A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
América Latina questões

Pré-visualização | Página 1 de 1

QUESTÃO 1
“Para Laclau (1996), há que se abandonar a ideia de uma identidade unificada e coerente, aceita na modernidade, por não se considerar mais viável a existência de um núcleo essencial do eu, estável, que passe, do início ao fim, sem mudança, pelos tropeços da história. O que se tem é um sujeito fragmentado, descentrado, deslocado tanto de seu lugar no mundo social como de si mesmo, composto de várias identidades, mutáveis, contraditórias ou mesmo não resolvidas. O que somos? Somos mestiços, somos índios, somos negros, somos brancos, somos amarelos, mas, sobretudo, somos latinos e americanos.”  (Maria Luisa Ortiz Alvarez).
Desenvolver uma análise sobre o conceito de Identidade a partir da reflexão acima apresentada e estender tal análise, de maneira propositiva, para o tema da formação de uma identidade latino-americana.
A mistura cultural presente na América latina iniciou-se na época colonial, quando os colonizadores vieram para cá trazendo consigo negros escravizados e se depararam com índios que aqui já habitavam. Ao forçar indígenas a conviver com os recém-chegados e seus escravos, iniciou-se o hibridismo, identidade latino-americana. Misturaram-se culturas da Europa, África e América do Sul, fazendo com que a mestiçagem e o multiculturalismo se iniciasse. Em nossa rotina diária não identificamos os hábitos de cada povo, mas inegável que nossa cultura possui contribuições de todas as partes do mundo, como rituais religiosos africanos e artesanato, redes e alimentação frugívora dos indígenas.
Em razão da geografia, além de ser necessário diálogo entre países para melhor evolução e convívio, há a facilidade de migrar, o que auxilia ainda mais na mistura social e a troca de cultura de povos, rompendo barreiras em busca de uma américa-latina mais solidária, democrática e empática.
QUESTÃO 2
"É pertinente assinalar, contra todo esse pano de fundo histórico e atual, que a questão de identidade na América Latina é, mais do que nunca, um projeto histórico, aberto e heterogêneo, não só e talvez nem tanto uma lealdade à memória do passado. Porque essa história permitiu ver que na verdade são muitas as lembranças e muitos os passados, sem, contudo, um caminho comum e compartilhado. Nessa perspectiva e nesse sentido, a formação da identidade latino-americana implica, desde o início, uma trajetória de inevitável destruição da colonialidade do poder, uma forma muito específica de descolonização e liberação". (Aníbal Quinjano em Adauto Moraes, p. 85, 2006).
O que deduzir da afirmação de que a questão da identidade na AL é um projeto histórico aberto e heterogêneo? O que significa propor que a descolonização deve passar por um processo de liberação de uma ‘diversidade compartilhada’?
A afirmação que a questão de identidade na América Latina é um projeto histórico aberto surgiu pois recebemos aqui todos os imigrantes que desejaram aqui estar, e heterogêneo pois eram de todas as origens, tornando o ambiente multicultural, porém, com a predominância dos costumes europeus. Assim, passando para o segundo questionamento, a descolonização seria assumirmos a identidade de nosso povo, sem nos basearmos nas tendências e cultura do país colonizador, dando ao nosso povo a própria identidade e costumes – pois temos costume de priorizar e valorizar mais o que vem de fora do que o que é produzido e feito por nós. A diversidade compartilhada nada mais é do que conhecermos mais sobre a nossa cultura e a rica cultura de povos que estão no mesmo continente mas não valorizamos, mesmo com tanto em comum.
Gabriela Rahmeier
América Latina e Sustentabilidade Socioambiental 
Intensivo de Primavera 2018

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.