Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
Resenha do filme bicho de sete cabeças

Pré-visualização | Página 1 de 3

O BICHO DE SETE CABEÇAS
ALEF MARTINS
ANA CAROLINA BARBOSA
BRENO PINHEIRO DE SOUZA
INGRID SILVA
LUIZ DIAS
PATRICK MARTINS
THIAGO PACHECO
RIO DE JANEIRO
2018
ALEF HENRIQUE S. MARTINS – 18201063
ANA CAROLINA CECILIA BARBOZA – 18201082
BRENO PINHEIRO DE SOUZA - 18202437
INGRID FREITAS DA SILVA – 18202460
LUIZ FERNANDO MAYER DIAS - 1820175
PATRICK MARTINS - 18202757
THIAGO M. BORGES PACHECO – 18203175
O BICHO DE SETE CABEÇAS
Trabalho de atividades práticas supervisionadas com
 o objetivo de obtenção de nota para primeira avaliação
semestral no Centro Universitário Augusto Motta, no curso
de Direito, na matéria de Sociedade, pessoa e Direito.
Ana Maria Cerqueira Luiz
RIO DE JANEIRO
2018
Resumo do filme
Dentro do filme “Bicho de sete cabeças” encontramos com Neto ou Netinho, como é chamado pela família de classe média que vive na grande São Paulo um jovem que sofre com diferentes mudanças sociais de sua época e com uma família tradicional. Com grandes conflitos com seu pai o que leva futuramente a proporções trágicas.
Wilson tem um pensamento tradicional e espera que seu filho (Neto) siga suas tradições e seja sua continuidade. Claramente com dificuldades de socialização e com total submissão ao seus pais, ele tem dificuldade de comunicação com sua família. Em sua rebeldia, em um determinado dia ele viaja sem o consentimento do pai, o senhor Wilson, nessa viagem juntamente com o amigo desfruta de hospedagem e bebidas luxuosas e de repente percebe que o pagamento pela viagem seria através de relações homoafetivas o que não o agrada, trazendo à tona seu lado violento, pois sua moral impõe aquela prática como errada. Devido a esse fato, ele acaba conhecendo uma mulher ao qual se relaciona por uma noite e por quem fica fascinado desde então.
Em determinado momento Neto se descuida, e seu pai encontra um cigarro de maconha em seus pertences. Wilson, pai de Neto era o típico conservador, que não tentava dialogar com seu filho. Com a falta de diálogo o mesmo não compreende as mudanças que passam na cabeça do filho em uma fase tão conturbada. Esse adolescente procurava aceitação e parceria de um grupo de amigos, ao qual partilhava maior parte do tempo que em contra partida a família tinha receio de perder o controle do jovem. Neto é iludido por seu próprio pai a visitar um parente doente, o que ele não imaginava era que ali se iniciava o inferno de sua vida. Sem ao menos ser comunicado, ele é internado para o que é considerado uma excelente clínica para se reabilitar e deixar de ser um “maconheiro” o que dentro de seu grupo social é considerado algo repugnante. Em sua internação ele se esbarra om a realidade de que nem tudo é p que parece ser, afinal, a renomada clínica nada mais é do que um hospital psiquiátrico. Neto não passa por exames, não é avaliado simplesmente é taxado como usuário frequente de drogas, onde tem sua liberdade e seu direito de ir e vir violado, sem contar que passa fazer uso de drogas fortes que fazem muitas vezes ele perder totalmente a noção de si mesmo. Em sua nova realidade o adolescente se depara com pacientes que são desmoralizados diariamente, tratados de forma desumana, onde claramente tem a crueldade planejada, pois não se importam com a integridade das pessoas ali dentro.
Sem qualquer exame médico ou avaliação psicológica, Neto e todos os outros pacientes são submetidos ao uso excessivo de medicamentos e injeções, que são causadores até mesmo de uma certa psicose agravando ainda mais seus quadros médicos. 
O manicômio visando apenas a arrecadação de lucros com os internados, submetia os pacientes a torturas e punições aos que fossem contrários aos métodos utilizados eles eram apenas oportunidade de ganho de dinheiro, afinal, quanto maior o tempo de internação, mais tempo de recursos recebidos.
