A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Afecções reprodutivas no macho

Pré-visualização | Página 1 de 3

Afecções reprodutivas no macho: impotência generandi.
Problemas reprodutivos
Congênito X Adquirido
Problema reprodutivo é porque esta inibindo a fertilidade, uma subfertilidade ou pode causar infertilidade. Isso retrata uma impotência reprodutiva.
Impotência reprodutiva
Coeundi: animal não consegue copular não passando o sêmen para fêmea. Inabilidade á cópula, geralmente associada a redução completa do interesse sexual.
Generandi: problemas do ejaculado ou do sêmen, acarretam principalmente o testículo que é o produtor do sêmen. Incapacidade de fecundação, tendo ocorrido cópula, por distúrbio ejaculatório ou de sêmen.
Impotência generandi: Alterações no escroto.
Hidrocele: acumulo de fluidos entre as túnicas escrotais. Tratamento: diuréticos, anti inflamatorios, antibióticos preventivos, grenagem escrotal por punção, compressas frias e quentes e orquiectomia unilateral.
Edema
Hematocele: acumulo de sangue causado por pancadas, tumores ou infecções.
Diagnostico: punção escrotal, ultra sonografia.
Tratamento: diuréticos, anti inflamatórios, antibióticos preventivos, drenagem escrotal por punção, compressas frias e quentes, orquiectomia unilateral.
Lesões/Dermatite escrotal: aumenta a temperatura do escroto. Causado por traumas, ectoparasitas, intoxicação por aflatoxina, ou dermatite de contato.
Consequencias: coceira, automutilação, lesões ulcerativas, aumento de temperatura local e edema escrotal.
Tratamento: identificar a causa, lavagem tópica com antissépticos, pomadas cicatrizantes com antibióticos, parasiticidas, alteração manejo, evitar confinamento, controle de silagem e ração, controle sanitário. 
Hérnia inguino escrotal: causado por envelhecimento (quanto mais velho, mais tente a sofrer dessa patologia), resultando em um aumento de volume abdominal. Uma alça intestinal sai do abdômen e entra no escroto do animal através do anel, tendo impedimento de passagem intestinal. Pode ser congênito. 
Diagnostico: feito por exame físico (palpação associada a dor) e ultrassonográfico.
Tratamento: correção cirúrgica.
Alterações de posicionamento: não faz termo regulação adequada, provoca lesões que podem gerar dermatite.
Alterações testiculares
Alterações hereditárias
Criptorquidismo: falha no deslocamento de um ou ambos os testículos da cavidade abdominal para o escroto. Pode ser classificado como unilteral direito ou esquerdo e bilateral.
Causas: Hereditario ou Gubernaculum testis.
Sintomas: Geralemnte unilateral, ectopia: abdominal ou inguinal, testículo ectipico menor e com consistência alterda.
Diagnostico: exame clinico e palpação retal / teste de estimulação endócrina (hCG) / dosagem estrógenos conjugados.
Tratamento: orquiectomia bilateral: laparoscopia.
Hipoplasia testicular: subdesenvolvimento testicular. Gene recessivo de penetrancia incompleta (graus de expressão).
Patogenia: baixa migração de células germinativas, pouca divisão celular após a colonização, total ou parcial.
Acomete principalmente bovinos.
Sintomas: diminuição da circunferência escrotal, uni ou bilateral, assimetria.
Semen: volume normal, oligospermia, astenospermia, teratospermia: cabeça, medusas.
Diagnostico: exame físico, perímetro escrotal, espermiograma.
Consequencias: bilateral severa: esterilidade. Unilateral moderada: semen de baixa qualidade.
Tratamento: genético: descarte / adquirido: causa base.
Alterações degenerativas
Degeneração testicular: possui importante impacto na pecuária, pois é uma anormalidade frequente durante o ciclo espermático, onde ocorre diminuição do numero de células, diminuição funcional do testículo e maior sensibilidade do epitélio seminífero.
Causas: senescência, abalos á termo regulação, pirexia sistêmica, dirturbios circulatórios, desequilíbrio nutricional, agentes químicos ou físicos, desequilíbrio hormonal, varicocele / dermatite, doença auto imune.
ESTRESSE TERMICO EM SUINOS: causa mais comum de falha reprodutiva, dentre as infecciosas ou não. Temperatura ambiente menor que 27ºC/ 50% UR com variação individual (genética).
