A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
 1000 PERGUNTAS (respostas)

Pré-visualização | Página 34 de 50

o retardo do diagnóstico, podendo trazer sérias complicações. O baixo 
peso das atletas, a irregularidade menstrual e as desordens nutricionais ocasionam 
a perda óssea. 
Referência: Oliveira, Lindomar G. Osteoporose: guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. 
Rio de Janeiro: Revinter, 2002. 
483. Resposta correta: d. 
Essa dose diária visa oferecer à luz do intestino uma quantidade de cálcio 
suficiente para a necessidade diária do organismo, sem necessidade de recorrer 
ao estoque de cálcio do esqueleto, o que provocaria enfraquecimento do tecido 
ósseo. 
Referência: Oliveira, Lindomar G. Osteoporose: guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. 
Rio de Janeiro: Revinter, 2002. 
334 1.000 Pergu ntas e Respostas Comentadas em Ortoped ia e Traumatologia 
484. Resposta correta: b. 
Nos homens, 50% dos casos são de causas secundárias e de diversas etio-
logias. A osteoporose primária está presente em torno de 46% dos casos, em que 
os níveis de testosterona diminuem com o avançar da idade. Outras causas, como 
corticoides, neoplasias e cirurgias gástricas, aparecem em menor número. 
Referência: Oliveira, Lindomar G. Osteoporose: guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. 
Rio de Janeiro: Revinter, 2002. 
485. Resposta correta: a. 
O raloxifeno é um SERM - modulador seletivo para receptores de estró-
genos de segunda geração. Tem efeito agonista dos estrógenos no tecido ósseo e 
no sistema cardiovascular e efeito antagonista dos estrógenos no útero e nas 
mamas, proporcionando à mulher na pós-menopausa efeitos benéficos nos sis-
temas ósseo e cardiovascular, sem riscos de câncer de mama ou do útero. 
Referência: Oliveira, Lindomar G. Osteoporose: guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. 
Rio de Janeiro: Revinter, 2002. 
486. Resposta correta: d. 
Os fatores de risco para a osteoporose e as fraturas são condições ambien -
tais (fatores extrínsecos) e individuais (fatores intrínsecos). Os fatores intrínsecos 
são idade, gênero, hereditariedade, raça, propriedades físicas do osso, doenças 
crônicas. Os fatores extrínsecos são os ambientais e os hábitos de vida, como 
nutrição, deficiência de cálcio, vida sedentária, uso crônico de medicamentos, 
álcool, fumo e quedas. 
Referência: Oliveira, Lindomar G. Osteoporose: guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. 
Rio de Janeiro: Revinter, 2002. 
487. Resposta correta: e. 
Os exames laboratoriais são úteis para o diagnóstico diferencial. Permitem 
avaliar o estado nutricional e o metabolismo na osteoporose, auxiliando na es-
colha da terapêutica adequada. Exames de rotina devem ser feitos em função das 
hipóteses de diagnóstico advindas da história clínica e do exame do paciente. 
Referência: Olive ira, Lindomar G. Osteoporose: guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. 
Rio de Janeiro: Revinter, 2002. 
488. Resposta correta: a. 
Os marcadores biológicos são importantes no sentido de auxiliarem no 
diagnóstico e na decisão de tratamento em conjunto com a densitometria 
Respostas comentadas - Seção 8 - Osteometabó li cas 335 
óssea. Mesmo sendo exames de alto custo e apenas realizados em grandes 
centros, são uma excelente opção no monitoramento do tratamento da oste-
oporose. 
Referência: Oliveira, Lindomar G. Osteoporose: guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. 
Rio de Janeiro: Revinter, 2002. 
489. Resposta correta: a. 
A osteoporose é dividida em primária, quando a causa de origem advém 
de alterações intrínsecas ao metabolismo, e secundária, quando a perda óssea 
ocorre em consequência de uma doença sistêmica. 
Referência: Oliveira, Lindomar G. Osteoporose: guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. 
Rio de Janeiro: Revinter, 2002. 
490. Resposta correta: d. 
Os fármacos citados, exceto os anticoagulantes, apresentam relação com 
o aumento da reabsorção óssea por características próprias e atuantes direta-
mente nos osteoclastos. Pacientes que necessitam de terapia com corticoides 
em determinadas doses necessitam de medidas profiláticas para evitar fratu-
ras. 
