Resumo   Memoria, Motivação e Personalidade (1)
27 pág.

Resumo Memoria, Motivação e Personalidade (1)


DisciplinaProcessos Basicos I25 materiais93 seguidores
Pré-visualização6 páginas
\ufffdHYPERLINK "http://www.apostilasdescoladas.webnode.com.br"\ufffdwww.apostilasdescoladas.webnode.com.br\ufffd
Colaboradora: Gizely Lima, Acadêmica de Serviço Social, 
e-mails: \ufffdHYPERLINK "mailto:koallita@bol.com.br"\ufffdkoallita@bol.com.br\ufffd, koallita@hotmail.com
 \u201cMemória Humana\u201d (Cap.7)
	A memória envolve mais do que absorver informação e armazená-la, por isso levantou-se três questões: Como a informação entra na memória? Como ela é mantida? E como resgatá-la? Essas três questões correspondem a três processos da memória: Codificação, Armazenagem e Recuperação. 
	A codificação forma um código na memória. A memória é um processo ativo, para recordamos algo é necessário um esforço para tal.
	O armazenamento é a manutenção da informação por um período de tempo. Na tentativa de saber o que auxilia ou dificulta a armazenagem, descobriu-se que a armazenagem não é o suficiente para lembrar algo.
	A recuperação é o resgate das informações armazenadas, o modo como se vasculha a mente a estratégia que se usa para resgatar a memória pode ser mais eficiente que outras.
Codificando: Colocando Informação na Memória
	A codificação ativa é um processo importante da memória.
O Papel da Atenção
	Para lembrarmos depois é preciso prestar atenção. A atenção envolve a focalização consciente de uma classe restrita de estímulos ou eventos. A atenção é como um filme que retém muitos estímulos potenciais, mas apenas poucos são selecionados para a consciência. O problema é saber onde este filtro se localiza e se os estímulos são mostrados inicialmente durante o estimulo sensorial ou depois de o cérebro ter processado o significado do estimulo. Conclui-se que a localização do filtro da atenção é flexível.
Níveis de Processamento
Nem toda atenção é criada igualmente, pois se podem enfocar diversos aspectos dos estímulos. Quanta atenção é dada a informação influencia em quanto elas serão lembradas. Na informação verbal há três níveis de processamento: a codificação estrutural, a fonética e a semântica.
A codificação estrutural é um processamento superficial que enfatiza a estrutura física do estimulo. A codificação fonética enfatiza os sons. E a codificação semântica enfatiza o significado do estimulo verbal. 
As teorias de níveis de processamento propõem que estes resultam em códigos de memória duráveis, mas seu modelo tem pontos fracos. Pois o que é exatamente um nível de processamento, e como determinar que um nível é mais profundo que outro. Viu-se que uma codificação estrutural pode levar mais tempo que uma codificação semântica mais profunda. Sendo assim os níveis de processamento permanecem vagamente definidos.
Codificação Enriquecedora
Há outras dimensões para a codificação que podem enriquecer o processo de codificação e melhorar a memória.
Elaboração \u2013 A codificação semântica pode ser melhorada por um processo chamado elaboração, que consiste em ligar um estimulo a outra informação no momento da codificação. Diferenças na elaboração de abordagens do processamento semânticos têm volumes variados de retenção.
Imagens Mentais \u2013 A criação de imagens visuais para representar palavras pode enriquecer a codificação. É mais fácil criar imagens para objetos concretos do que para conceitos abstratos. As imagens mentais facilitam a memória porque fornece um segundo tipo de codificação. A teoria da codificação dupla prega que a memória é favorecida duplamente pela formação de códigos semânticos e visuais.
Armazenagem: Mantendo a Informação na Memória
	Tanto Aristóteles como Platão comparavam a memória a um bloco de cera de diferentes dimensões e durezas, a lembrança era como estampar uma impressão na cera, que enquanto permanecesse ali, a memória permaneceria intacta. Como a informação flui através de uma serie de armazenamentos separados na memória, criaram-se três modelos de armazenagem: a sensorial, a de curto prazo e a de longo prazo.
