QUEIXA CRIMA PEÇA
4 pág.

QUEIXA CRIMA PEÇA

Disciplina:Queixa Crime Procuração4 materiais11 seguidores
Pré-visualização1 página
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL DA COMARCA DE NITEROI/RJ

PEDRO, nacionalidade, engenheiro, estado civil, portadora da Cédula de Identidade (RG), inscrita no Cadastro de Pessoas Físicas sob nº cpf, residente e domiciliada no endereço, vem através de seu advogado, nome do advogado, inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil sob nº , nome, nacionalidade, estado civil, cpf, identidade, com escritório profissional no endereço, e-mail eletrônico, com fulcro nos artigos 31, 41 e 44 do Código de Processo Penal, PODERES ESPECIAIS PARA oferecer a presente

QUEIXA CRIME

Em face de HELENA, nacionalidade, profissão, estado civil, portadora da Cédula de Identidade (RG), inscrita no Cadastro de Pessoas Físicas sob nº cpf, pelos fatos a seguir expostos:

No dia 19/04/2016, sábado, Pedro comemora aniversário e planeja, para a ocasião, uma reunião à noite com parentes e amigos para festejar a data em uma famosa churrascaria da cidade de Niterói, no estado do Rio de Janeiro. Na manhã de seu aniversário, resolveu, então, enviar o convite por meio da rede social, publicando postagem alusiva à comemoração em seu perfil pessoal, para todos os seus contatos.
Helena, com o intuito de ofender o ex-namorado, publicou o seguinte comentário: não sei o motivo da comemoração, já que Pedro não passa de um idiota, bêbado, porco, irresponsável e sem vergonha e, com o propósito de prejudicar Pedro perante seus colegas de trabalho e denegrir sua reputação acrescentou, ainda, ele trabalha todo dia embriagado e vestindo saia! No dia 10 do mês passado, ele cambaleava bêbado pelas ruas do Rio, inclusive, estava tão bêbado no horário do expediente que a empresa em que trabalha teve que chamar uma ambulância para socorrê -lo! Imediatamente, Pedro, que estava em seu apartamento e conectado à rede social por meio de seu tablet, recebeu a mensagem e visualizou a publicação com os comentários ofensivos de Helena em seu perfil pessoal. Pedro, mortificado, não sabia o que dizer aos amigos, em especial a Marcos, Miguel e Manuel, que estavam ao seu lado naquele instante. Muito envergonhado, Pedro tentou disfarçar o constrangimento sofrido, mas perdeu todo o seu entusiasmo, e a festa comemorativa deixou de ser realizada.

DO DIREITO:
Da Competência dos Juizados Especiais:
O vertente feito é de competência deste douto juízo, tendo em vista, que a pena máxima em abstrato de ambos os crimes imputados a ré são inferiores a 2 (dois) anos, cumprindo assim as condições do artigo 61 da Lei 9.099/95 (Lei dos Juizados Especiais), que ora transcrevemos:
Art. 61 – Consideram-se infrações de menor potencial ofensivo, para os efeitos desta Lei, as contravenções penais e os crimes a que a lei comine pena máxima não superior a 2(dois) anos, cumulada ou não com multa.
Destarte, mesmo pela obrigatoriedade de aplicação dos fatos delitivos imputados a ré neste feito em concurso formal a pena máxima em concreto não excederá tais limites legais.

DA INJÚRIA E DIFAMAÇÃO:
Excelência, em conformidade com os fatos já narrados nesta petição, é sabido que a senhora HELENA incorreu nos crimes tipificados no código penal nos artigos 139 e 140, respectivamente, Difamação e Injúria, senão vejamos:

Art. 139 – Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:
Pena – detenção, de 3 (três) meses a 1 (um) ano, e multa.
Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:
Pena – detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
Tais tipos penais são conceituados por Rogério Greco como sendo:
Difamação: Para que se configure a difamação deve existir uma imputação de fatos determinados, sejam eles falsos ou verdadeiros, à pessoa determinada ou mesmo a pessoas também determinadas, que tenha por finalidade macular a sua reputação, vale dizer, sua honra objetiva.
Injuria: ...de todas as infrações penais tipificadas no Código Penal que visam proteger a honra, a injúria, na sua modalidade fundamental, é a considerada menos grave. Entretanto, por mais paradoxal que possa parecer, a injúria se transforma na mais grave infração Penal contra a honra quando consiste na utilização de elementos referente a raça, cor, etnia, religião, origem ou condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência, sendo denominado aqui de injúria preconceituosa... (GRECO, Rogério, Direito Penal Parte Especial, v. p. 435).

CONSUMAÇÃO
Os crimes foram praticados quando HELENA tinha como intenção atingir a honra subjetiva da vítima quando disse que “ele trabalha todo dia embriagado”, sendo uma prática com dolo querendo ofender a dignidade da vítima. Tal situação enseja o reconhecimento do crime.
O ato da injúria pode ser destacado no momento em que Helena imputou, chamando de “bêbado, porco, irresponsável”, tal ato enseja o reconhecimento do crime.
Dessa forma existe entendimento jurisprudência:
EMENTA: RECURSO EM SENTIDO ESTRITO. CRIMES CONTRA A HONRA PRATICADOS PELA INTERNET (FACEBOOK). QUEIXA-CRIME RECEBIDA APENAS PELO CRIME DE INJÚRIA. PLEITO DE RECEBIMENTO PELOS CRIMES DE CALÚNIA E DIFAMAÇÃO. CALÚNIA NÃO CARACTERIZADA.FATOS QUE SE REFEREM A TERCEIRA PESSOA E NÃO AO QUERELANTE. AFASTAMENTO.DIFAMAÇÃO. OFENSA À HONRA OBJETIVA (REPUTAÇÃO) DO QUERELANTE. CONDUTA QUE NÃO CONFIGURA BIS IN IDEM COM O CRIME DE INJÚRIA. BENS JURÍDICOS DISTINTOS. RECURSO PARCIALMENTE PROVIDO. "Ainda que diversas ofensas tenham sido assacadas por meio de uma única carta, a simples imputação à acusada dos crimes de calúnia, injúria e difamação não caracteriza ofensa ao princípio que proíbe o bis in idem, já que os crimes previstos nos artigos 138, 139 e 140 do Código Penal tutelam bens jurídicos distintos, não se podendo asseverar de antemão que o primeiro absorveria os demais" (RHC 41.527/RJ, Rel. Ministro JORGE MUSSI, QUINTA TURMA, julgado em 03/03/2015, DJe 11/03/2015). I. (TJPR - 2ª C.Criminal - RSE - 1462862-5 - Jaguariaíva - Rel.: José Mauricio Pinto de Almeida - Unânime - - J. 25.02.2016

DO PEDIDO
Recebimento da presente queixa com a citação da ré para apresentar resposta no prazo legal.
A procedência da queixa com a condenação da ré nas penas cominadas nos artigos 139 e 140 do código penal.
A fixação do valor mínimo à título de reparação de danos nos termos do art. 387,IV,CPP.
A intimação e oitiva das testemunhas abaixo arroladas.
Condenação da ré nas custas e despesas do processo

Protesta provar o alegado por todos os meios de prova admitidos em Direito, especialmente pela produção de prova testemunhal e pericial.

Nesses termos,
pede o deferimento

Niteroi,___de___de___	

Nome do Advogado
Número da oab

ROL DE TESTEMUNHAS:

Marcos (endereço)
Miguel (endereço)
Manuel (endereço)