A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
 1000 PERGUNTAS (respostas)

Pré-visualização | Página 24 de 50

postas concentricamente ainda não está madura. Existe uma forma primária de 
Respostas comentadas - Seção 5 - Medicina esportiva e artroscopia 299 
canalículos (ósteons primários) que possui apenas poucas camadas de lamelas. 
Com a ação de reabsorção e deposição óssea, os ósteons primários convertem-se 
em ósteons secundários até chegar ao sistema de Havers do osso maduro. 
Referência: Rockwood Jr. CA, Wilkins K, King R. Fraturas em crianças. 3. ed. v. !. Barueri: Ma-
nole; 1993. p.58. 
331. Resposta correta: d. 
A via de acesso posterior à diáfise do úmero é a de escolha de acordo com 
os cirurgiões do trauma. Apresenta a limitação para as fraturas do terço proximal 
pela existência de estruturas nobres no local, vasos e nervos, mas é ideal para as 
mediodistais, principalmente pelas características anatômicas do úmero, que 
permitem em sua face posterior uma melhor colocação de placas. 
Referência: Gregory PR, Sanders RW Compression plating versus intramedullary fixation of 
humeral shaft fractures. J Am Acad Orthop Surg 1997;5:215-23 . 
332. Resposta correta: e. 
A integridade do manguito rotador é essencial para o funcionamento cor-
reto da articulação glenoumeral. 
Referência: Altchek DW, Dines DM. Shoulder injuries in the throwing athlete. J Am Acad Or-
thop Surg 1995;3:159-65. 
333. Resposta correta: e. 
É fundamental que ocorra a consolidação das tuberosidades ao úmero e 
que estas se encontrem o mais próximo possível de sua posição anatômica. Para 
que isso ocorra, é necessário conhecimento e execução da técnica cirúrgica cor-
reta de enxertia óssea e amarração das tuberosidades. Só dessa forma existirá a 
possibilidade de ocorrer resultado funcional satisfatório. 
Referência: John Naranya Jr R, Ianoti JP. Displaced three - and four - part proximal humerus 
fractures: evaluation and management. J Am Arcad Orthop Surg 2000;8:373-82. 
334. Resposta correta: e. 
As fraturas basocervicais deslocadas e intertrocantérias podem receber 
tratamento incruento com bons resultados. As fraturas transepifisárias têm mau 
prognóstico, com a grande maioria evoluindo para necrose avascular da cabeça 
femoral. Não há perspectiva de boa remodelação nas fraturas do colo. 
Referência: Schimied HA, Swiontkowoski MF. Femoral fractures. Orthop Clin Nort Am 2002; 
33: 108. 
300 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia 
335. Resposta correta: a. 
A distância barra-osso, quando reduzida, aumenta a rigidez da montagem. 
A dinamização apenas não reduz a incidência de afrouxamento dos pinos. O 
número de pinos e sua espessura são importantes influências na rigidez do sis-
tema, mas não são o fim da fixação externa, a qual objetiva uma estabilidade 
relativa. As montagens unilaterais são estáveis o suficiente para estabilizar uma 
fratura da diáfise femoral. 
Referência: Rowley DI. Fixação externa. ln: Guia do Curso A.O. 2. ed., 1996. 
336. Resposta correta: e. 
A sintomatologia piora à noite. As alterações metabólicas levam a quadros 
clínicos bilaterais. As órteses devem ser colocadas em discreta extensão. A neu-
rólise interna não mostrou resultados mais efetivos que o tratamento convencio-
nal e, por isso, foi quase abandonada. 
Referência: Light R (ed.). Hand surgery update 2. 1999, p.188. 
337. Resposta correta: a. 
O tendão do extensor curto é único. Os resultados com tratamento con-
servador são insatisfatórios. O diagnóstico é clínico e o tratamento cirúrgico é 
classicamente realizado por uma incisão transversa. 
Referência: Green DP, Hotchkiss RN, Pederson WC. Green's operative hand surgery. 4. ed. 
Churchill Livingstone; 1998. p.2034. 
338. Resposta correta: e. 
O raquitismo caracteriza-se por um defeito de mineralização do tecido 
osteoide, provocando deformidades. As osteotomias de correção devem ser rea-
lizadas após o término do tratamento medicamentoso da doença. Várias defor-
midades se corrigem espontaneamente com o tratamento correto. A biópsia está 
indicada no raquitismo para esclarecer o diagnóstico. 