Memória Sensorial
	A memória sensorial preserva a informação na fuá forma original por um curto período de tempo, permitindo a sensação de um padrão visual, ou toque, que persiste por um breve momento após a estimulação sensorial ter terminado.
Memória de Curto Prazo
	A memória de curto prazo é um armazenamento de capacidade limitada, que pode manter informação reprocessada por até 20 segundos. Mas este tempo pode ser aumentado pelo reprocessamento da informação, onde se verbaliza ou pensa na informação repetidamente.
Duração da Informação \u2013 Não se pode repetir material não familiar, ele é rapidamente perdido. Sem repetição a duração máxima da informação é de 20 segundos.
Capacidade de Armazenamento \u2013 A memória de curto prazo é limitada. Podemos recordar apenas sete itens em tarefas que requerem que se lembre de material não familiar. Mas pode-se aumentar essa capacidade por combinar estímulos chunks, estes são um grupo de estímulos familiares armazenados numa única unidade. 
Memória de Curto Prazo como \u201cMemória Funcional\u201d \u2013 Alan Baddeley diz que a memória funcional consiste em três componentes: a repetição, que representa toda a memória de curto prazo; o bloco visual-espacial, que permite que as pessoas temporariamente mantenham e manipulem imagens visuais; e o sistema de controle executivo, que manuseia um limitado volume de informação enquanto elas estão lidando com o raciocínio e a tomada de decisões.
Memória de Longo Prazo
A memória de longo prazo é um deposito de capacidade ilimitada que pode manter informação por períodos mais longos de tempo. As informações ali armazenadas podem ser indefinidas e duráveis, podendo ser para a vida toda.
Durabilidade: O Armazenamento é Permanente? \u2013 A informação armazenada na memória de longo prazo é permanente. O esquecimento ocorre apenas porque as pessoas às vezes não conseguem reter a informação necessária na memória de longo prazo. A memória- relâmpago apóia a noção de que o armazenamento possa ser permanente. A memória- relâmpago, são lembranças extremantes vividas e detalhadas de eventos muito importantes.
Transferindo a Informação para a Memória de Longo Prazo \u2013 A informação que está mantida na memória de curto prazo por meio da repetição é gradualmente absorvida pela memória de longo prazo. O efeito da posição em serie ocorre quando participantes mostram melhor lembrança para itens do inicio, chamado de efeito de preferência e do fim da lista, chamado de efeito de recenticidade.
A Organização na Memória de Longo Prazo \u2013 A memória de longo prazo hospeda um grande volume de informação que, sem organização seria inútil, por isso usa um sistema organizacional sobreposto. Usa-se uma rede semântica que consiste em pontos que se interligam, e é útil para explicar porque quando pensamos numa palavra podemos lembrar outra palavra ligada a ela. Esse fenômeno é chamado de processo de ativação irradiada.
Esquemas \u2013 Esquema é um conjunto organizado de conhecimentos a respeito de um objeto em particular ou de uma seqüência de eventos.
Resgate: Buscando a Informação na Memória
	O resgate em geral ocorre sem muito esforço.
Usando Sugestões para Auxiliar o Resgate
	As lembranças podem ser manipuladas com sugestões de resgate, que são estímulos que ajudam ganhar acesso as lembranças.
Restabelecendo o Contexto de um Evento 
	Lembrar de um evento colocando-se no contexto em que ele ocorreu é necessárias sugestões de contexto para auxiliar o resgate.
Reconstruindo Memória
	A natureza reconstrutora do resgate é enfatizada em teorias de esquema de memória, as quais propõem que parte do que nos lembramos de um evento consiste em detalhes daquele evento particular e parte é a reconstrução daquele evento baseada em esquemas. O efeito da informação equivocada prova que distorções na reconstrução acontecem freqüentemente. Esse efeito é chamado de monitoração da fonte que é um processo de fazer atribuições acerca das origens da lembrança. Um erro de monitoração da fonte ocorre quando uma lembrança derivada de uma fonte é atribuída erroneamente à outra. As lembranças das pessoas não