RESUMO DIREITO CIVIL FATO JURIDICO
30 pág.

RESUMO DIREITO CIVIL FATO JURIDICO


DisciplinaDireito Civil II14.988 materiais155.950 seguidores
Pré-visualização8 páginas
PESSOA JURÍDICA ( PJ): 
- Conceito: \u200bEntidades constituídas pela reunião de pessoas naturais, ou patrimônios, com 
determinado objetivo ou finalidade previsto em seu ato constitutivo. 
 \u200ba-) Associação 
Pessoas 
b-) Sociedade 
 
a-) Associação: \u200bBeneméritas, isto é, favorecem terceiros sem finalidades lucrativas, isso não 
as impedem de lucrar. As mesmas podem ter finalidades: educacionais, esportivas, sociais e 
etc. ( APAE) 
b-) Sociedade: \u200bPossui uma finalidade lucrativa, ninguém monta uma sociedade sem o 
objetivo de obter lucro. As sociedades físicas estão perdendo, cada vez mais, espaço para as 
sociedades online. 
 DOAÇÕES 
BENS FUNDAÇÕES 
 TESTAMENTO 
 
- \u200bFundação\u200b: como próprio esquema retrata acima, uma fundação não é constituída por 
pessoas e sim por bens, NECESSITA POSSUIR UMA FINALIDADE SOCIAL. Essa pessoa 
jurídica se mantém através de doações. ( Médico sem Fronteiras, FGV e etc.) 
PATRIMÔNIO + FINALIDADE= FUNDAÇÃO 
Obs :A polêmica envolvendo fundações é a respeito de como elas podem servir como 
mecanismo para lavagem de dinheiro, já que, o dinheiro doado a uma finalidade social 
não pode ser questionado quanto a sua origem. 
Obs 2: Quando acaba o objeto que dava finalidade a fundação, o que acontece? R: O 
patrimônio dessa fundação é destinado a fundações com objetos e finalidades 
semelhantes, ou seja, o dinheiro NUNCA é \u201cpego de volta\u201d. 
II-) Requisitos de formação: 
- Vontade humana: \u200bLogicamente é necessário que se tenha, por parte do fundador, uma 
vontade expressa. 
- \u200bObservância dos requisitos legais: \u200bNão se pode formar uma sociedade civil sem registro, 
sendo que para as fundações-seja para constituí ou extingui uma- é necessário consultar um 
promotor do MP. 
- Licitude do objeto: \u200bObviamente não se pode abrir uma prestadora de serviços de uma 
prática ilegal. 
- \u200bFinalidade: \u200bVendedora de bens? Prestadora de serviços?. 
 
III) Quanto à estrutura: 
- \u200bUniversitas Pensanarum\u200b = \u200bAssociações e Sociedades 
- \u200bUniversitas\u200b \u200bBonorum= \u200bFundação 
 
IV) Quanto à nacionalidade: 
- Nacionais; 
- Estrangeiras; Externa 
V-) Quanto à função: a-) Pessoa Jurídica de Direito Público Interna 
- Externa: \u200bA constituição é o contrato base, social da pessoa jurídica do Estado. 
 
 
b-) Interno 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
b-) Pessoa Jurídica de Direito Privado 
 
 
 
OS BENS: 
I) Conceito: 
- O objeto do direito são as \u200bcoisas \u200bou \u200bos bens \u200b. Alguns autores afirmam que os bens se 
distinguem das coisas pois, não necessariamente, o primeiro possui um valor econômico 
atribuído a ele. ( Ex: fotos e o seu valor sentimental ao dono) 
- Alguns colocam bens como gênero e coisa como espécie. 
- Segundo o diagrama de venn elaborado por Flávio Tartuce: 
 
 
 