491. Resposta correta: e. 
A vitamina A tem um efeito direto na estimulação do osteoclasto e seu 
excesso provoca aumento da reabsorção e hipercalcemia. 
Referência: Oliveira, Lindomar G. Osteoporose: guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. 
Rio de Janeiro: Revinter, 2002. 
492. Resposta correta: a. 
A dose de vitamina D3 adequada para o controle da osteoporose não deve 
ser menor do que 700 a 800 UI/dia. 
493. Resposta correta: b. 
Os estudos citam como uma referência a dosagem da vitamina D3 (25(0H) 
D) de, no mínimo, 30 ng/mL. Esses estudos alteraram os valores que antes eram 
considerados os melhores. 
494. Resposta correta: a. 
A insuficiência da vitamina D (hipovitaminose D) acarreta hipocalcemia 
e osteomalácia, ocasionando dor óssea difusa. 
495. Resposta correta: a. 
336 1.000 Pergu ntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia 
Por meio da inibição de uma enzima denominada farnesil difosfato sinta-
se, que atua diretamente no osteoclasto, através da via do mevalonato, inibindo 
a ação do osteoclasto e levando à sua apoptose. 
496. Resposta correta: e. 
O mieloma múltiplo apresenta várias complicações, principalmente os 
achatamentos vertebrais. Outras complicações, como anemia, insuficiência renal, 
infecções bacterianas e hipercalcemia, estão presentes. 
Referência: Oliveira, Lindomar G. Osteoporose: guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. 
Rio de Janeiro: Revinter, 2002. 
497. Resposta correta: e. 
O exame de ultrassonografia do calcâneo é válido para selecionar os po-
tenciais portadores de osteoporose e, assim, realizar campanhas públicas e, asso-
ciado à pesquisa dos fatores de risco para osteoporose, com finalidade de triagem, 
para indicaç~ de pesquisa clínica da doença. 
Referência: Oliveira, Lindomar G. Osteoporose: guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. 
Rio de Janeiro: Revinter, 2002. 
498. Resposta correta: d. 
A homeostase do cálcio é assegurada por três sistemas orgânicos: os intes-
tinos, o esqueleto e os rins. Em torno de 20% do ingerido é absorvido; o restante 
não é absorvível ou não é absorvido, sendo excretado nas fezes . 
Referência: Oliveira, Lindomar G. Osteoporose: guia para diagnóstico, prevenção e tratamento. 
Rio de Janeiro: Revinter, 2002. 
499. Resposta correta: e. 
A osteoartrose é uma doença de natureza degenerativa ligada a fatores de 
transcrição nuclear e que evolui com alterações inflamatórias da membrana si-
novial, da cartilagem e do osso subcondral, determinadas pela ativação de com-
plexos enzimáticos ou citocinas catabolizantes e anabolizantes. 
500. Resposta correta: a. 
O fluxo sanguíneo do osso deve estar aumentado para promover a ação de 
aumento da DMO por meio do estímulo mecânico. 
Seção 9 - Pediátricas 
501. Resposta correta: b. 
Na epifisiólise proximal da cabeça femoral, o colo desloca-se superolate-
ralmente, e a cabeça inferomedialmente, criando uma deformidade em varo e 
causando a extensão e retroversão da cabeça. Portanto, na radiografia em AP de 
bacia, uma linha traçada seguindo a borda lateral do colo femoral normalmente 
cruza a parte lateral da cabeça femoral - Klein. Na EPCF, por causa da alteração 
da anatomia, essa linha não cruza a cabeça. 
Referência: Klein et ai. Roentgenographic features of slipped capital femoral epiphysis. Am J 
Roentgenol, v.66, 1951, p.361. 
502. Resposta correta: e. 
Na EPCF, a condrólise não necessariamente é resultado da invasão do ma-
terial de síntese na cavidade articular. Os maiores índices de condrólise ocorrem 
no tratamento conservador. Trabalhos aventam a possibilidade de a condrólise 
ser um processo autoimune inerente à doença. Já a osteonecrose se dá pelo grau 
do deslocamento, pelo deslocamento progressivo e pela posição da síntese na 
região anterolateral. 
Referências: Walters & Simon.