A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
61 pág.
AUXILIAR DE FARMÁCIA E ATENDENTE

Pré-visualização | Página 2 de 15

poderão ser 
devolvidos ao fornecedor (fabricante ou laboratório), através de nota fiscal 
de devolução com os dizeres “mercadorias avariada ou mercadoria 
vencida, visando o descarte”; 
• Não havendo condições para a execução do procedimento acima, o 
farmacêutico responsável deve se dirigir-se a autoridade sanitária; 
• Os medicamentos devem ser armazenados nas estantes, em local que não 
receba luz solar direta; 
• Aos medicamentos termo lábeis – deve-se evitar ao máximo, a exposição a 
qualquer tipo de luz e não permitir o congelamento desses produtos, pois 
perdem sua atividade farmacológica; 
• Os medicamentos controlados (portaria n°344/98) merecem especial 
armazenamento, dados as suas características desse medicamento, sua 
área de estocagem deve ser considerada de segurança máxima (armário 
lacrado). 
• Os medicamentos e demais produtos deverão ser armazenados sobre 
estrados ou prateleiras que permitam a fácil limpeza, evitando com isso; 
que um eventual vazamento líquido estrague outras embalagens.´ 
• Os medicamentos e produtos a serem colocados á venda devem ser 
classificados por ordem de chegada. Para tanto, é necessário o controle de 
estoque este já em dia. Os rótulos e caixas devem ficar cm os dados de 
validade e número de lote visíveis, evitando o vencimento de produtos e 
medicamentos nas prateleiras. 
RECEITA: Prescrição escrita ou datilografada (legível) de medicamentos, contendo orientação de 
uso para o paciente, efetuada por profissional legalmente habilitado, que seja de formulação 
magistral ou de produto industrializado. È um documento legal que autoriza a dispersão de 
medicamentos. Nela deve conter (de forma legível): 
• Identificação do eminente – impresso da instituição ou do profissional, 
contendo nome e endereço; 
• Nome completo do paciente (usuário); 
• Nome do(s) medicamento(s) prescrita sob a forma de denominação 
genérica (DCB- Denominações Comuns Brasileiras), dosagem ou 
concentração, forma farmacêutica, quantidade (em algarismos arábicos e 
por extenso) e posologia (por ex: 1 cp de 12 h em 12h);
 
 
 
 
 
 
• Data de emissão; 
• Assinatura e carimbo do prescritor. 
 
 
SULCATO: Fenda que divide um comprimido ao meio ou em quatros partes. 
CORRELATO: Substância, produto, aparelho ou acessório não enquadrado nos 
conceitos anteriores cujo uso ou aplicação esteja ligado á defesa e proteção da saúde individual 
ou coletiva, á higiene pessoal ou de ambiente, ou afins diagnósticos e analítico; os cosméticos e 
perfumes, e, ainda, os produtos dietéticos, óticos, de acústica médica, odontológicos e 
veterinários. 
3.2 DENOMINAÇÕES DOS MEDICAMENTOS 
Um mesmo medicamento pode ser identificado por seu nome comercial ( ou fantasia 
ou de marca), pela denominação genérica do principio ativo, ou então pelo seu respectivo nome 
químico. 
Nome comercial: È determinado/escolhido pelo laboratório que produz o 
medicamento.È registrado e protegido internacionalmente e identifica um medicamento como 
produto de uma determinada indústria. Um mesmo medicamento pode ser comercializado sob 
muitos nomes de fantasia. 
 
Ex:capoten®/Hipoten® (captopril) 
 
Nome Químico: È o nome dos elementos químicos que compõem a fórmula 
farmacêutica do medicamento. O nome químico do captropil é:L-Proína, 1-(3-mercapto-2metil-1-
oxopropil). Fórmula molecular: C9H15NO3S 
 
Denominação genérica:Ou denominação Comum Brasileira (DCB), é usado para identificar o 
princípio ativo do medicamento, aprovado pela ANVISA ( Agência Nacional de Vigilância 
Sanitária). È o nome oficial do fármaco, que permite reconhecê-lo no país. Ex: Captroil, 
amoxicilina, cefalexina, dimeticona, paracetamol. 
 