 
- Coisas= Tudo aquilo que não é humano. 
- Bens= Coisas com o interesse econômico e/ou jurídico. 
- Patrimônio\u200b: vale ressaltar que o patrimônio se difere dessas classificações, já que o 
mesmo, \u200bé a representação econômica da pessoa ( quanto aos créditos, débitos, dívidas \u200be 
aplicações). Porém NÃO SE TRATA, necessariamente, de um conjunto de bens corpóreos 
dado que o patrimônio pode estar em: investimentos, \u200bbitcoins\u200b, startups. 
Obs: O direito brasileiro não entende o \u200bbitcoin como uma moeda, pois não há um \u201clastro\u201d 
presente nela. 
II) Classificação de Bens: 
1) Bens considerados em si mesmos\u200b: 
a-) Móveis: \u200bbens que podem ser deslocados de um lugar ao outro sem que perca sua essência. 
( cadeira, mesa, computador, etc.) 
Obs: seres sencientes ( animais sensíveis mas sem consciência) 
Imóveis:\u200b exatamente o oposto. ( casa, apartamento , terreno) 
b-\u200b) \u200bFungíveis: \u200bpodem ser substituídos facilmente, ou seja, não é um bem individualizado. ( 
Ex:\u200b água, refrigerante, comida e etc) 
Infungíveis: \u200bsão bens que não podem ser trocados tão facilmente devido a sua 
individualização, como por exemplo, o chassi do carro ou o número de série de um 
notebook, livros autografados. 
c-\u200b) \u200bConsumíveis: \u200bsão aqueles que com o tempo e uso, tendem a desaparecer. ( comida, 
gasolina, bebida, remédio) 
Não Consumíveis: não será o uso dele que acarretará sua diminuição ou desaparecimento. 
( casa, carro, roupas) 
d-\u200b) \u200bDivisíveis: \u200bbens que podem ser divididos ( bolo, pizza e outras comidas) 
Indivisíveis\u200b: não existe a possibilidade de ter mais de um titular ( cadeira, casa ou 
apartamento). São bens que todos devem usufruir de maneira igual. 
e\u200b-) \u200bSingulares: \u200bmochila, \u200blivro\u200b, celular 
Coletivos\u200b: Segundo Tartuce : \u201c São bens que se encontram agregados em um todo, sendo 
constituídos por vários bens singulares\u201d (biblioteca, discoteca, conjunto de gado, 
coméias.) 
 
2\u200b-) Bens Reciprocamente Considerados:\u200b um bem em relação ao outro. 
- Principal: são bens que existem de maneira autônoma e independente, de forma concreta 
ou abstrata ( art 92,CC). Exercem função ou finalidade não dependente de qualquer 
outro objeto. 
- \u200bAcessório\u200b( ou dependentes\u200b): são bens cuja existência e finalidade dependem de outro bem, 
sendo esse o bem principal. 
 Frutos: \u200bgeralmente não destroem o bem. 
 Produto: \u200bbens minerais finitos 
 Benfeitoria: \u200btrata-se de um acréscimo feito na coisa 
 Rendimento: \u200bprodução continuativa ( aplicação) 
 Necessária ( conservação) 
Obs: Formas de benfeitoria Úteis ( aprimoram, valorizam) 
 Voluptuárias ( são para embelezar) 
3-) Bens em relação ao titular do domínio: 
 
-Públicos: \u200bsão os que pertencem a uma \u200bentidade do direito público interno\u200b, ou seja, à união, 
Estados, Distrito Federal, Municípios, entre outros ( vide art 98, CC). 
 
 
 
 
- Particulares: 
São os bens 
que pertencem 
a pessoa física ou jurídica do Direito 
Privado, ou seja, \u200bbens que atendem\u200b exclusivamente aos interesses de seus proprietários\u200b. 
 
III) Aprofundamento na Classificação dos Bens: 
a-) Bens Considerados em si mesmos (\u200b art 79-91) 
 
 
 
 
 a.1) móveis 
 
 
 
 
 
 
a.2) sencientes : trata-se ainda de um projeto de lei para retirar os animais da categoria de 
semoventes para que os mesmo tenham direitos e proteção jurídica e não sejam apenas 
tratados como propriedade. 
 
 
a.3) \u200bimóveis 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
b-) Bens Fungíveis: \u200bsão aqueles que podem ser substituídos por outros da mesma 
espécie, qualidade ou quantidade. 
b.1) \u200bInfungíveis: \u200bsão bens insubstituíveis, aquele bem que de alguma forma é 
especificado ( celular, computador, carro etc)\u200b, \u200baté mesmo um bem fungível, pode se tornar 
um bem \u200binfungível \u200bpor apresentar uma característica que o torne único ( autógrafo em um 
livro). 
 
 c-) Bens consumíveis: LER CARLOS R. GONÇALVES 
 
 
 
 
 
 
 
c.1) Inconsumível \u200b:\u200b seu uso não implica em alteração das qualidades do bem\u200b, na realidade 
todo bem possui sua durabilidade, ou seja, no sentido jurídico \u200bbem consumível é apenas o que 
desaparece com primeiro