Biografia de Keynes
12 pág.

Biografia de Keynes


DisciplinaFundamentos da Economia15.430 materiais184.891 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Gabriella Costa Gama \u2013 RA00146165
Denis Wellerson de Oliveira \u2013 RA00153832
Sala 127 \u2013 Turma NB2
Economia \u2013 Prof José Geraldo Portugal
INTRODUÇÃO À ECONOMIA II
Biografia de John Keynes
PUC \u2013 SP
2014
Índice
Introdução..........................................................................................................................2
Biografia de John Keynes..................................................................................................3
	
 Vida e Obra de Keynes..........................................................................................3
 Teorias de Keynes................................................................................................7
Conclusão........................................................................................................................10
Bibliografia......................................................................................................................11
Introdução
John Maynard Keynes, economista, \u201cpai\u201d da macroeconomia, nasceu em Inglaterra em 1883. Ele foi, sem dúvida, o mais importante economista da primeira metade do século XX. Seus estudos acerca do funcionamento do sistema capitalista deixaram um grande legado intelectual, influenciando uma vasta gama de pensadores dos mais variados ramos das ciências humanas até os dias atuais.
Em 1936, Keynes publicou o livro mais provocador da sua geração, \u201cA Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda\u201d. Conflitou-se diretamente com o pensamento neoclássico da época, mas levantou questões fundamentais para a reforma do capitalismo após a "Grande Depressão" (Crise de 1929 e recessão dos anos 30). 
Foi John M. Keynes quem primeiro considerou o sistema econômico em seu conjunto e passou a analisar as interações entre as diferentes grandezas da economia nacional.
Biografia de John Keynes
Vida e Obras de Keynes
John Maynard Keynes nasceu em cinco de junho de 1883 na cidade de Cambridge, na Inglaterra, em uma família de classe média alta. Seu pai era professor de Economia e de Ciências Morais na universidade de Cambridge e sua mãe era a primeira prefeita da cidade.
Keynes era um estudante brilhante, estudou no Eton College, que era tradicionalmente frequentado pelos aristocratas, onde se destacou em matemática. Após Eton College, estudou matemática no King's College, da Universidade de Cambridge. Ele fez amizade com os membros do Grupo de Bloomsbury, formado por intelectuais e artistas.
Obteve a sua licenciatura em matemática em 1905, e lá permaneceu por mais um ano para estudar com Alfred Marshall e Arthur Pigou, cujos estudos sobre a teoria quantitativa da moeda levou a Keynes a escrever \u201cTract on Monetary Reform\u201d muitos anos depois (1923).
Após acabar seus estudos, em 1906, Keynes tornou-se funcionário público do India office, e, simultaneamente, dedicou-se a estudar as teorias econômicas ortodoxas, tornando-se especialista nos Princípios Econômicos de Marshall, o qual foi tema de sua Dissertação a Teoria da Probabilidade - muitas vezes durante as horas de expediente - que lhe rendeu uma bolsa de estudos na King's College.
Enquanto estava lá, ele recolheu o material para o seu primeiro livro de economia, \u201cIndian Currency and Finance\u201d, que foi publicado em 1913, o qual descreveu o funcionamento do sistema monetário da Índia.
Em 1908 tornou-se professor da Universidade de Cambridge, onde ficou até 1915. Publicou seu primeiro artigo econômico em 1909, e em 1911 foi editor do \u201cEconomic Journal\u201d, onde permaneceu até 1945, um ano antes de sua morte. Depois tirou uma licença de ausência do cargo de professor para trabalhar para o Tesouro britânico.
A partir de 1916 exerceu diversos cargos no Tesouro Britânico. Durante a Primeira Guerra Mundial, Keynes atuou como conselheiro para o governo. Ele ajudou a negociar um acordo com os credores da Grã-Bretanha (dívida do Reino Unido subiu acentuadamente na Primeira guerra mundial.).