A clínica procurava criar uma imagem falsa de conforto e bons cuidados aos pacientes a seus familiares, porém por trás dessa imagem fictícia apresentada aos pais e parentes que levam a internar seus familiares, os pacientes eram desmoralizados ao contrário da expectativa de seus familiares. Os maus tratos eram sucessivos, todos os pacientes eram sacrificados a esses tratamentos desumanos. Nesse regime há somente visões superficiais do que realmente acontece. Sem saber mais o que fazer, Neto busca fazer apelos a sua família para que lhe tirarem daquele lugar, o que era inútil, pois sua família acreditava que o jovem estava sofrendo alucinações devido à ausência de drogas. Após sofrerem com a ausência d filho, os pais finalmente resolvem retirar o filho daquele local, até porquê também estavam assustados com o estado do filho.
Mas seus problemas não acabaram, neto sofreu depois de sua internação e não conseguiu se recuperar totalmente, ao ser reintegrado na sociedade ele se sente novamente desajustado, tentando se adaptar novamente a sua realidade social e como seu psicológico se encontrava abalado não conseguiu se reintegrar. Até arranjou um emprego que não durou muito. Após ir a uma festa sofre um novo surto ao tentar ter relações sexuais com uma menina na festa e não ter ereção Neto acaba se envolvendo em um conflito o que levou a voltar novamente ao manicômio, dessa vez assumindo uma postura rebelde e de liderança, mas aos poucos seu sofrimento e desajuste foi o levando ao ponto de tentar suicídio, pois não suportava mais o ambiente e sua situação. Ele voltou para sua família totalmente fragilizado, violado e sem perspectivas de vida e seu pai com uma eterna culpa de ter estragado a vida de seu filho após seguir o que achava o correto dentro de um contexto social.
Resenha crítica 
O drama o Bicho de sete cabeças é baseado na autobiografia de Austregésilo Carrano, onde aborda diversas questões sociais como falta de diálogo familiar, consome de entorpecentes e maus tratos.
De acordo a antropologia, a família é um produto social e não um dado natural, sendo assim foi notório que a família de neto sem nenhum tipo de vestígio de socialização/ interação desde o principio. A relação entre pais e filhos e uma das três relações básica considerada principal para o desenvolvimento de uma sociedade. 
Segundo Durkheim, quando uma pessoa tem seus vínculos sociais enfraquecidos, ela pode chegar a um estado de anomia, pois a falta de um “corpo de normas sociais” traz a pessoa um conceito desajustado dentro de um contexto social. E assim podemos encontrar Neto, que por não ter uma estabilidade de regras em sua família e nem costume de diálogos, se esbarra com diferentes preconceitos e sofre com isso por desrespeitar regra comuns e tradições dentro do contexto social de sua família.
Wilson que achava que sua explosão e muitas vezes discursos de ódio era o jeito ideal para manter a postura de uma família tradicional, estreitou o relacionamento com Neto em implicâncias e desavenças.
O uso de drogas vem sendo cada vez mais comum entre os jovens e tratado como uma diversão entre ele, usando uma concepção de que entorpecentes ajudam a fugir dos problemas. Cabe aos pais fugir do anacronismo e manter o diálogo com seus filhos para conhece-los, entende-los e orienta-los, talvez se Neto tivesse um diálogo maior com sua família sua realidade teria sido diferente.
A falta de diálogo é um problema global que afeta muitas famílias na realidade global, como por exemplo no filme, Wilson taxa que o uso de brinco é exclusivo a mulheres e que homem que usa é gay, trazendo assim conflitos em sua para com seu filho, que simplesmente estaria fazendo uso de uma tendência dos jovens dos anos 2000. Se o pai busca-se entender o filho e o filho explicar ao pai o uso do brinco, eles evitariam um conflito em uma simples conversa, assim como uma orientação adequada evita que muitos jovens caiam, por exemplo, nas “garras” do vandalismo. O diálogo familiar, a presença dos pais no dia a dia do jovem poderia ter contribuído para que o cenário não se agravasse tanto, atualmente é um problema global a falta de diálogo entre
Página123