A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Tecido adiposo multilocular

Pré-visualização | Página 1 de 1

Tecido adiposo multilocular
Turma: BM131
Professora: Andréa A.
Disciplina: Histologia 
Alunos: Anderson Lage, Bruno Medeiros, João Victor Paiva e José Felipe.
Tecido adiposo
O tecido adiposo é um tecido do corpo humano cujas células possuem óleos e gorduras. Classificado como um tipo de tecido conjuntivo, o tecido adiposo encontra-se distribuído por todo o corpo e em pessoas com peso normal podem representar entre 20 a 25% do peso corporal na mulher e de 15 a 20% no homem. Nesse tecido a substância intracelular é reduzida, e as células, ricas em lipídios, são denominadas células adiposas. Ocorre principalmente sob a pele, exercendo funções de reserva de energia, modelar a superfície do corpo, proteção contra choques mecânicos e isolamento térmico. Ocorre também ao redor de alguns órgãos como os rins e o coração.
(Tecido adiposo)
Em uma abordagem especial, o tecido adiposo é subdividido em: Tecido adiposo unilocular, e tecido adiposo multilocular. Esse trabalho terá um enfoque detalhado, abordando apenas o tecido adiposo multilocular, explicando de uma perspectiva morfofuncional.
O tecido adiposo multilocular apresenta como características: Células menores com várias gotículas lipídicas citoplasmáticas, núcleo esférico e excêntrico, formado no embrião e diminui após o nascimento, não se forma no organismo adulto.
Grande quantidade de mitocôndrias com cristas longas, adipócitos diretamente inervados pelo SNA simpático.
Encontrado em grande quantidade em animais que hibernam, o tecido adiposo multilocular caracteriza-se por sua capacidade de transformar os lipídios em energia térmica, tendo, portanto, como função principal a geração de calor. Pode ser explicado na imagem:
O calor que é produzido aquece os capilares do sangue.
Encontrado principalmente em recém-nascidos e fetos, porém apresenta-se em pequena quantidade em regiões do pescoço, costas, ao redor dos rins e na aorta (em pessoas adultas). Possui uma coloração mais escura em virtude da grande vascularização e do número elevado de mitocôndrias, sendo conhecido também como gordura marrom. Diferentemente do tipo unilocular, várias gotículas de gordura são observadas no interior das células, que são relativamente menores.
Bibliografia:
Artigos: Entendendo a Gordura - Os Acidos Graxicos
Por RUI CURI,CELINE POMPEIA,CELIO KENJI MYASAKA,JOAQUIM 
Patricia A. Zuk, Min Zhu, Hiroshi Mizuno, Jerry Huang, J. William Futrell, Adam J. Katz, Prosper Benhaim, H. Peter Lorenz, and Marc H. Hedrick.Tissue Engineering .Apr 2001