Ao final da Primeira Guerra Mundial, Keynes participou da delegação britânica ao Tratado de Versalhes, que ocorreu na Conferência da Paz, em Paris. Ele ficou surpreso com o nível de reparações que os Aliados queriam impor sobre os alemães. Demitiu-se da delegação britânica dizendo que era uma receita para a falência Alemã.
Keynes escreveu, em 1919, para justificar seu posicionamento, as consequências econômicas da paz, prevendo com precisão as dificuldades que a Alemanha teria com aquele tratado de paz, e profeticamente previu que seria fomentar um desejo de vingança entre os alemães, seu primeiro livro (The Economic Consequences of The Peace), obra com qual ganhou notoriedade nas nações capitalistas. Além de sua excelente análise econômica das reparações, o livro de Keynes contém uma análise criteriosa do Conselho dos Quatro (Georges Clemenceau da França, o primeiro-ministro David Lloyd George da Grã-Bretanha, o Presidente Woodrow Wilson dos Estados Unidos, e Vittorio Orlando da Itália).
Durante os anos entre-guerras, Keynes acumulou uma fortuna pessoal considerável dos mercados financeiros e, como tesoureiro da King's College, melhorou muito a posição financeira da faculdade. Ele se tornou um patrono das artes e membro do conselho de destaque de uma série de empresas.
Um proeminente jornalista e palestrante, Keynes foi frequentador assíduo, em 1907, do chamado grupo de Bloomsbury, nome do bairro em que residia a escritora, ensaísta e editora britânica Virginia Woolf e em cuja casa reuniam-se destacados intelectuais londrinos, como o romancista britânico Edward Morgan Forster, o poeta, dramaturgo e crítico Thomas Stearns Eliot, e o matemático e filósofo Bertrand Russell.
Na década de 1920, Keynes permaneceu afastado dos cargos oficiais. Ele era um crítico temível da Grã-Bretanha. Argumentou que o elevado valor da libra esterlina tornou a vida difícil para os exportadores britânicos e essa foi a principal razão para a deflação e o alto desemprego que o Reino Unido experimentou na década de 1920.
Acreditava na Teoria Quantitativa da Moeda. Seus escritos sobre o tema foram essencialmente construídos sobre os princípios que tinha aprendido com seus mentores, Alfred Marshall, que foi seu professor em Cambridge, e Arthur Cecil Pigou.
Em 1923 Keynes escreveu \u201cTract on Monetary Reform\u201d, e, mais tarde, ele publicou \u201cTreatise on Money\u201d, ambos na política monetária. Sua grande visão política era que o caminho para estabilizar a economia é estabilizar o nível de preços, e que para isso o banco central do governo deve reduzir as taxas de juros quando os preços tendem a subir e criá-los quando os preços tendem a cair. Em 1926, casou-se com Lydia Lopokova, bailarina russa, uma das estrelas do Ballets Russes de Serguei Diaguilev.
Foi a Grande Depressão que, diante do grande desemprego, entre 1929 e 1939, deu a Keynes a oportunidade de afastar-se da economia ortodoxa e de menosprezar e desafiar a ortodoxa clássica que dominou a teoria econômica da época. Passou então a analisar a necessidade de intervenção do Estado no mercado.
Keynes publicou sua mais importante obra em 1936, \u201cTeoria Geral do Emprego, Juro e da Moeda\u201d, e com ela tornou-se referência para o pensamento econômico futuro. Nela ele aponta o caráter intrinsecamente instável do sistema capitalista. Ele também garantiu sua posição como o economista mais influente da Grã-Bretanha.
A Teoria Geral do Emprego, Juro e da Moeda de Keynes revolucionou o modo que os economistas pensam sobre a economia. Foi pioneiro em vários aspectos, em particular porque ele introduziu a noção da demanda agregada como a soma do consumo, investimento e gastos do governo, e porque mostrou que o pleno emprego poderia ser mantida apenas com a ajuda dos gastos do governo. Keynes acreditava que uma vez que o pleno emprego tinha sido atingido pela política fiscal medidas, o mecanismo de mercado poderia, então, operar livremente.
As suas teorias macroeconômicas e a sua defesa pela criação de uma entidade