A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
57 pág.
Fundamentos do Direito Comercial e do Consumidor - Slides de Aula - Unidade I

Pré-visualização | Página 2 de 4

empresário
Assim ensina Fábio Ulhoa Coelho:
[...] a empresa pode ser explorada por uma pessoa física ou jurídica. 
No primeiro caso, o exercente da atividade econômica se chama empresário
individual; no segundo, sociedade empresária. Como é a pessoa jurídica que
explora a atividade empresarial, não é correto chamar de empresário o sócio
da sociedade empresária (COELHO, 2013, p. 127).
Empresa
a) exercício de atividade econômica e, por isso, destinada à criação de riqueza, pela 
produção de bens ou serviços para a circulação ou pela circulação dos bens ou 
dos serviços produzidos; 
b) atividade organizada, através da coordenação dos fatores de produção –
trabalho, natureza e capital – em medida e proporção variáveis, conforme a 
natureza e [o] objeto da empresa; 
c) exercício praticado de modo habitual e sistemático, ou 
seja, profissionalmente, o que implica dizer, em nome 
próprio e com ânimo de lucro. 
(BULGARELLI, 1980, p. 20-1).
As características do empresário
 Empresário é o empreendedor; segundo Igor Ansoff, “[...] o empreendedor é 
aquele indivíduo cujo desejo de independência foi capaz de motivá-lo no sentido 
de estabelecer sua própria empresa” (ANSOFF, 1993, p. 52). 
 Esse empreendedor tem como característica o espírito de criação, de pesquisa. 
Sua essência é o negócio, buscar alcançar uma meta de sucesso e realização 
dos objetivos do empreendimento. 
 Para isso, ele aceita os riscos do negócio e conta com 
um arcabouço legal para concretizá-los. Ele tem o poder 
diretivo da empresa. Ele cria a equipe, administra, 
delega, confia nas pessoas e busca incentivá-las a fim 
de obter resultados.
Empresário
Você recebeu excelentes recomendações de um médico e decide consultá-lo em 
seu consultório particular. Neste caso, podemos considerar que este médico é:
a) Empresário.
b) Comerciante.
c) Profissional liberal.
d) Microempresário.
e) EIRELLI.
Interatividade
 Empresário de fato é aquele que exerce a atividade empresarial sem estar 
legalmente constituído; ele é considerado irregular. 
 O registro na Junta Comercial é pré-requisito para a regularidade. 
 O empresário responderá de forma ilimitada e solidária perante terceiros 
se a empresa for irregular. 
 A lei protege a pessoa do sócio, separando a pessoa jurídica da pessoa física do 
sócio, mas para que a empresa obtenha essa proteção legal, precisa ter todos os 
seus atos registrados perante a Junta Comercial. 
 A sociedade irregular não é um sujeito ativo regular, não 
pode pedir recuperação judicial nem requerer a falência 
dos seus devedores.
Empresário de direito e de fato
 O empresário individual é uma pessoa física que, em nome próprio, exerce 
atividade de empresa. 
 Nesse caso, a empresa tem como proprietário uma única pessoa física, que 
integraliza seus próprios bens na exploração do negócio. 
 Não há separação entre o patrimônio da pessoa jurídica e o da pessoa física. Esse 
empresário responde de forma ilimitada pelas dívidas contraídas pela empresa. 
 Caso haja uma insolvência, seu patrimônio pessoal irá 
responder perante os credores. Nesse caso, quando 
houver a inscrição da empresa na Junta Comercial, o 
nome da empresa deverá ser o nome do proprietário
O empresário individual
 Microempreendedor individual: faturamento anual até R$ 60 mil. 
 Microempresa: faturamento anual até R$ 360 mil. 
 Empresa de Pequeno Porte: faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões.
 Pequeno Produtor Rural: propriedade com até 4 módulos fiscais ou faturamento 
anual de até R$ 3,6 milhões.
(SEBRAE, [s.d.]a).
