A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
76 pág.
TCC AMANDA FORGIARINI BALEM

Pré-visualização | Página 9 de 14

da obra, Eastman et al. (2014) encontraram como resultado 
alguns atrasos, causados pelo detalhamento inadequado e erros no modelo 3D. 
Apesar disso, relataram que o empreendimento obteve muito sucesso, já que a 
produtividade foi de 15 a 30% acima do padrão da indústria. 
Na concepção do novo Centro de Alfabetização Springfield, na Pensilvânia, a 
metodologia BIM, foi a opção escolhida para o desenvolvimento dos projetos da 
edificação. A equipe de análise de desempenho, que avaliou a implementação do 
BIM, revela que a interoperabilidade provou ser uma chave para a produtividade e 
que os softwares utilizados permitiram uma troca eficiente de informações com o 
BIM, evitando redundâncias. Os resultados obtidos também dizem respeito a relação 
projetista versus cliente, uma vez que a comunicação entre ambos foi melhorada, 
devido à existência de um “feedback” do cliente, o qual é colocado no modelo de 
projeto e alterado em tempo real. O autor concluiu que, a melhoria na comunicação 
e a capacidade de evitar onerosas revisões de projeto ao final do cronograma, em 
38 
 
um ambiente integrado, melhorou significativamente a produtividade e garantiu a 
qualidade dos serviços executados (SMARTMARKET REPORT, 2008). 
Outro trabalho realizado com a utilização da metodologia BIM foi o da 
Universidade do Colorado – Denver Health Sciences Center, conforme ilustra a 
figura 6. Esta pesquisa fez uma comparação com duas torres construídas por 
diferentes contratantes e, portanto, diferentes metodologias, sendo possível 
comparar seus desempenhos. A plataforma BIM foi usada ao longo das fases do 
projeto e planejamento da torre 2. Uma vez que o modelo de construção BIM 
começou a tomar forma, verificou-se um planejamento eficiente e uma significativa 
economia de tempo. Além disso, notou-se uma maior velocidade na revisão de 
projetos para posterior aprovação permitindo um adiantamento dos serviços a serem 
realizados na obra e assim, otimizando o cronograma. A otimização resultou em dois 
meses de adiantamento para o final da construção da torre 2, que ainda foi 
concluída 6 meses antes do término da construção da torre 1. Uma comparação 
entre as duas torres, evidenciou o fato de que mais decisões foram tomadas no 
início do projeto na torre 2, que evitou a existência de posteriores inconsistências e, 
portanto, retrabalhos, que geram custos e tempo não previsto (SMARTMARKET 
REPORT, 2009). 
 
 
 
Figura 6 - Torre 2, Aurora, Colorado (SMARTMARKET REPORT, 2009) 
39 
 
Com base na revisão bibliográfica realizada em trabalhos com a aplicação da 
metodologia BIM em estudos de caso, é perceptível que, o sistema tem trazido boas 
expectativas de economia de tempo e recursos, porém torna-se difícil mensurar os 
resultados concretos, isto é, de uma maneira objetiva. Isso acontece devido ao fato 
da implantação do BIM ser muito recente na maioria das empresas, sendo difícil 
fazer o levantamento de dados que quantifiquem seus benefícios. Apesar disso, a 
plataforma BIM, segundo autores dos estudos acima citados, revela-se um 
promissor modelo de desenvolvimento de projetos, cronogramas e orçamentos, com 
um grande potencial de aplicabilidade em todos setores da construção civil. Esse 
potencial é comprovado pela entrevista realizada pela Editora PINI em 2013 com 
588 participantes das áreas de construção e projeto, em que 90% dos entrevistados 
pretende usar a tecnologia BIM em até 5 anos. 
 
