A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
AULA SEMENTES I

Pré-visualização | Página 1 de 3

24/10/2012 
1 
Sementes I 
Agronomia 
Formação do grão de pólen 
• Estame: 
– Filete  preso a estrutura floral; 
– Antera  04 lóbulos: 
• 02 tecas com dois lóbulos cada; 
– Cada lóbulo  1 microsporângio (2n) 
– Divisões mitóticas: 
» Células mãe dos micrósporos (2n); 
 
– Meiose  1 célula mãe  tétrade de micrósporos (n); 
• Precursores do grão de pólen: 
 
– 04 micrósporos se separam  no citoplasma de cada: 
• Vacúolo central + núcleo (n)  divisões: 
– Célula vegetativa + célula reprodutiva  grão de 
pólen 
24/10/2012 
2 
24/10/2012 
3 
Estrutura floral Feminina 
Óvulo 
• Precursor da 
semente: 
– Pedúnculo  funículo 
(unido a placenta); 
– Tegumentos  
envoltórios 
– Grupo de células 
internas  nucela: 
• Calaza  região de 
contato com o 
funículo; 
Formação do saco embrionário 
• Ovário  óvulo  nucela: 
– (célula mãe do saco embrionário (2n); 
• Macroesporogênese (meiose): 
– 4 células (n) macrósporos: 
• Apenas 01 é funcional: 
– Macrogameta  macrogametogênese: 
– 03 mitoses  célula com 08 núcleos: 
 
» 01 Oosfera (n); 
» 02 Sinérgides (n); 
» 02 núcleos polares ou mesoscistos (n); 
» 03 Antípodas (n) 
24/10/2012 
4 
Polinização 
• Transferência do pólen da antera para 
o estigma da mesma flor ou flores 
diferentes: 
– Anemocoria, zoocoria, antropocoria; 
• Gargalo nos campos de produção de 
sementes!! 
 
 
24/10/2012 
5 
Fertilização 
• Envolve basicamente três etapas: 
– Germinação do grão de pólen: 
– Formação do tubo polínico; 
– Fertilização propriamente dita: 
• Dupla fecundação: 
– Tubo polínico com os seus dois núcleos penetra pela 
micrópila e fecunda a oosfera e os núcleos do mesocisto 
(núcleos polares): 
 
• Singamia  oosfera (n) + 01 núcleo espermático  Zigoto (2n); 
 
• Tripla fusão  1 núcleo espermático (n) + núcleos polares (n+n)  
Endosperma 
Desenvolvimento do Embrião 
Monocotiledôneas 
24/10/2012 
6 
Desenvolvimento do Embrião 
• Partes constituintes do Embrião: 
– Meristemas apicais; 
– Eixo com um ou dois cotilédones: 
– Sistema caulinar acima dos cotilédones: 
• Somente com o meristema apical; 
• Epicótilo com folhas  Plúmula 
– Sistema radicular abaixo dos cotilédones: 
• Hipocótilo com radícula 
• Eixo hipocótilo-radicular 
 
 
 
24/10/2012 
7 
Apomixia 
24/10/2012 
8 
Formação da semente 
• Zigoto: 
– Embrião; 
– Endosperma; 
• Tegumento + hilo (cicatriz do funículo); 
 
– 01 ovário com 01 óvulo  01 semente; 
– 01 ovário com vários óvulos  várias sementes; 
– Endosperma pode ser transferido para os 
cotilédones que fazem o papel de tecido de 
reserva da semente 
Poliembrionia 
• Ocorrência de mais de um embrião 
dentro da semente; 
• Podem ser de origem assexuada ou 
apomítica; 
– Nucelar  nº plântulas idênticas 
maternais; 
– Clivagem  divisão do embrião em dois 
– Contendo mais de um gametófito normal 
por óvulo 
Do ponto de vista funcional 
• A semente é: 
– Uma cobertura protetora 
• Pericarpo + tegumento (hilo) 
 
– Um tecido de reserva 
• Endosperma / cotilédones 
 
– Tecido meristemático; 
• Eixo hipocótilo radicular 
Unidades de dispersão 
• 03 categorias: 
– Categoria A: 
• Sementes; 
 
– Categoria B: 
• Fruto semente (cariopse / aquenio); 
 
