique sua resposta.
3) É importante seguir as regras da Língua Portuguesa? Existem momentos em que se tolera a ausência do uso delas? Justifique sua resposta e cite 2 exemplos.
O texto escrito deve ser construído com base em suas ideias acerca do conteúdo estudado, fundamentado corretamente no material da disciplina – livro e videoaulas.
Questão A
O autor Umberto Eco , em seu livro "O Nome da Rosa" nos presenteia com uma frase enigmática que encerra sua maravilhosa obra: "Stat Rosa Pristina Nomine, Nomina Nuda Tenemus'.
Mas qual o sentido dessa frase enigmática?  
Vinda do Latim, essa frase expressa a concepção que os nomes carregam uma significância particular e imutável, assim como alguns gramáticos teorizam. Mas vale ressaltar que uma frase tão bela é escrita em uma língua que já não faz mais parte do nosso dia a dia, mesmo tendo originado o nosso idioma.
O que é o português a não ser uma derivação coloquial da língua mãe Latim ? Assim como outros idiomas, como o Italiano, espanhol e romeno que fazem suas próprias derivações da mesma vertente.
A língua é uma concepção viva, que se inventa, que se transforma. O italiano era a língua popular, falada dos vilarejos do lado da Abadia, que os monges achavam um dialeto vulgar, pecaminoso. Hoje o mesmo dialeto é uma língua bela, composta por tantos fonemas e ainda viva.
O latim não morreu, apenas foi substituído por formas mais leves e descontraídas de sua própria estrutura. E dentro dessa derivação surgiu o português, e dentro do português outras derivações. Não falamos o mesmo português de Macau na china. Com isso as gírias nada mais são do que mais uma forma de derivação e revitalização  de um idioma, que se não atualizado, estará fadado a cair no esquecimento.  A forma coloquial da escrita atual nos atualiza, e nos dá um espelho da nova geração, podendo inclusive se tornar uma nova modalidade de idioma, totalmente adaptada aos seus falantes, servindo para algo que a língua é idealizada que é promover a comunicação.
Questão B
A escrita é como uma fórmula matemática, seus caracteres bem posicionados fazem com que o entendimento chegue de forma correta ao leitor. Por isso a importância da de um acadêmico ou um profissional praticar uma boa escrita, para que se torne de fácil entendimento tudo o que ele deseja transmitir.  O fato de escrever bem e ser bem entendido propulsiona o profissional, já que o receptor estará apto a entender e reproduzir aquilo que  foi escrito. No meio acadêmico, a necessidade de uma boa escrita é ainda maior, pois a ciência é pautada em seus artigos que necessitam ser bem compreendidos. 
Uma boa escrita tem também o objetivo de integrar já que ela conecta os seus leitores ao autor. Quando lemos um texto mal escrito, as razões daquela escrita se tornam perdidas, já que não pudemos entender o que o autor quis realmente dizer. Em casos de falantes do português pelo mundo fica evidente a necessidade de "seguir um padrão”, assim todos poderão se entender através das formas gramaticais, deixando os regionalismos de lado.
 No entanto como unidade viva e propensa a variantes, a sua forma não culta é tolerada em alguns ambientes, como a internet, em conversas cotidianas ou abreviadas. Outro momento que a norma culta pode não ser usada se dá através de regionalismos, construções de gírias regionais cotidianas, nos quais, apesar de estarem fora da norma, o texto é bem entendido.
Comentários
Comentário:
Questões A e B- Corretas, de acordo com o solicitado. Ótima escrita e argumentação, parabéns!