Os pequenos negócios são divididos da seguinte maneira:
 Criada pela Lei nº 12.441 (BRASIL, 2011), a Empresa Individual de 
Responsabilidade Limitada (Eireli) é aquela constituída por uma única pessoa 
titular da totalidade do capital social, devidamente integralizado, que não poderá 
ser inferior a cem vezes o maior salário mínimo vigente no País. 
 O titular não responderá com seus bens pessoais pelas dívidas da empresa. 
A pessoa natural que constituir Eireli somente poderá figurar em uma empresa 
dessa modalidade.
 Ao nome empresarial, deverá ser acrescentada 
a expressão “Eireli”, após a firma ou a denominação 
social da empresa.
Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli)
 Art. 3º São absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida 
civil os menores de 16 (dezesseis) anos.
 Art. 4º São incapazes, relativamente a certos atos ou à maneira de os exercer:
I. os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos;
II. os ébrios habituais e os viciados em tóxico;
III. aqueles que, por causa transitória ou permanente, não puderem exprimir 
sua vontade;
IV. os pródigos.
Parágrafo único. A capacidade dos indígenas será 
regulada por legislação especial.
Pessoas impedidas de serem empresárias
 Pessoas já registradas como Empresário (Individual) em qualquer Junta 
Comercial do País;
 Chefes do poder executivo, nacional, estadual ou municipal;
 Membros do Poder Legislativo, como senadores, deputados federais e estaduais 
e vereadores, se a empresa gozar “de favor decorrente de contrato com pessoa 
jurídica de direito público, ou [se a pessoa] nela exercer função remunerada”; 
 Magistrados; membros do Ministério Público Federal; 
 Empresários falidos, enquanto não forem reabilitados;
Impedidas em decorrência da profissão 
 Leiloeiros; cônsules, nos seus distritos, salvo os não remunerados; 
 Médicos, para o exercício simultâneo da farmácia;
 Farmacêuticos, para o exercício simultâneo da medicina; 
 Servidores públicos civis da ativa, federais (inclusive ministros de Estado 
e ocupantes de cargos públicos comissionados em geral); 
 Em relação aos servidores estaduais e municipais, observar a legislação 
respectiva; 
 Servidores militares da ativa das Forças Armadas e das Polícias Militares.
(BRASIL, 2002)
Impedidas em decorrência da profissão 
 A primeira obrigação do empresário é o registro perante o órgão próprio, ou seja, 
a Junta Comercial, o registro deve ser prévio. 
 O registro público das empresas vem regulamentado pela Lei nº 8.954 (BRASIL, 
1994c), dividindo-se em dois órgãos: Departamento Nacional de Registro e 
Comércio (DNRC) – órgão federal ; e Junta Comercial – órgão estadual. 
 O empresário deve manter a escrituração dos livros comerciais, que se dividem 
em facultativos e obrigatórios. Os obrigatórios se dividem em especiais e comuns. 
O livro obrigatório comum é o Livro Diário. O livro obrigatório especial está ligado 
ao ramo de atividade da empresa. 
 Além do registro dos livros, o empresário deverá elaborar 
periodicamente os lançamentos contábeis.
Deveres do empresário à luz da legislação vigente
I – A matrícula e seu cancelamento: dos leiloeiros, tradutores públicos e intérpretes 
comerciais, trapicheiros e administradores de armazéns-gerais; II – o arquivamento:
a) dos documentos relativos à constituição, alteração, dissolução e extinção 
de firmas mercantis individuais, sociedades mercantis e cooperativas; 
b) dos atos relativos a consórcio e grupo de sociedade de que trata 
a Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976; 
c) dos atos concernentes a empresas mercantis 
estrangeiras autorizadas a funcionar no Brasil; 
d) das declarações de microempresa; entre outros.
Todos os atos constitutivos da sociedade deverão ser arquivados 
na Junta Comercial
As sociedades empresárias são caracterizadas pela reunião de duas ou mais 
pessoas que se unem para garantir um fim e essencialmente obter lucros. 
Basicamente, são divididas de acordo com a relação a seguir: 
Pessoa Jurídica: aquela compreendida por uma entidade coletiva ou artificial, 
legalmente organizada, com