2 - Administracao Geral e Publica
125 pág.

2 - Administracao Geral e Publica


DisciplinaAdministração Geral e Pública315 materiais966 seguidores
Pré-visualização45 páginas
1 
SUGESTÕES, CRÍTICAS | contato@focadonoedital.com.br 
 
 
 
APOSTILA 
DE 
ADMINISTRAÇÃO GERAL 
E 
PÚBLICA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2 
SUGESTÕES, CRÍTICAS | contato@focadonoedital.com.br 
Introdução 
Amigo (a) concurseiro (a), esta apostila foi elaborada de forma objetiva e o seu conteúdo está 
Focado no Edital do último concurso da UFF, em 2017. Para um estudo mais aprofundado sobre 
Administração, recomendamos a leitura dos livros indicados nas sugestões bibliográficas. Todavia, 
como o seu objetivo é a aprovação na UFF, colocamos nesta apostila os principais assuntos na visão dos 
autores indicados pela COSEAC no último concurso. 
Aliás, percebemos que a banca colocou assuntos aleatoriamente, de forma idêntica à que bancas de 
outros concursos de Universidades Federais colocaram, inclusive em 2016, e \u201csoltou\u201d sugestões 
bibliográficas sem uma sequência lógica, diferentemente dos seus últimos concursos (concursos de 
2013/14 e 2015). Por exemplo, do livro do Augustinho Paludo, que está explicitamente citado no 
conteúdo programático, a banca cobrou um pouco de AFO, mas essa parte, na verdade, não deveria estar 
ligada à Administração Geral e, sim, Noções de Administração Pública. Ela também cobrou um pouco 
de Controle, sendo este o único assunto explicitamente citado no livro do Peter F. Drucker. 
Dito isto, importante registrar que elaboramos esta apostila buscando atender a peculiaridade desta 
banca. Primeiro faremos uma introdução, colocando os conceitos principais. Em seguida começaremos 
nosso estudo falando das Teorias da Administração, teorias estas explicitamente abordadas nos livros do 
Idalberto Chiavenato e do Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira. E sobre este assunto, surge um outro 
problema para complicar um pouco mais o estudo do candidato: os autores citados tem visões diferentes 
sobre estas teorias. 
Críticas à parte, não adianta \u201cbrigar\u201d com a banca, logo, traremos para vocês o conteúdo na visão 
dos autores sugeridos pela COSEAC. 
 
I. Ideias e Conceitos Fundamentais 
As mudanças são cada vez mais rápidas e inesperadas, principalmente no campo do conhecimento 
e da explosão populacional. Tais mudanças impõem novas e crescentes necessidades. Neste contexto, o 
crescimento das organizações faz com que elas se tornem complexas e sem fronteiras. 
O conceito de administração representa uma governabilidade, gestão de uma empresa ou 
organização de forma que as atividades sejam administradas com planejamento, organização, direção e 
controle. O ato de administrar é trabalhar com e por intermédio de outras pessoas na busca de realizar 
objetivos da organização bem como de seus membros. 
A administração é um processo evolutivo e interativo, ou seja, tudo o que acontece hoje em 
administração está correlacionado, direta ou indiretamente, com os acontecimentos passados, bem como 
todos os assuntos da administração apresentam alguma forma de interligação. 
Segundo Djalma Oliveira, podemos definir que a Organização é a instituição legalmente constituída, 
com a finalidade de oferecer produtos e/ou serviços para outras organizações e/ou para os consumidores 
do mercado em geral.1 
 
1 OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. Teoria Geral da Administração. 2ª edição, Atlas, 2013. 
 
 
 
3 
SUGESTÕES, CRÍTICAS | contato@focadonoedital.com.br 
A Administração é o processo de conjugar recursos humanos e materiais de forma a atingir fins 
desejados, através de uma organização. É um processo de tomar decisões sobre objetivos e recursos. 
A figura abaixo apresenta um diagrama mostrando os principais componentes das organizações. 
Portanto, uma organização é um sistema que transforma recursos em objetivos (produtos e serviços). 
 
Desta forma, objetivos e recursos são as palavras chaves na definição de administração e também 
de organização. Uma organização é um sistema de recursos que procura realizar algum objetivo (ou 
conjunto de objetivos). 
Além de objetivos e recursos, as organizações tem dois outros componentes importantes: processos 
de transformação e divisão do trabalho. 
Por meio dos processos, a organização transforma os recursos para produzir os resultados. Um 
processo é um conjunto ou sequência de atividades interligadas, com começo, meio e fim, que utiliza os 
recursos, como trabalho humano e equipamentos, para fornecer produtos e serviços. 
A divisão do trabalho é o processo que permite superar as limitações individuais por meio da 
especialização. Quando se juntam as tarefas especializadas, realizam-se produtos e serviços que ninguém 
conseguiria fazer sozinho. 
II. Funções da administração 
De forma bem objetiva, Djalma Oliveira define as quatro as principais funções da administração:2 
1. Planejamento 
É a metodologia administrativa que permite diagnosticar e analisar situações atuais, de estabelecer 
resultados - objetivos e metas - a serem alcançados pelas organizações e de delinear ações - estratégias 
- para alcançar estes resultados, bem como estabelecer leis e normas - políticas - que servem de 
sustentação a esse procedimento administrativo. 
O planejamento é a função inicial do processo administrativo nas organizações. E o planejamento 
que orienta todas as atividades subsequentes da realidade administrativa das organizações. Entretanto, 
não se deve considerar a função planejamento como a mais importante - todas as quatro funções são 
importantes mas a função que indica a direção a ser consolidada pela organização, no desenvolvimento 
de suas atividades administrativas. 
 
 
2 OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. Teoria Geral da Administração. 2ª edição, Atlas, 2013. 
 
 
 
4 
SUGESTÕES, CRÍTICAS | contato@focadonoedital.com.br 
2. Organização 
É a metodologia administrativa que orienta a capacidade de ordenação, estruturação e apresentação 
de um sistema, de um projeto, de um trabalho e dos recursos abordados, visando alcançar os resultados 
estabelecidos no planejamento (este caso trata-se da função administrativa e não da organização no 
sentido de uma Instituição). 
3. Direção 
É a capacidade e habilidade administrativa de supervisionar e orientar os recursos - humanos, 
financeiros, tecnológicos, materiais, equipamentos - alocados nas atividades das organizações, visando 
otimizar o processo decisório direcionado ao alcance dos resultados estabelecidos no planejamento. 
4. Controle 
É a metodologia administrativa que, mediante a comparação com padrões previamente 
estabelecidos, procura medir e avaliar o desempenho e o resultado das ações, com a finalidade de 
realimentar com informações os tomadores de decisões, de forma que possam corrigir ou reforçar esse 
desempenho, para assegurar que os resultados estabelecidos pelo planejamento sejam alcançados. 
III. Níveis da Administração 
São três os níveis da administração nas organizações, os quais estão interligados aos níveis 
decisórios, conforme apresentado na figura abaixo: 
 
1) Nível estratégico - é o que consolida a interação entre os aspectos internos ou controláveis e os 
aspectos externos ou não controláveis das organizações. 
2) Nível tático - é o que trabalha com determinada área de resultado e não com toda a organização. 
É o que menos contribuiu para o desenvolvimento de metodologias e técnicas administrativas 
porque o está no meio de campo entre os níveis estratégico e operacional. 
3) Nível operacional - é o que formaliza, principalmente através de documentos escritos, os 
processos administrativos estabelecidos para o desenvolvimento das organizações. 
 
IV. Fatores de Influência