A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Doenças do homem

Pré-visualização | Página 1 de 2

Câncer de próstata
O câncer de próstata é um tipo de câncer muito comum nos homens, especialmente após os 50 anos de idade. Segundo INCA a cada 41 homens, 1 morrerá de CA de próstata A próstata é uma glândula localizada próximo à bexiga cercando a uretra na sua porção inicial. Alguns fatores de risco facilitam ou promovem o desenvolvimento do câncer de próstata. São eles: A idade do paciente, ou seja, quanto mais velho, maior o risco, a genética, dietas e alimentos podem estar associados aos maiores índices de manifestação da doença, homens com obesidade (o risco de metástase e morte também são maiores entre pacientes com obesidade), etnia (a doença é mais comum em homens negros), o tabagismo, o consumo excessivo de álcool e o uso de outras drogas também estão relacionados aos maiores riscos de câncer de próstata.
Os sintomas são invisíveis, no geral. Na realidade, eles não aparecem até que o câncer tenha crescido a ponto de pressionar a uretra. Quando isso acontece, os homens podem apresentar os seguintes sintomas: necessidade mais frequente de urinar, em geral à noite; necessidade de correr para o banheiro; dificuldade ou demora para urinar; urinar com pouca força ou sentir que a bexiga não esvaziou completamente. O diagnóstico é feito por meio de exame físico (toque retal) e laboratorial (dosagem do PSA). Caso sejam constatados aumento da glândula ou PSA alterado, deve ser realizada uma biópsia para averiguar a presença de um tumor e se ele é maligno. Se for, o paciente precisa ser submetido a outros exames laboratoriais para se determinar seu tamanho e a presença ou não de metástases. O tratamento depende do tamanho e da classificação do tumor, assim como da idade do paciente e pode incluir prostatectomia radical (remoção cirúrgica da próstata), radioterapia, hormonoterapia e uso de medicamentos. Para os pacientes idosos com tumor de evolução lenta o acompanhamento clínico menos invasivo é uma opção que deve ser considerada. Para evitar o câncer de próstata é necessário evitar a exposição a poluição, fertilizantes e substâncias químicas, realizar pelo menos 1 vez ao ano o exame de toque retal e o exame de sangue de PSA, pois quanto antes o câncer de próstata for diagnosticado, maiores são as suas possibilidades de cura, principalmente quando tem um histórico familiar e manter uma alimentação saudável, não fumar e ser fisicamente ativo contribuem para a melhoria da saúde em geral e podem ajudar na prevenção deste câncer.
A enfermagem faz parte de uma equipe multidisciplinar de saúde, onde atua também na prevenção e promoção da saúde, e isso inclui, entre outras atividades, educação e motivação sanitárias, saneamento, habitação, informação, alimentação adequada, divulgação e trabalhos comunitários. Ações para o diagnóstico precoce e tratamento simplificado, como por exemplo, a investigação para o rastreamento de determinada doença na comunidade, exames seletivos e procedimentos terapêuticos imediatos. Ações como reuniões, palestras, orientações e também através das consultas de enfermagem. Assim, os enfermeiros devem agir como educadores, esclarecendo as dúvidas, orientando quanto à doença, elevando o nível de conhecimento dessa população e conscientizá-los sobre o valor da realização dos exames preventivos e das consultas periódicas
Cirrose
A doença é resultado de inflamações e agressões crônicas como o ataque de vírus (hepatites A, B, C…) ou abuso de bebidas alcoólicas. A doença faz com que o fígado produza tecido de cicatrização, e com isso o órgão deixa de desempenhar suas funções, como produzir bile, proteínas, metabolizar o colesterol, o álcool, entre outras. Como manifestações clínicas, a doença apresenta inicialmente cansaço, fraqueza e perda de peso. Em casos mais avançados podem desenvolver icterícia (amarelamento da pele), sangramento gastrointestinal, inchaço abdominal e confusão mental.