– Categoria C: 
• Infrutescência semente (espinafre, beterraba) 
24/10/2012 
9 
A semente: estrutura e funções 
• Casca ou cobertura protetora: 
– Delimita a semente; 
– Proteção a semente; 
– Reguladora / Controladora de água e gases 
– Tegumento e/ou tegumento + pericarpo; 
• Tegumento  óvulo; 
• Pericarpo  ovário; 
– Epiderme: 
• Especificidades: 
– Algodão  células se alongam e transformam em 
pêlos 
– Linho  higroscópicas  mucilagem 
A semente: estrutura e funções 
• Funções da casca: 
– Impermeabilidade à água; 
– Manter unidas as partes internas da semente; 
– Proteção aos tecidos meristemáticos; 
– Barreira a entrada de microorganismos e insetos; 
– Regular a velocidade de hidratação da semente; 
• Regular a germinação / dormência 
– Reservatório de água: 
• Embebição  “inchaço”  água para os tecidos 
internos; 
– Regular a velocidade de trocas gasosas entre a 
semente e o meio; 
– Dispersão espacial 
A semente: estrutura e funções 
• Tecido de reserva: 
– Endosperma: 
• Fusão dos núcleos polares + núcleo do pólen; 
• Variações: 
– Reduzidos, ausentes (orquídeas), líquido (côco); 
• Amido(+), óleos e proteínas; 
• Sementes são chamadas de albuminosas 
(gramíneas); 
• Não possui um sistema autônomo de enzimas 
 
24/10/2012 
10 
A semente: estrutura e funções 
• Tecido de reserva: 
– Cotilédone (s): 
• Se apresentam fotossintéticos; 
• Liberação de enzimas específicas; 
• Reserva alimentar 
• Tecido vivo: 
– Dispõe de enzimas para degradação e transporte de 
suas próprias substâncias de reserva 
A semente: estrutura e funções 
• Eixo embrionário: 
– Presença de tecido meristemático nas extremidades; 
• Plúmula  folhas; 
• Radícula  raízes; 
– Dicotiledôneas: 
• Cotilédones + eixo embrionário  embrião: 
– Parte do eixo abaixo do cotilédone  hipocótilo 
» Meristema apical + coifa; 
» Eixo hipocótilo radicular 
– Parte do eixo acima dos cotilédones  epicótilo / 
plúmula 
» Plúmula  gema apical e primórdios foliares 
 
A semente: estrutura e funções 
• Eixo embrionário: 
– Monocotiledôneas: 
• Embrião justaposto ao endosperma por meio 
de um só cotilédone  escutelo 
• Parte inferior do eixo: 
– Radícula (coifa e meristema apical) 
• Parte superior: 
– Epicótilo com vários primórdios foliares: 
» Mais externo  coleóptilo 
 
24/10/2012 
11 
Coleóptilo 
radícula 
Epicótilo 
Ortodoxas X Recalcitrantes 
• Ortodoxas são sementes que podem ser 
desidratadas a níveis baixos de umidade (5 a 7% de 
umidade) e armazenadas em ambientes de baixas 
temperaturas; 
– Milho, soja, Feijão, Girassol, ervilha, 
• Recalcitrantes são aquelas sementes que não 
podem ser desidratadas abaixo de um determinado 
grau de umidade, sem que ocorram danos 
fisiológicos. Geralmente com teor de água acima 
dos 50%; 
– Cacau, ingá, seringueira, coco, carvalho, guaraná, 
manga, nêspera, dendê, ipê, abacate, macadâmia, 
pitanga, jaboticaba 
24/10/2012 
12 
Composição química das 
sementes 
água proteína lipidios CHO 
TOT 
CHO 
Fibra 
Cinzas 
Feijão 10,4 22,5 1,5 61,9 4,2 3,7 
Milho 13,8 8,9 3,9 72,2 2,0 1,2 
Arroz 12,0 7,5 1,9 77,4 0,9 1,2 
Soja 10,0 34,1 17,7 33,5 4,9 4,7 
Girassol 4,8 24,0 47,3 19,9 3,8 4,0 
Trigo 13,0 14,0 2,2 69,1 2,3 1,7 
Watt & Merril, 1963 
Qual a importância? 
Tanto o vigor quanto o potencial de 
armazenamento de sementes são 
influenciados pelo teor de compostos 
presentes 
Composição Química 
• Carboidratos: 
– Média de 80% da matéria seca 
– Amido (75%) 
• Amilose (cadeia reta) / amilopectina (ramificada): 
– Apresenta-se na forma esférica, fusiforme, lenticular 
– Outros: 
• Celulose, hemicelulose, 
– Parede celular; 
• Açúcares  glucose, frutose, galactose, etc... 
• Mucilagens: 
– Dispersão / absorção de água 
24/10/2012 
13 
Composição Química 
• Lipídios: 
– Maior porcentagem no embrião; 
– Triglicerídios e ácidos graxos insaturados 
• Oleico, linoleico, linolênico; 
– Outros: 
• Fosfolipídios; 
• Lecitina (fosfatidil-colina); 
• Glicolipídios 
• Esteróis: 
– Sitosterol 
Composição Química 
• Proteínas: 
– Ativas (enzimas) / reserva; 
– Baixa % quando comparado com lipidios e 
carboidratos;