ÓRTESES E PRÓTESES
10 pág.

ÓRTESES E PRÓTESES


DisciplinaFundamentos da Fisioterapia124 materiais1.014 seguidores
Pré-visualização2 páginas
FACULDADE OSMAN DA COSTA LINS
FUNDAMENTOS DA FISIOTERAPIA
ÓRTESES E PRÓTESES
Trabalho apresentado pela aluna 
CRISTIANE ISABEL DE SOUSA OLIVEIRA
Do curso de Fisioterapia 1° Período \u2018C\u2019 
Professor Athos .
 Vitória de Santo Antão , maio de 2015
ÓRTESES
 Dispositivo permanente ou transitório, utilizado para auxiliar as funções de um membro, órgão ou tecido, evitando deformidades ou sua progressão e/ou compensando insuficiências funcionais. 
 Órteses estão disponíveis para a imobilização, mobilização, correção, alívio e estabilização do corpo ou membro afeado. Com uma órtese, uma região do corpo afetada pode ser totalmente imobilizado ou também movimentado em um processo controlado. É possível utilizar órtese para corrigir a postura e o movimento também. Órteses neurologicas especializadas são capazes de compensar as funções do corpo perdidas (como por exemplo a paralisia parcial dos membros). Isto inclui paralisia completa ou parcial das pernas ou braços, por exemplo como resultado de um acidente vascular cerebral "AVC" ou devido a Poliomielite. Órteses são prescritas por um médico a´pos um exame detalhado. O ideal é que o produto correto seja escolhido em conjunto entre o médico e o técnico ortopédico. 
Órteses são geralmente fabricadas usando materiais rígidos comparadas com os elementos de suporte funcional tais como correrias, barras ou articulações. 
Órtese de reabilitação
 O principio médico básico de uma órtese de reabilitação é a estabilização de uma articulação. Os receptores musculares também são estimulados. Além disso, o material têxtil garante compressão controlada na região afetada e massagem fornecida por almofadas (cápsulas elásticas que estão integradas na órtese) ajudam a aliviar edema, derrame e hematomas. Órteses de reabilitaçao sao prescritas por médicos após um exame detalhado. O ideal é que o produto correto seja sempre escolhido em conjunto entre o médico e o técnico ortopédico.
Ao contrário das órteses neurológicas, as órteses de reabilitação são geralmente fabricadas com materiais têxteis mais flexíveis, em combinação com as almofadas.
As Órteses podem ser: 
Interna ou implantada: (Ex: material de sutura e de síntese,material de ósteossíntese, instrumental para estabilização e fusão de coluna, marca-passo implantado, bomba de infusão implantada, etc) 
Externa ou não implantada (Ex: bengalas, muletas, coletes, colares cervicais, aparelhos gessados, tutores, andadores, aparelhos auditivos, óculos, lentes de contato, aparelhos ortodônticos, etc)
Implantada total ou parcial por ato cirúrgico ou percutâneo (Ex: fixadores externos, stents, drenos, etc). 
Membros inferiores - Flexibilidade no movimento
As órteses curtas e plantares mantêm a funcionalidade de articulação do tornozelo em pacientes com seqüelas espásticas ou flácidas.
A confecção envolve materiais de espessuras e tipos diferentes - da fibra de carbono ao polipropileno (termoplástico moldável) - conforme o peso e a atividade do usuário.
Dentre os tipos de órteses que contribuem para a influência direta sobre a articulação no tornozelo estão: supra, maleolar (SMO), rígido, semi-rígido, dinâmico e articulado.
Membros inferiores - Órteses com estabilização
As órteses específicas longas, com ou sem cinto pélvico para as articulações do pé, tornozelo, e articulação do joelho mantêm o padrão de marcha harmonioso.
Esta característica proporciona alta estabilidade e segurança,a lém de ser facilmanente aplicada.
Na classificação de distal a proximal as órteses são confeccionadas sob medida e personalizadas após uma série de minunciosos exames, sendo assim atendem a todos os tipos de problemas, desde traumatismos leves até patologias graves.
Dentre os modelos há: trava em anel, suíça, livre e policêntrico.
