Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
36 pág.
aula 1 PSICOLOGIA APLICADA AO DIREITO

Pré-visualização | Página 1 de 2

Psicologia Aplicada ao Direito
PSICOLOGIA JURÍDICA
Curso de Direito
Maria de Fátima Casa Nova
O que é Psicologia?
 
Um breve percurso histórico...
Psicologia como estudo do ser humano. 
 A definição de psicologia pode ser dada por sua origem grega: Ψυχολογία =	Psyche	+ logia. 
Psyche quer dizer alma ou mente e também era o nome da Deusa Psiquê, onde, na mitologia grega era esposa de Eros, o nosso famoso cupido
Para Aristóteles, o mundo é dividido em orgânico e inorgânico, sendo o orgânico que encerra em si a capacidade de se transformar. Afirma, ainda, a alma como a essência do ser humano. Isto é, a função do homem é a atividade da sua alma que segue ou implica um princípio racional, justificando sua afirmação de que o homem é um ser racional. 
Descartes foi outro importante nome na história da Psicologia Moderna. Sua maior contribuição funda-se na tentativa de resolução do problema mente-corpo, que era uma questão controversa e que perdurava desde o tempo de Platão. Descartes rompeu com o ideal monista de corpo e mente como uma só entidade e trouxe a posição dualista, na qual corpo e mente são entidades de naturezas distintas.
Após Descartes, a Ciência Moderna e a Psicologia alavancaram e, em meados do século XIX, o pensamento europeu foi impregnado por um novo espírito: o Positivismo e Auguste	Comte foi o grande responsável por essa concepção. 
Surgia na Europa, com John	Locke, o pensamento empirista. Esta foi definida pelo filósofo inglês John Locke no século XVII. Argumentou que a mente seria, originalmente, um “quadro em branco” (tábula rasa), sobre o qual é gravado o conhecimento, cuja base é a sensação. Todo o processo do conhecer, do saber e do agir é aprendido pela experiência, pela tentativa e erro. 
Wilhelm Maximilian Wundt foi um médico, filósofo e psicólogo alemão. É considerado um dos fundadores da moderna Psicologia experimental junto com Ernst Heinrich Weber e Gustav Theodor Fechner. Nasceu em 1832 e faleceu em 1921, na Alemanha.
William James foi um dos fundadores da Psicologia Moderna e importante filósofo ligado ao pragmatismo; formado como médico. Nasceu em Nova Iorque, EUA, em 11 de janeiro de 1842, e faleceu em Nova Hampshire, EUA, em 26 de agosto de 1910.
O primeiro laboratório psicológico foi fundado pelo médico alemão Wilhelm Wundt, em 1879, em Leipzig, na Alemanha. 
Seu interesse se havia transferido do funcionamento do corpo humano para os processos mais elementares de percepção e a velocidade dos processos mentais mais simples. Esse laboratório formou a primeira geração de psicólogos preocupados com a Fisiologia. 
ESTRUTURALISMO
Define a Psicologia como ciência da consciência ou da mente, definição herdada de Wundt. A mente seria a soma dos processos mentais. Edward Titchener afirmava que cada totalidade psicológica compõe-se de elementos. O objetivo da Psicologia seria a tarefa de descobrir quais são os elementos mentais, o conteúdo e a maneira pela qual se estrutura. 
Titchener considera que os elementos ou as unidades que compõem o conteúdo da mente são as sensações, as imagens, as afeições e os sentimentos. Usa a introspecção para chegar a eles, por meio de uma observação treinada e preparada para garantir os dois pontos essenciais de toda a observação: a atenção e o registro do fenômeno.
Introspecção é o ato pelo qual o sujeito observa os conteúdos de seus próprios estados mentais, tomando consciência deles. Dentre os possíveis conteúdos mentais passíveis de introspecção, destacam-se as crenças, as imagens mentais, memórias (sejam visuais, auditivas, olfativas, sonoras, tácteis), as intenções, as emoções e o conteúdo do pensamento em geral (conceitos, raciocínios, associações de ideias). 
FUNCIONALISMO 
Estuda o propósito, ou função da consciência e seus processos mentais básicos. O estudo dos processos conscientes não se limitava a uma descrição de elementos, conteúdos e estruturas. A mente consciente é, para ele, um constante fluxo, uma característica da mente em constante interação com o meio ambiente. Atenção estava mais voltada para a função dos processos mentais conscientes. 
