A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
61 pág.
Licitações e Contratos Administrativos

Pré-visualização | Página 6 de 24

mas as
quantidades a serem adquiridas e a ocasião em que ocorrerá a aquisição dependerão
das conveniências da Administração. Uma vez decidida a contratar, a Administração
verificará se os preços registrados são compatíveis com os praticados no mercado. Em
caso positivo, realizará as aquisições com eficiência, rapidez e segurança. O licitante
não poderá se negar a contratar (desde que o contrato se compatibilize com os limites
estabelecidos no ato convocatório). Mais ainda, podem ocorrer diversas contratações
tomando por base o registro, de modo que a licitação não se exaure com uma única
contratação. No sistema de registro de preços, a principal diferença reside no objeto
da licitação. Usualmente, a licitação destina-se a selecionar um fornecedor e uma
proposta para uma contratação específica, a ser efetivada posteriormente pela
Administração. No registro de preços, a licitação destina-se a selecionar fornecedor e
proposta para contratações não específicas, seriadas que poderão ser realizadas
durante um certo período, por repetidas vezes. A proposta selecionada fica à
disposição da Administração que, se e quando desejar adquirir, valer-se-á dos preços
registrados, tantas vezes quantas desejar (dentro dos limites estabelecidos no ato
convocatório).”
Segundo as disposições contidas no mencionado Decreto, tem-se, ainda, as seguintes
definições:
Ata de Registro de Preços - documento vinculativo, obrigacional, com característica de
compromisso para futura contratação, onde se registram os preços, fornecedores, órgãos
participantes e condições a serem praticadas, conforme as disposições contidas no instrumento
convocatório e propostas apresentadas;
Órgão Gerenciador - órgão/entidade responsável pela condução do conjunto de
procedimentos do certame para registro de preços e gerenciamento da respectiva Ata de Registro de
Preços; e
6 Decreto n.º 3.931/2001, art. 1.º, parágrafo único, I.
Órgão Participante - órgão/entidade que participa dos procedimentos iniciais do SRP e
integra a Ata de Registro de Preços.
A utilização preferencial do SRP ocorrerá nas seguintes hipóteses:
⇒ necessidade de contratações freqüentes (em razão das características do objeto);
⇒ conveniência para aquisição com previsão de entregas parceladas;
⇒ contratação de serviços necessários à Administração para o desempenho de suas
atribuições;
⇒ conveniência para contratação destinada a atender mais de um órgão/entidade, ou a
programas de governo;
⇒ - dificuldade em definir previamente quantitativos a serem contratados (em
razão da natureza do objeto).
Pode ser utilizado para contratação de bens/serviços de informática, obedecida a
legislação vigente (necessita justificar e caracterizar a vantagem econômica).
Será realizado na modalidade de concorrência ou de pregão, do tipo menor preço,
precedido de ampla pesquisa de mercado. Excepcionalmente, poderá ser adotado o tipo técnica e
preço, na modalidade de concorrência, a critério do órgão gerenciador e mediante despacho
fundamentado da autoridade máxima do órgão/entidade.
TIPOS DE LICITAÇÃO
São critérios utilizados para o julgamento do procedimento licitatório. A Lei n.º 8.666/93
estabeleceu os seguintes tipos de licitação:
TIPOS DE LICITAÇÃO 
TIPO DESCRIÇÃO
I – menor preço 
O vencedor será o licitante que apresentar a proposta com o menor preço, dentre os
licitantes considerados qualificados. A classificação se dará pela ordem crescente dos
preços propostos.
II - melhor técnica
III – técnica e preço
A definição do vencedor se dará em função de critérios técnicos e dos valores contidos
nas propostas. Esses tipos de licitação devem ser utilizados na contratação serviços de
natureza predominantemente intelectual, em especial na elaboração de projetos, cálculos,
fiscalização, supervisão e gerenciamento e de engenharia consultiva em geral e, em
particular, para a elaboração de estudos técnicos preliminares e projetos básicos e
executivos.
IV – maior lance ou
oferta 
O vencedor será o licitante que apresentar a proposta ou lance com o maior preço, dentre
os licitantes qualificados. A classificação se dará pela ordem decrescente dos preços
propostos. Tipo de licitação utilizado nos casos de alienação de bens ou concessão de
direito real de uso.
Procedimentos adotados nas licitações do tipo melhor técnica:
⇒ Deverá haver fixação do preço máximo que a Administração se propõe a pagar;
⇒ Serão abertos os envelopes contendo as propostas técnicas exclusivamente dos
licitantes previamente qualificados e feita então a avaliação e classificação destas
propostas de acordo com os critérios pertinentes e adequados ao objeto licitado. Esses
critérios devem estar definidos com clareza e objetividade no instrumento
convocatório e devem considerar a capacitação e a experiência do proponente, a
qualidade técnica da proposta, compreendendo metodologia, organização, tecnologias
e recursos materiais a serem utilizados nos trabalhos, e a qualificação das equipes
técnicas a serem mobilizadas para a sua execução;
⇒ Uma vez classificadas as propostas técnicas, são abertas as propostas de preço dos
licitantes que tenham atingido a valorização mínima estabelecida no instrumento
convocatório. Em seguida, são negociadas as condições propostas, com a proponente
melhor classificada, com base nos orçamentos detalhados apresentados e respectivos
preços unitários e tendo como referência o limite representado pela proposta de
menor preço entre os licitantes que obtiveram a valorização mínima;
⇒ No caso de impasse na negociação anterior, procedimento idêntico será adotado,
sucessivamente, com os demais proponentes, pela ordem de classificação, até a
consecução de acordo para a contratação;
⇒ As propostas de preços serão devolvidas intactas aos licitantes que não forem
preliminarmente habilitados ou que não obtiverem a valorização mínima estabelecida
para a proposta técnica.
Procedimentos adotados nas licitações do tipo técnica e preço:
⇒ Serão abertos os envelopes contendo as propostas técnicas exclusivamente dos
licitantes previamente qualificados e feita então a avaliação e classificação destas
propostas de acordo com os critérios pertinentes e adequados ao objeto licitado. Esses
critérios devem ser definidos com clareza e objetividade no instrumento convocatório
e devem considerar a capacitação e a experiência do proponente, a qualidade técnica
da proposta, compreendendo metodologia, organização, tecnologias e recursos
materiais a serem utilizados nos trabalhos, e a qualificação das equipes técnicas a
serem mobilizadas para a sua execução;
⇒ Será feita a avaliação e a valorização das propostas de preços, de acordo com critérios
objetivos pré-estabelecidos no instrumento convocatório;
⇒ A classificação dos proponentes far-se-á de acordo com a média ponderada das
valorizações das propostas técnicas e de preço, de acordo com os pesos estabelecidos
no instrumento convocatório.
A utilização do tipo técnica e preço para contratação de bens e serviços de informática:
⇒ Embora o § 4.º, do art. 45, da Lei n.º 8.666/93 fixe a obrigatoriedade de uso do tipo
técnica e preço nas licitações para a contratação de bens e serviços de informática, tal
dispositivo não deve ser interpretado de forma literal. Há contratações desses bens e
serviços que não envolvem aspectos técnicos e que, portanto, poderiam ser licitadas
pelo tipo menor preço. Ratifica essa posicionamento a própria legislação posterior a
Lei n.º 8.666/93, a exemplo do Anexo II, do Decreto n.º 3.555/00, que estabeleceu
como possível a aquisição de computadores e impressoras por meio do pregão,
modalidade que tem como característica