Referência: Oliveira LG. Osteoporose - guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. Rio de 
Janeiro: Revinter; 2002. p.134-58. 
339. Resposta correta: e. 
A lesão traumática do nervo fibular superficial junto ao portal anterolate-
ral do tornozelo é a complicação mais frequente da artroscopia do tornozelo, 
segundo vários relatos da literatura. 
Referência: Ferkel RD, Heath DD, Guhl JF. Neurological complications of ankle arthroscopy. 
Arthroscopy 1996; 12:200-8. 
Respostas comentadas - Seção 5 - Medicina esportiva e artroscopia 301 
340. Resposta correta: a. 
O método de Green -Andreson está baseado no percentual do crescimento 
do membro mais curto. O método de White é conhecido como "método aritmé-
tico" e considera que a epífase distal do fêmur cresce 1,0 cm ao ano e que a epí-
fase proximal da tíbia cresce 0,6 cm ao ano. O método de Moseley é conhecido 
como "gráfico de linhas retas", utiliza o tamanho dos membros inferiores e a 
idade óssea. O método multiplicador de Paley utiliza os valores dos multiplica-
dores determinados de acordo com a idade cronológica. 
Referência: Tachdjan OM. Pediatric orthopaedics. 2. ed. v. 4. WB Saunders; 1990. p.2850. 
341. Resposta correta: e. 
A condrólise ocorre em 3 a 7% dos casos. A necrose da cabeça do fêmur é 
mais comum em escorregamentos instáveis, e, nesses casos, a tração longitudinal 
pode causar necrose. Osteotomia do colo está relacionada a uma maior incidên -
eia de necrose. A sequela mais comum é a deformidade em relação externa. 
Referência: AAOS-SBOT. "Pediatria". ln: Richards BS. Atual ização em conhecimentos ortopédi-
cos - Pediatria, p.181. São Paulo: Ateneu; 2002. 
342. Resposta correta: d. 
O sinal de Hawkins aparece como um aumento da transparência da cúpu-
la talar vista no raio X em AP e indica presença de circulação no corpo talar, 
afastando o risco de necrose. 
Referência: AAOS-SBOT. Trauma - lesões do tornozelo e pé. ln: Richards BS. Atualização em 
conhecimentos ortopédicos - Pediatria. São Paulo: Ateneu; 1998. 
343. Resposta correta: d. 
As fraturas do colo impactadas em valgo maior que 20º têm risco de ne-
crose avascular quando tratadas por redução e fixação. Demora além de 24 hora 
produz piora da sobrevivência da cabeça. Para avaliar a estabilidade, o raio X de 
perfil é importante, já que a comunicação posterior leva a desvios que, se não 
corrigidos, comprometem o resultado. Existe grande variabilidade intra e inte-
robservadores quando se usa a classificação de Garden, principalmente nos tipos 
III e IV. 
Referência: Schmidt AH, Swiontkowsoski MF. Femoral neck fractures. Orthop Clin North Am 
2002;33( 1):97-111. 
344. Resposta correta: b. 
O osteocondroma tem ocorrência isolada e pode estar relacionado a uma 
separação da cartilagem fusária do seu foco de origem ou a um defeito do anel 
302 1.000 Pe rguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia 
pericondral. A osteocondromatose tem manfestações múltiplas e caráter familiar 
com transmissão autossônica dominante. 
Referências: Tachdjan MO. Ortopedia pediátrica. 2. ed. Manole, 1995. 
345. Resposta correta: b. 
O diagnóstico de sarcoma osteogênico depende fundamentalmente de uma 
boa história clínica, exames subsidiários e biópsia. A normalização da fosfatase 
alcalina, cálcio e fósforo não descartam a possibilidade do diagnóstico de sarco-
ma osteogênico. 
Referências: Tachdjan MO. Ortopedia pediátrica. 2. ed. São Paulo: Manole, 1995. p.1307-88. 
346. Resposta correta: d. 
O tratamento de pacientes com lesão metastática baseia-se na melhora da 
dor e no restabelecimento funcional o mais precocemente possível. 
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 8. ed. Barueri: Manole. 
347. Resposta correta: d. 
As lesões por sobrecarga óssea são muito comuns na prática esportiva, 
porém nem todas são de fácil reconhecimento