GAMETOGÊNESE
8 pág.

GAMETOGÊNESE


DisciplinaEmbriologia Comparada38 materiais478 seguidores
Pré-visualização2 páginas
David Balbino Pascoal \u2013 Medicina 1			21/05/18
				 GAMETOGÊNESE
Processo de formação e desenvolvimento das células germinativas especializadas, ou seja, os gametas;
0 espermatozoide e o ovócito, gametas masculino e feminino, respectivamente, são células sexuais altamente especializadas que contêm metade do número de cromossomos presentes nas células somáticas que, por sua vez, foram reduzidos durante a meiose;
Um cromossomo é definido a partir da presença de um centrômero, uma constrição do cromossomo.
Meiose:
Permite a constância do número cromossômico de geração a geração pela redução do nível cromossômico de diploide para haploide;
Permite o arranjo aleatório dos cromossomos maternos e paternos entre os gametas;
Crossing-Over: recombinação gênica. 
 
Ovogônias já formou ovócito antes do nascimento
ESPERMATOGÊNESE:
Sequência de eventos pelos quais espermatogonias são transformadas em espermatozoides maduros;
Dura cerca de 2 meses;
Epitélio Sui Generis: epitélio formado por células que possivelmente formaram espermatogonias e que estão na lâmina basal. 
Gonócitos são células primordiais diferenciadas advindas do epiblasto que darão origem (desde o desenvolvimento embrionário) as espermatogonias;LEYDIG
Inicia-se na puberdade com as espermatogonias que estavam quiescentes nos túbulos seminíferos dos testículos desde o período fetal que, agora, aumentam em tamanho pela ação de hormônio hipofisários;
Espermatogonias
Espermatócitos primários (maiores células germinativas nos túbulos seminíferos)
Sofrem divisão reducional (primeira meiose)
Dois Espermatócitos secundários HAPLOIDES (metade do tamanho dos primários)
2ª Divisão meiótica 
Quatro Espermátides (Haploides) (metade dos secundários)
Espermiogênese
Espermátides gradualmente transformadas em Espermatozoides maduros;
Espermatogênese concluída: Espermatozoides na luz dos túbulos seminíferos;
Células de Sertoli:
Células Somáticas (únicas) localizadas na lâmina basal;
Revestem os túbulos seminíferos e dão suporte e nutrição para as células germinativas e podem estar envolvidas no processo de espermatogênese.
Fator de crescimento dos túbulos seminíferos;
Possível presença de actina para dar motricidade as multiplicações e ejeções celulares;
Fagocitose;
ESTIMULADOS PELO FSH;
Células de Leydig:
Localizadas no interstício (fora), produzem a TESTOTERONA;
Ricas em REL;
ESTIMULADOS PELO LH;
Maturação: Dos túbulos seminíferos os espermatozoides vão para o epidídimo
Ducto longo e espiralado localizado na borda posterior dos testículos e que é contínuo ao ducto deferente (que faz o transporte para a uretra).
Espermatozoide:
Célula ativamente móvel que nada livremente e é formado por cabeça, cauda e colo (formada pela junção dos outros);
Cabeça: 
Maior parte;
Acrossomo (2/3 anteriores) (originado do C. Golgi, contém várias enzimas que facilitam a penetração na corona radiata e na zona pelúcida);
Calda: 
Peça intermediária: contém mitocôndrias que fornecem ATP necessária à atividade;
OVOGÊNESE:
Sequência de eventos pelos quais as ovogônias são transformadas em ovócitos maduros.
Inicia-se antes do nascimento e é completado depois da puberdade continuando-se até a menopausa;
MATURAÇÃO PRÉ-NATAL:
Fase inicial: Ovogônias se multiplicando por mitose;
Ovogônias crescem para formar o ovócito primário ANTES DO NASCIMENTO;
Tecido conjuntivo circunda os ovócitos primários e formam uma única camada de células epiteliais foliculares achatadas:
Ovócitos Primários + Células Epiteliais= FOLÍCULO PRIMORDIAL 
Crescimento na puberdade, crescimento do ovócitos primários e células foliculares epiteliais se tornam cuboides e, depois, colunares:
Ovócitos primários + Células colunares = FOLÍCULO PRIMÁRIO 
Ovócito Primário envolvido por uma camada de material glicoproteico acelular e amorfo: ZONA PELÚCIDA.
Ovócitos Primários iniciam a primeira divisão meiótica antes do nascimento, mas com prófase incompleta até a adolescência;
Secreta-se, possivelmente, um \u201cinibidor da maturação do ovócito\u201d que mantém o processo meiótico do ovócito;
MATURAÇÃO PÓS NATAL:
Iniciando-se durante a puberdade, geralmente um folículo amadurece a cada mês e ocorre a ovulação, exceto quando se usa contraceptivos orais;
A divisão prolongada da primeira divisão meiótica (até os 45 anos) pode ser responsável, em parte, pela grande frequência de erros meióticos, tais como a não disjunção que ocorre com aumento da idade materna. Afinal, ovócitos primários em prófase suspensa são vulneráveis aos agentes ambientais como a radiação.	
Com a maturação do folículo (local ondes estão \u201cguardados\u201d os ovócitos primários), o Ovócito primário aumenta em tamanho e, imediatamente antes da ovulação, completa essa primeira divisão meiótica para dar origem a um secundário e ao primeiro corpo polar;
Divisão do citoplasma é irregular e desigual;
Ovócito secundário recebe quase todo o citoplasma ao passo que o corpo polar recebe pequena quantidade;
Corpo Polar: célula pequena, não \u201cfuncional \u201cque logo se degenera;
Na ovulação, o Ovócito secundário inicia a sua segunda divisão meiótica, mas É INTERROMPIDO na metáfase e só contínua sua divisão se fecundado.
Fecundando-se, surge o ovócito fecundado (com maior parte do citoplasma) e outro corpo polar (com pouco citoplasma); 
DIFERENÇA DO FEMININO DO MASCULINO
Não se forma mais nenhum ovócito primário depois do nascimento. Eles permanecem em repouso nos folículos ovarianos até a puberdade.
Não se divide perfeitamente
Ovócito grande e imóvel
Camadas Circunvizinhas 
Vitelo
 