PSICOLOGIA CIENTÍFICA E SENSO COMUM
Entende-se por Psicologia do senso comum ou Psicologia ingênua, o conjunto de ideias, crenças e convicções transmitidas culturalmente e que cada indivíduo possui a respeito de como as pessoas funcionam, se comportam, sentem e pensam. Se sustentam nas observações do dia a dia e servem de base para as decisões que as pessoas tomam no cotidiano. 
A tarefa da Psicologia científica não é refutar a Psicologia do Senso Comum, mas desenvolver e sistematizar na medida em que a Psicologia ingênua contém um conhecimento espontâneo das reações e relações humanas. 
 TEORIAS DA PSICOLOGIA
Sabe-se que a Psicologia não é um campo unitário e hegemônico. 
Cinco perspectivas que podem ser consideradas as de maiores forças e evidências. São elas: a Psicanálise, o Behaviorismo (comportamentalismo), o Humanismo, o Gestaltismo e o Social pelo viés da matriz Sócio-Histórica. 
A 
 PSICOLOGIA NÃO É UM CAMPO UNITÁRIO E HEGEMÔNICO
Hegemonia é um conceito que indica uma preponderância de uma Teoria Psicológica em relação a outras. Não significa que essa teoria é melhor que as outras, mas que é seguida pela maioria e tem um impacto na vida das pessoas.
Uma escuta sensível implica, necessariamente, ouvir os vestígios, ver os movimentos. Envolve uma disponibilidade subjetiva de afetar e ser afetado pelo outro, colocar em análise nossos preconceitos, endurecimentos e indiferença.
QUEM É, ENTÃO, O HOMEM NA PSICOLOGIA? 
O QUE ESTUDA A PSICOLOGIA?
QUAIS AS CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA PARA O CAMPO DO DIREITO?
 BEHAVIORISMO
Behaviorismo vem do inglês behavior, comportamento. Em português, podemos dizer tanto behaviorismo como comportamentalismo. Influenciado pelo funcionalismo tem como pedra basal o estudo dos comportamentos animais controlados em laboratórios de acordo com os estímulos que lhes eram apresentados. Segundo os pesquisadores, era possível uma comparação entre os comportamentos animais e humanos, o que justificava seu percurso experimental. 
Esta corrente psicológica não aceita qualquer relação com o transcendental, com a introspecção e os aspectos filosóficos, mas pretende estudar comportamentos objetivos que podem ser observados. 
Burrhus Frederic Skinner, autor e psicólogo americano, nasceu na Pensilvânia, EUA, em março de 1904, e morreu em Massachusetts, EUA, em agosto de 1990. Conduziu trabalhos pioneiros em Psicologia experimental e foi o propositor do Behaviorismo Radical, abordagem que busca entender o comportamento como consequência do reforçamento.
Skinner, fazendo uso de experimentos com animais, desenvolveu o conceito de Condicionamento Operante tomando como base as noções de punição, reforço positivo e reforço negativo. Em outras palavras, um comportamento vai ser controlado pelo que aconteceu antes e pelo que pode acontecer depois. Para o psicólogo, a Psicologia não poderia utilizar elementos não observáveis para explicar a conduta humana. 
PSICANÁLISE
A Psicanálise, influenciada pela Fisiologia, surgiu na década de 1890, com Sigmund Freud, um médico austríaco interessado em achar um tratamento efetivo para pacientes com sintomas neuróticos ou histéricos. Freud, conversando com os pacientes, acreditava que seus problemas se originaram da não aceitação cultural, sendo assim reprimidos seus desejos inconscientes. 
Sigmund Schlomo Freud, mais conhecido como Sigmund Freud, foi um médico neurologista e criador da Psicanálise. Freud nasceu em uma família judaica, em Freiberg in Mähren, na época pertencente ao Império Austríaco. Nasceu na República Tcheca, em maio de 1856, e morreu em Londres, em setembro de 1939
 HUMANISMO
Teve sua origem nos anos 1950, e sua importância aumentou significativamente nas décadas de 1960 e 1970. Ramo da Psicologia e mais concretamente da psicoterapia, a Psicologia Humanista surgiu como uma
Página12