Alterações na qualidade do semen: astenospermia, teratospermia, oligozoospermia de 2 a 8 semanas após o inicio do estresse.
Quadro clinico inicial: discreta redução do perímetro escrotal, flacidez testicular, astenozoospermia, teratospermia, oligospermia, subfertilidade.
Quadro clinico avançado: atrofia testicular, consistência firme do testículo (calcificação), azoospermia, infertilidade.
Diagnostico: historia clinica, espermiograma anterior, palpação testicular, perímetro escrotal, ultrassom,
Tratamento: retirar causa base, vitamina A, abobora 2 kg por dia, cenoura 4 kg por dia.
Hipoplasia X Degeneração
	Espermiograma alterado continuadamente.
Redução do perímetro escrotal constante.
Bolsa escrotal normal.
	Alteração pontual do espermiograma.
Redução progressiva do perímetro escrotal.
Excesso de pele em bolsa escrotal (enrugamento).
DE 25 P
Alterações inflamatórias
Orquite (inflamação dos testículos): inflamação testicular aguda ou crônica, uni ou bilateral.
Causas: trauma, infecção, brucelose, turbeculose, actinomyces oyogenes, estreptococose e piroplasmose.
AGUDA: aumento perímetro escrotal, dor e aumento de temperatura local, alteração no estado geral, hipertemia, leucócitos e bactérias seminais.
CRONICA: diminuição perímetro escrotal, sem sensibilidade, degeneração e atrofia.
Tratamento: antibioticoterapia, anti inflamatório, compressas quentes, suporte, descarte (brucelose).
Alterações neoplásicas (ocorrem em machos com idade superior a seis anos, podem ser uni ou bilateral e tem maior predisposição em testículos ectópicos):
Classificação:
Seminoma
Sertolinoma ou tumor de células de Sertoli
Leidigoma ou tumor de células intersticiais (Leydig)
Teratoma
Todos menos o teratoma, são produtores de hormônios sexuais ou secretores.
Sinais clínicos: aumento de volume testicular, ausência de dor, baixa incidência de metástases.
Para neoplasias secretoras principalmente Sertolinomas: SINDROME DE FEMINICAÇÃO. Altereções dermatológicas como alopecia simétrica não puriginosa em região genital, porção medial de membros pélvicos, ventral do abdômen e trox e períneo, hiperpigmentação, hiperqueratose.
Para neoplasias secretoras: SINDROME DE FEMINIZAÇÃO. Alterção genital com prepúcio alopecico e penduloso, ginecomastia, atrofia peniana, atrofia prostática ou metaplasia escamosa, atrofia do testículo contra lateral.
Para neoplasias secretoras: SINDROME DE FEMINIZAÇÃO. Lterações hematológica com mielotoxidade, trombocitopenia e anemia, processos hemorrágicos, linfocitose retiva, apatia e fraqueza, petéquias, inapetências, mucosas pálidas. 
Diagnostico: palpação escrotal e US, aspiração e biopsia.
Tratamento: orquiectomia bilateral, descarte.
Teratoma: células pluripotentes, massas/ cistos/ dentes, pelos, ossos, cartilagem, maligno.
Espermatocele e granuloma espermático: obstrução epididimária, acumulo espermático, extravasamento espermático e granuloma.
Caprinos mochos – principal causa de infertilidade devido a malformações (hipoplasia, aplasia).
20 a 25% dos produtos de um casal mocho é estéril.
Caprinos MOCHOS: pares de cromossomos 30 pares (2n=60). Cada cromossomo: sequencia de genes.
Um gene: moleculares chamados alelos. Dois alelos diferentes = heterozigoto para aquele loco.
Herança do gene que determina o caráter mocho em caprinos P (dominate) = alelo mocho p = mais de um efeito = pleiotropia chifres e efeito sobre a fertilidade.
P= mocho = efeito sobre a fertilidade dominante para o caráter mocho (heterozigose)
Recessivo para o caráter fertilidade (esterilidade homozigose).
Penetrancia: intensidade com que o gene se expressa relação aos chifres = completa ara machos e fêmeas.
Relação sobre a fertilidade = completa para as fêmeas (todas são afetadas) = incompleta para os machos (apenas uma parte é afetada).
Epidimite: comum em ovinos, causado pela brucella ovis. Traumatica e ascendente.
Varicocele: dilatação e tortuosidade das veias