CICLOS REPRODUTIVOS FEMININOS:	
Ciclos reprodutivos mensais (sexuais) que preparam a mulher para a gravidez e que envolvem a atividade de:
Hipotálamo \u2013 HORMÔNIO LIBERADOR DA GONADOTROFINA que está na hipófise;
Hipófise
Ovários
Útero
Tubas Uterinas
Vagina 
Glândulas Mamárias
HORMÔNIO LIBERADOR DA GONADOTROFINA estimula a liberação de 2 hormônio 
Hormônio Folículo Estimulante (FSH): Estimula o desenvolvimento de folículos ovarianos e a produção de estrogênio;
Hormônio Luteinizante (LH): atua como DISPARADOR da ovulação (liberação de ovócito secundário) e estimula células foliculares e o corpo lúteo a produzir progesterona.
CICLO OVARIANO:
FSH e LH produzem mudanças cíclicas nos ovários, desenvolvimento dos folículos, ovulação e formação do corpo lúteo.
FSH, durante vários ciclos, promove o crescimento de vários folículos primordiais e folículo primários, entretanto, apenas um se desenvolve até se tornar folículo maduro e se rompe na superfície do ovário, liberando seu ovócito;
DESENVOLVIMENTO FOLICULAR:Crescimento e diferenciação do ovócito primário;
Proliferação das células foliculares;
Formação da Zona Pelúcida;
Desenvolvimento das tecas foliculares;
Com o aumento do folículo primário (ovócito primário + células colunares) o tecido conjuntivo adjacente se reorganiza e forma uma cápsula CHAMADA DE TECAS FOLICULARES;
Diferenciação das TECAS:
Interna: Vascularizada e Glandular. 
Obteve fator de angiogênese fundamental para nutrição folicular.
Externa: Conjuntiva semelhante a uma cápsula.
Surgem em torno das células foliculares, espaços preenchidos por fluido, que coalescem para formar uma única cavidade, O ANTRO que contém o fluído folicular.
Depois disso, denomina-se folículo vesicular ou secundário. 
Ovócito Primário é empurrado para extremidade do folículo onde fica envolvido por um acúmulo de células foliculares, CUMULOS OOFORUS;
Inicia-se o desenvolvimento dos folículos com FSH, mas que, no final, requer LH.
FOLÍCULO EM CRESCIMENTO PRODUZ ESTRÓGENO!!!!!!!!
Hormônio que regula o desenvolvimento e a função de órgãos reprodutivos
OVULAÇÃO
Na metade do ciclo, por influência do LH e FSH, o folículo ovariano sofre um repentino surto de crescimento produzindo uma saliência na superfície do ovário que logo aparece um ponto avascular, O ESTIGMA.
O ovócito secundário e algumas células do cumulus ooforus destacam-se no interior do folículo distendido;