Membros superiores 
Estáticas ou dinâmicas, as órteses de membros superiores são confeccionados para diferentes patologias dolorosas, como em pós-operatórios, lesões em fase aguda, obtenção de amplitude de movimento (ADM) e repouso.
Propiciam o máximo de conforto, funcionalidade e eficácia por conta de seu material especial e , perfeito encaixe anatômico.
As órteses são usadas e mantidas por um período determinado, mas podem ser modificadas de acordo com a evolução do quadro do usuário, para que ele tenha melhoria de seu bem-estar.
Tronco - Postura adequada
Melhor s postura do paciente vítima de acidente ou desvio na coluna .
A tecnologia empregada propicia o melhor posicionamento da cervical, da cifose torácica e lordose lombar. Além disso, contribui para a estabilização intervertebral, ajustamento de uma postura correta, sem mobilizar articulações de forma desnecessária.
Tudo para que o ajuste resulte em um alinhamento cervical e pélvico perfeito, independente do caso.
PRÓTESES
 Dispositivo permanente ou transitório que substitui total ou parcialmente um membro, órgão ou tecido.
Podendo ser:
Interna ou Implantada (Ex: prótese articular, prótese não convencional para substituição de tumor, coração artificial, válvula cardíaca, ligamento artificial, etc);
Externa ou não implantada (Ex: prótese para membro);
Implantada total ou parcial por ato cirúrgico ou percutâneo (Ex: implante dentário, pele artificial);
Estética, quando mantém apenas a forma e a estética (Ex: prótese ocular, prótese mamária, cosmética de nariz).
 O nome \u201cprótese\u201d vem do grego prothesis (pro: no lugar de e tithemi: eu coloco).
As próteses utilizadas em cirurgia ortopédica têm geralmente por objetivo, repor (em parte ou em totalidade) uma articulação desgastada e dolorida.
A prótese é uma articulação artificial, composta por peças mecânicas sintéticas (implantes protéticos) da mesma forma que a articulação.
Ela devolve na medida do possível, as mesmas funções que uma articulação natural (mobilidade, estabilidade, etc.).
A intervenção cirúrgica de substituição articular por uma prótese é chamada de "artroplastia".
O Que É Uma Prótese Total ?
 Uma prótese é total quando ela substitui todos os componentes da articulação.
Nós chamamos de prótese total por oposição à prótese parcial. Ela se compõe de várias peças mecânicas.
Para a cabeça do fêmur, a prótese total vai substituir os dois componentes articulares formando a articulação da cabeça do fêmur: a cabeça do fêmur que é esférica, e a parte côncava do quadril no qual ela é encaixada, damos o nome de acetábulo.
Em certos casos (fratura da extremidade superior do fêmur), somente a cabeça do fêmur é substituída; nós chamamos então de prótese parcial (prótese femoral); o acetábulo fica em seu lugar e não é modificado. 
Uma prótese é indicada quando você sofre com uma articulação muito desgastada. Nenhum meio atualmente disponível permite reparar uma articulação desgastada.
Quando as dores persistem mesmo com o tratamento médico (medicamentos, infiltrações, reeducação), a substituição protética é a única solução.
Quando A Hora De Colocar Uma Prótese É Indicada ?
A prótese articular é indicada quando o desgaste da articulação acarreta dores que não são mais melhoradas pelo tratamento médico, e que as dificuldades aumentam. Esta dor e o incômodo aos movimentos que constituem os elementos determinantes da intervenção e que os fixam o momento.
Este pedido introduz um componente subjetivo forte. É então necessário incluir os elementos objetivos a fim de avaliar a importância da dor, do incômodo aos movimentos sobre a qualidade de vida.
Esta noção de qualidade de vida é muito pessoal e leva em conta vários aspectos: as atividades profissionais, a vida familiar, a vida íntima, as atividades quotidianas, as atividades físicas e de lazer, o retardo psicológico...é igualmente importante verificar o grau de desgaste da articulação e medindo notadamente a altura residual da cartilagem (pinçamento articular) sobre as radiografias. É preciso levar em conta o modo de evolução (dor), a eficiência dos tratamentos e sua
Lorenna
Lorenna fez um comentário
Você pode enviar para meu e-mail?
0 aprovações
Carregar mais