3.7 Software Revit: o que é, como funciona e como pode revolucionar a 
engenharia 
 
Hoje tem-se disponíveis no mercado, além do Revit, softwares BIM de várias 
empresas, como por exemplo, o ArchiCad da Graphisoft, o Bentley Architecture da 
Bentley Systems e o VectorWorks da Nemetscheck sendo que todos permitem a 
exportação com um formato de arquivos de dados de arquitetura aberta, uma 
linguagem comum para que haja troca entre os diversos modelos, conhecida como 
IFC (Industry Foundation Classes). O Revit é um dos softwares disponíveis no 
mercado para design de projeto mais difundidos (VENDRAMINI, 2012) que foi 
desenvolvido para a Modelagem da Informação da Construção, o qual inclui 
recursos para projeto de arquitetura, de engenharia estrutural e de construção. 
Produzido pela Autodesk em 2000, a plataforma Revit consiste em um sistema de 
modelagem e documentação de projetos, que contém desenhos e tabelas 
necessários para a construção de uma edificação (CADS, 2015). 
A figura 7, retirada do próprio site da Autodesk, representa as etapas que 
compõe a plataforma BIM no ciclo de vida das edificações. Faz parte desse ciclo de 
vida o programa de necessidades, a etapa de projeto conceitual em 3D, os projetos 
detalhados, as análises térmicas, acústicas etc., a burocracia da documentação, a 
fabricação dos produtos necessários para a construção, a modelagem 4D, ligada ao 
cronograma da obra, a modelagem 5D ligada diretamente ao orçamento da 
40 
 
edificação. Dá-se início, então, à construção propriamente dita e, após isso, à fase 
de modelagem 6D, contemplando a operação e manutenção do empreendimento. 
Ainda há a fase de demolição e renovação, fechando o ciclo. Dessa forma, o 
fluxograma traduz o funcionamento de uma plataforma BIM, através do software 
Revit da Autodesk. 
 
 
Figura 7 – Fluxograma BIM (Autodesk Revit, 2016) 
 
Para a integração de todos os projetos, a Autodesk criou além do Revit 
Architecture de modelagem 3D, o Revit MEP de instalações Hidráulicas e elétricas, 
Revit Structure de estruturas e Revit LT que é um software econômico de BIM. 
Nesses modelos, todas as folhas de desenhos, vistas 2D e 3D e tabelas consistem 
em representações das informações do modelo de construção. Ou seja, enquanto se 
utiliza as tabelas e desenhos, automaticamente o Revit coleta essas informações 
sobre o projeto e distribui as mesmas para as outras representações. Dessa forma o 
mecanismo de alteração paramétrica do Revit dispensa o trabalho manual. 
O programa é dividido em famílias de objetos da construção como, por 
exemplo, paredes, pisos, portas, etc. Cada elemento desses, tem suas propriedades 
paramétricas fixas, onde o usuário pode somente modificar valores. Porém, em 
alguns casos de elementos com fórmulas embutidas que remetem a um 
comportamento do objeto modelado, dizemos que o elemento é inteligente, porque 
age conforme a parametrização definida pelo usuário anteriormente. 
41 
 
Além dessas características da plataforma, há ainda mais facilidades como a 
identificação de quais elementos devem ser representados com espessuras grossas, 
médias e finas, a alteração automática conforme a mudança da escala, das alturas 
de textos, cotas e símbolos, execução automática de cortes e fachadas conforme 
comando do projetista e a nomeação e numeração automática dos desenhos nas 
pranchas. Ainda é possível gerar, automaticamente, maquetes eletrônicas com foto 
realismo e animação gráfica. A figura 8 representa o layout do software Revit 2013: 
 
 
 
Figura 8 – Layout do Revit 2013 (Revit, 2013). 
 
Mesmo com todos os benefícios, o software ainda possui elevado custo, 
tornando-se oneroso para algumas empresas, o que acaba por dificultar a 
implantação devido ao custo, ao tempo de implementação e aprendizado e à cultura 
enraizada da utilização do AutoCAD nos escritórios. Porém, o valor do software 
consegue repor, em pouco tempo, o investimento colocado sobre ele (JUSTI, 2008). 
O gráfico 8, ainda de acordo com Justi (2008), representa o efeito do uso dos 
softwares versus o esforço de uso, na comparação do Revit, com AutoCad e 
AutoCad Architeture. Logo se percebe que com a utilização do Revit obtem-se mais 
efeito com menos esforço, ou seja, mesmo que