A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
PARTIDO 2

Pré-visualização | Página 1 de 1

Partido Arquitetônico
Projeto de Arquitetura e Urbanismo 3 – PR Prof. Dra Adriana Mara Vaz de Oliveira
Prof. Gustavo Garcia do Amaral
O projeto de arquitetura não é um processo 
linear, em que uma tarefa específica conduz 
a uma única solução. É um processo em 
que todos os aspectos relevantes são 
submetidos a um rigoroso juízo crítico 
(LEUPEN, 2004). 
Inicia-se com um programa (que se 
desdobra em múltiplas necessidades) e um 
sítio (contexto, na sua mais ampla acepção). 
Considerando todas as exigências 
colocadas, o arquiteto interpreta-as e dá um 
passo preliminar do processo de projeto:
INTERPRETAÇÃO.
Projeto de arquitetura enquanto processo 
Museu de Arte de São Paulo (MASP), Lina Bo Bardi, 1957-1969
Na continuação, o arquiteto define um conceito. O 
conceito expressa a idéia subjacente no desenho e 
orienta as decisões de projeto em uma determinada 
direção, organizando e excluindo as variantes (LEUPEN, 
2004).
Milwaukee Art Museum – Santiago Calatrava, 2001
O Conceito
•Alinha-se com uma Idéia original e genérica sobre a maneira de resolver espacialmente 
um tema de arquitetura
Conceito
O conceito pode adotar múltiplas formas:
•Esboços de forma (tradição, invenção)
•Esquemas de planta
•Cortes esquemáticos
•Diagramas
•Metáforas
•Revela o julgamento,o entendimento, a opinião do arquiteto sobre o tema e
suas intenções sobre seu trabalho, que se manifestará como obra construída
•Fundamenta a concepção do projeto arquitetônico > formulação primeira da sua proposta de 
solução espacial e técnica
•Encaminha a definição do partido arquitetônico
•No entanto, a mente humana não trabalha sobre o vazio, mas sobre conhecimentos prévios 
devidamente amadurecidos e armazenados na memória – estudos de caso.
•O conceito é o resultado de associações de qualquer natureza, gerado para criar a 
proposição do partido arquitetônico, necessita dos conhecimentos assimilados pelo arquiteto.
•Com o conhecimento o arquiteto desenvolve o seu processo conceitual
Conceito
•Arquitetura contemporânea: a relação equilibrada entre conhecimento racional e conhecimento 
sensível, ou seja, o resultado físico e espacial do equilíbrio harmonioso entre o mundo racional e o 
mundo sensível. A arquitetura encontra-se no meio disso. Perceber que não pode resolver a 
arquitetura sem uma base estrutural tecnológica fortíssima, mas também sensível e extremamente 
bem resolvida, conseguindo equilibrar isso de maneira harmoniosa e eficaz, bem como Renzo
Piano, Richard Rogers e Helmut Jahn, entre outros, que também trabalham esses aspectos.
Uma arquitetura adequada à “dinâmica da contemporaneidade”
Este estudo deve ser complementado ainda pelos dados do projeto, formados por:
1.Análise do programa arquitetônico estabelecido
2. Estimativa de dimensões, área construída, configuração geral do(s) volume (s) resultantes do 
programa
3. Estudo das características do terreno > formato, dimensões, relevo
4. Estudo das limitações impostas pela legislação pertinente
5. Avaliação dos recursos materiais, ambientais
6. Identificação dos demais condicionantes significativos > acessos, insolação, fonte de ruídos, 
edificações vizinhas, vegetação, etc. ( SILVA, 1991)
Conceito
O conceito situa-se num plano 
abstrato,pode-se admitir várias 
soluções espaciais e formais 
viáveis, que devem ser testadas 
quanto às suas qualidades formais, 
construtivas ou funcionais para a 
definição do melhor partido, porém
A concepção do projeto não deve violar as 
idéias assumidas pelo arquiteto, e sim 
atender as condicionantes e qualidades 
locais geradoras da síntese, que resulta no 
PARTIDO ARQUITETÔNICO
“A industria exuberante como uma rio que rola para seu 
destino, nos traz os novos instrumentos adaptados a esta 
época nova animada de espírito novo.
A grande industria deve se ocupar da construção e 
estabelecer em serie os elementos da casa.
E preciso criar o estado de espírito da serie.
O estado de espírito de construir casas em serie.
O estado de espírito de residir em casas em serie.
O estado de espírito de conceber casas em serie.”
L. Corbusier, 1923.
M
a
i
s
o
n
 