Diferença entre Denominação Genérica e Medicamento genérico: 
 
 
 
• Denominação Genérica: Identifica o princípio ativo do medicamento 
• Medicamento Genérico: È o produto farmacêutico similar ao de marca 
primeiramente registrado, com garantia através de testes de qualidade.
 
Portanto: todo medicamento tem uma denominação genérica, mas nem todo medicamento 
tem o seu genérico 
 
Aspectos gerais sobre medicamentos 
 
Remédio: È um termo amplo, que designa recursos terapêuticos tais como: Repouso, 
psicoterapia, Fisioterapia, acupuntura, massagem, reza, carinho, benzedura, atenção, cirurgia e 
outros utilizados para auxiliar o corpo a reagir ás doenças ou a seus sintomas. EX: O soro caseiro 
é o remédio mais eficiente para evitar a designação e constitui um dos maiores avanços de 
terapêutica neste século, mas não é um medicamento, nem pode legalmente ser comercializado. 
 
Medicamentos: “Qualquer substância/princípio ativo num produto farmacêutico 
tecnicamente obtido ou elaborado com finalidade profilática, curativa paliativa ou para fins 
diagnósticos em beneficio do receber”. 
 
3.3- SIGNIFICADO DAS TARJAS DOS MEDICAMENTOS 
 
Os medicamentos são classificados conforme o grau de perigo que o seu pode oferecer á saúde 
do paciente. 
 
Para esta classificação, foi adotado o critério de tarjas (faixas): 
 
• NÃO TARJADOS (OU OTC – OVER-THE-COUNTER: 
MEDICAMENTO DE VENDA LIVRE); 
• TARJA VERMELHA SEM RETENÇÃO DA RECEITA; 
• TARJA VERMELHA COM RETENÇÃO DA RECEITA; 
• TARJA PRETA; 
• TARJA AMARELA; 
 
1. Não tarjados (ou OTC- over-the-counter/medicamentos de venda livre) 
São aqueles que não necessitam da prescrição médica. São medicamentos com poucos 
efeitos colaterais ou contra-indicações, desde que usados corretamente e sem abusos. 
Tais medicamentos dispensados sem a prescrição médica são utilizados para o tratamento 
de sintomas ou malas menores, como: resfriados, azia, má digestão, hemorróidas, varizes, 
dor de dente,pé de atleta e outras. 
O termo OTC vem do idioma inglês que significa “over the counter”, ou seja, “sobre 
o balcão”, Porém, Vale ressaltar que esses produtos, estão isentos de prescrição médica 
porque a instância sanitária reguladora federal considerou que suas características de 
toxicidade apontam para inocuidade ou são significativamente pequenas, Sua utilização 
deve ser feita dentro de um conceito de automedicação responsável. 
2. Tarja vermelha sem retenção da receita 
 
 
Normalmente são vendidos mediante a apresentação da receita, Estes medicamentos 
têm contra-indicações e podem provocar efeitos colaterais graves.Na tarja vermelha está 
impresso:
 
3.4 VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA 
 
3.Tarja vermelha com retenção da receita 
 
São os medicamentos que necessitam retenção da receita, conhecidos como 
medicamentos controlados (psicotrópicos), Só podem ser vendidos com receituário especial de 
cor branca. Na tarja vermelha está impresso: 
 
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA- SO PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DE 
RECEITA 
 
4. Tarja Preta 
 
São os medicamentos que exercem ação seletiva ou que ativam o sistema nervoso 
central, portanto também fazem parte dos chamados psicotrópicos Só podem ser vendidos com 
receituário especial de cor azul. Na tarja vem impresso: 
 
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA – O ABUSO DESTE MEDICAMENTO PODE CAUSAR 
DEPENDÊNCIA 
 
5. Tarja Amarela 
 
Esta tarja deve constar na embalagem dos medicamentos genéricos e deve conter a 
inscrição “G” e “medicamentos Genérico “, escrito (geralmente) em azul. 
 
Medicamentos genéricos: o medicamento genérico é aquele que contém o mesmo 
fármaco (princípio ativo), na mesma dose e forma farmacêutica. È administrado pela mesma via, 
com a indicação terapêutica e segurança que o medicamento de referência no país, podendo este 
ser intercambiável. O ministério da saúde através da ANVISA, avalia os testes de bioequivalência 
entre o genérico e seu medicamento de referência, apresentado pelos fabricantes para 
comprovação da

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.