O diagnóstico de cirrose se dá através de avaliação clínica, realização de exames laboratoriais e de exames de imagem, como o ultrassom, tomografia computadorizada e ressonância magnética. Em alguns casos, é necessária a realização de biópsia das células do fígado (Avaliação histopatológica), para avaliar também o desenvolvimento de um possível câncer. Ainda não existe tratamento para a cirrose, é importante que as doenças que possam causá-la sejam tratadas o quanto antes. 
O único tratamento para a cirrose hepática é o transplante de fígado. Quanto ao consumo de alimentos, a recomendação é evitar o excesso de sal, frituras e carne vermelha. O consumo de álcool é completamente proibido e as refeições devem ser realizadas sempre em pequenas porções, divididas ao longo do dia. Alguns medicamentos podem ser receitados pelo médico para poupar o fígado, como Aldactone, Diurix, Epocler, Espironolactona e Hidroclorotiazida, porém apenas o médico para prescrever o medicamento mais indicado para cada caso. A melhor maneira de prevenir a cirrose hepática é adotar um estilo de vida mais saudável, evitando exageros de bebidas alcoólicas, dieta muito calórica e a automedicação. Outro fator de proteção é se proteger dos vírus das hepatites, sobretudo o tipo B — para o qual existe vacina. É de responsabilidade da enfermagem manter o paciente em repouso, verificar as eliminações, checar a posição do paciente no leito, manter cuidados com a pele do paciente, atentar as mudanças de decúbito, protegê-lo contra quedas e verificar sangramentos.
Pacientes masculinos acometidos com câncer de mama
O câncer de mama masculino é um tipo raro de câncer que afeta o tecido mamário do homem e pode espalhar-se para outras partes do corpo. Apesar de a doença atingir, principalmente, mulheres, nos homens ocorre em menor quantidade – um caso diagnosticado para cada 100 casos em mulheres. Não existe uma única causa, porém entre os fatores de riscos estão a idade, fatores genéticos/ hereditários, problemas endócrinos, obesidade, tabagismo, entre outros. 
As manifestações clínicas do câncer de mama causam alterações nessa região. Tanto em homens quanto mulheres. Algumas delas são: Protuberância ou inchaço, geralmente (mas nem sempre) indolor; Pele ondulada ou enrugada; Retração do mamilo; Vermelhidão ou descamação da pele da mama ou do mamilo; Inchaço nos linfonodos axilares; Coceira frequente. O diagnóstico é composto por exame físico completo, com uma avaliação minuciosa das mamas e axilas a fim de detectar possíveis caroços ou outros problemas de saúde. Se o médico suspeitar de alguma irregularidade, serão solicitados exames de imagem, de laboratório e biópsias, para confirmação diagnóstica e estadiamento da doenças.
O tratamento do câncer de mama em homens é semelhante ao feminino e começa pelo exame de toque na mama, mamografia, consultas a médicos especializados e depois de detectado a solução é a cirurgia e de acordo com o estágio do câncer são sugeridos alguns tratamentos como a quimioterapia e a radioterapia. A cirurgia está indicada para praticamente todos os casos. No homem, devido ao pequeno volume mamário, a cirurgia consiste na retirada da mama e na realização de biópsia de um gânglio axilar, para avaliar a extensão da doença. Na presença de comprometimento axilar, realiza-se também a retirada de linfonodos axilares. Quanto mais cedo for iniciado o tratamento, menor a extensão da cirurgia e menor a necessidade de receber quimioterapia e radioterapia. 
Apesar de não haver uma forma concreta para prevenir o câncer de mama, manter uma vida saudável pode diminuir os riscos de desenvolver tal patologia. Sobretudo, a melhor prevenção é procurar rapidamente um médico assim que perceber algum sinal suspeito. O diagnóstico precoce é importante para evitar que o câncer se espalhe pelo corpo e dificulte o tratamento. No que diz respeito ao câncer de mama, a conduta do enfermeiro é desempenhar um papel social, planejando e executando ações educativas dirigidas a eliminação ou controle dos riscos, conscientizando sobre a importância do autoexame e ensinando a população com seu conhecimento científico, numa linguagem que

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.