C
i
t
r
o
h
a
n
–
L
e
 
C
o
r
b
u
s
i
e
r
,
 
 
1
9
2
7
Conceito
Piet Mondrian– 1921Residencia Schroeder – Gerry Rietveld - 1927
Red and Blue Chair– Gerry Rietveld - 1927
Casa Farnsworth– Mies Van der Rohe, 1946
Palazo Dello Esporte– Pier Luigi Nervi, 1956
Catedral de Brasília – Oscar Niemeyer, 1960
Não é o ângulo reto que me atrai, 
nem a linha reta, dura, inflexível, 
criada pelo homem. O que me atrai 
é a curva livre e sensual, a curva que 
encontro nas montanhas do meu 
país, no curso sinuoso dos seus rios, 
nas ondas do mar, no corpo da 
mulher preferida. De curvas é feito 
todo o universo, o universo curvo de 
Einstein.
Tjibaou Cultural Centre, New Caledonia. Renzo Piano, 1998
Projetar é muito mais que escolher uma 
forma. 
Preparar uma comida não é uma mera 
questão de unir ingredientes, mas perceber 
como se elaboram, mesclam e cozinham 
(LEUPEN, 2004). 
O partido arquitetônico
Partido arquitetônico = contexto objetivo do 
programa (interpretação dos condicionantes) 
+ intenção plástica do projetista (SILVA,1991). 
Pavilhão do Brasil em Osaka – Paulo Mendes da Rocha (1970
Casa Gerassi – Paulo Mendes da Rocha (1990
....“enquanto satisfaz apenas às exigências 
técnicas e funcionais - não é ainda 
arquitetura; mas quando - popular ou erudita -
aquele que a ideou pára e hesita ante a 
simples escolha de um espaçamento de pilar 
ou de relação entre altura e largura de um vão 
e se detém na procura obstinada da justa 
medida entre cheios e vazios, na fixação dos 
volumes e subordinação deles a uma lei e se 
demora atento ao jogo de materiais ao seu 
valor expressivo - quando tudo isso vai a 
pouco somando, obedecendo aos mais 
severos preceitos técnicos e funcionais, mas 
também àquela intenção superior que 
seleciona, coordena e orienta em 
determinados sentido toda essa massa 
confusa e contraditória de detalhes, 
transmitindo assim ao conjunto ritmo, 
expressão, unidade e clareza - o que confere 
à obra o seu caráter de permanência. Isto sim 
é arquitetura" Lúcio Costa 
Clube Atletico Paulistano – Paulo Mendes da Rocha (1956)
O partido arquitetônico
O Partido arquitetônico pode surgir: 
1- Da análise do terreno- Localização / Fotos do local / Entorno / Visitas / Ligações / Acessos. 
2- Do programa de necessidades – Setorizarização/ Arranjo vertical / horizontal 
3- Dos Aspectos da implantação-Orientação / Insolação / Luz natural / Privilegiar o meio 
ambiente existente. 
4- Dos Aspectos Construtivos - Materiais / Partido estrutural 
5- Do Volume pretendido - Forma / Fachadas / Movimento / Transparência / Cor / Linhas curvas 
ou retas 
6- Dos Fluxos - Distribuição espacial das funções / Circulação principal / Integração espacial / 
Eixo norteador. 
7- Da Identidade - Imagem do lugar 
8- Dos Aspectos conceituais - Tema / História... 
9- Dos Critérios de viabilidade do Projeto - Econômica / Tecnico-construtiva / Respeito ao Meio 
Ambiente 
10- Da Posição Arquitetônica - determinado Arquiteto e/ou Tendência Contemporânea 
11- De Teorias / Idéias (Fruto de leituras, análises de projeto e reflexão sobre o tema). 
12- Da necessidade de Flexibilidade do projeto ( para crescimento futuro e/ou adaptações 
possíveis) 
13- Da legislação regulamentadora ( Código de obras, Leis de uso do solo, Ambiental,etc..) 
O partido arquitetônico
	Partido Arquitetônico

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.