apol2- filosofia antiga
6 pág.

apol2- filosofia antiga


DisciplinaHistória da Filosofia Antiga202 materiais6.967 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Questão 1/5 - História da Filosofia Antiga
Leia o texto a seguir:
\u201cA grande diferença entre os dois filósofos encontra-se no fato de que Platão desejava explicar por que o mundo sensível é tal como é, encontrando a resposta fora dele; Aristóteles, ao contrário, deseja compreender como o mundo é o que é e por que funciona como funciona, encontrando seu sentido nele mesmo\u201d.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: CHAUÍ, Marilena. Introdução à história da Filosofia: dos pré-socráticos a Aristóteles. São Paulo: Companhia das Letras, 2002. p. 355.
De acordo com o livro-base Introdução à Filosofia Antiga, qual é a principal crítica que Aristóteles dirigiu ao pensamento de Platão?
Nota: 20.0
	
	A
	Ele criticou a preferência pelas discussões de cunho moral ou ético.
	
	B
	Ele atacou a divisão da realidade entre mundo sensível e suprassensível.
Você acertou!
\u201cPara Aristóteles, as ideias das coisas estão nas próprias coisas, e não em um mundo suprassensível, em um mundo ideal. Conheceremos a verdade e chegaremos a um conhecimento científico seguro se partirmos da existência das coisas, utilizando de um método lógico indutivo, ou seja, um método que caminharia das experiências empíricas individuais e específicas em direção às ideias universais e gerais. A ciência, portanto, teria como um dos seus objetivos compreender o caráter universal das coisas, que deve ser alcançado a partir das experiências sensoriais empíricas particulares\u201d. (p. 177).
	
	C
	Ele rejeitou a influência socrática e a preocupação com o ánthropos.
	
	D
	Ele excluiu os temas e o interesse pela questão do discurso, a retórica.
	
	E
	Ele desconsiderou a orientação racional e optou pela linguagem mítica.
Questão 2/5 - História da Filosofia Antiga
Leia o texto a seguir:
\u201cNão existem formas ou ideias puras como no mundo inteligível platônico. [\u2026] Tipos gerais, gêneros e espécies (animal, mamífero etc.) só existem como resultado deste processo de abstração a partir da forma de cada um desses objetos concretos\u201d.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: MARCONDES, D. Iniciação à história da filosofia: dos pré-socráticos a Wittgenstein. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005. p. 72.
O texto acima se refere à parte da crítica de Aristóteles a seu mestre, Platão. De acordo com o livro-base Introdução à Filosofia Antiga, o que significa a concepção aristotélica de hilemorfismo?
Nota: 20.0
	
	A
	A ideia de que as formas das coisas estão no mundo suprassensível.
	
	B
	A noção de que não existem gêneros ou tipos gerais mas apenas indivíduos.
	
	C
	A compreensão de que o mundo suprassensível é incognoscível.
	
	D
	A ideia de que a matéria, por oposição à forma, tem primazia no conhecimento.
	
	E
	A noção de que todos os indivíduos são compostos de forma e matéria.
Você acertou!
\u201cPara Aristóteles, as ideias das coisas estão nas próprias coisas, e não em um mundo suprassensível, em um mundo ideal\u201d. (p. 177).
\u201cDiante dessa perspectiva, podemos compreender também a concepção aristotélica do chamado hilemorfismo teleológico (do grego, hylé significa matéria e morphé significa forma): todas as coisas são constituídas de dois princípios constitutivos básicos e fundamentais, são constituídos por matéria e forma (esta é a doutrina do hilemorfismo de Aristóteles)\u201d. (p. 182).
Questão 3/5 - História da Filosofia Antiga
Leia o texto a seguir:
\u201cConvenção (nómos) é aquilo que não é por natureza (phýsis), mas por opinião e por acordo entre os homens. A percepção das qualidades das coisas é subjetiva, isto é, depende das disposições do corpo de cada um [\u2026] de tal modo que diferentes homens terão diferentes percepções das coisas, e um mesmo homem, dependendo das disposições de seu corpo, terá percepções diferentes da mesma coisa\u201d.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: CHAUÍ, Marilena. Introdução à história da Filosofia: dos pré-socráticos a Aristóteles. São Paulo: Companhia das Letras, 2002. p. 123.
O texto acima se refere à teoria do conhecimento desenvolvida pelos filósofos atomistas. Conforme o livro-base Introdução à Filosofia Antiga, Demócrito e Leucipo não são relativistas, porque:
Nota: 0.0
	
	A
	as sensações dependem, em parte, da forma dos átomos e não são, portanto, inteiramente subjetivas.
\u201cDemócrito parece considerar, portanto, que o sujeito tem certa autonomia no ato de conhecer, na medida em que \u2018traduz\u2019 qualitativamente (doce, amargo, frio, quente) o que no próprio objeto é determinada constituição atômica. Aquela autonomia, porém, seria restrita: a liberdade de convencionar estaria limitada pelo tipo de átomo que compõe o objeto\u201d (p. 114-115).
	
	B
	eles julgam que o ser é uno e imóvel, o que nega a mobilidade e a transitoriedade da realidade sensível.
	
	C
	eles postulam, assim como os demais pré-socráticos, a existência de um único princípio organizador do cosmo.
	
	D
	as percepções são, segundo Demócrito e Leucipo, determinadas pelos átomos e não pelos sujeitos.
	
	E
	os átomos são considerados partículas unas e indivisíveis que não admitem, portanto, o movimento.
Questão 4/5 - História da Filosofia Antiga
Leia o texto a seguir:
\u201cA escrita gera nova idade mental porque exige de quem escreve uma postura diferente daquela de quem apenas fala\u201d.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: ARANHA, Maria L. de A.; MARTINS, Maria H. P. Filosofando: introdução à filosofia. São Paulo: Moderna, 2003. p. 81.
A escrita ou o alfabeto constituiu um acontecimento importante na história da civilização grega. De acordo com o livro-base Introdução à Filosofia Antiga, responda à seguinte questão: qual foi sua principal contribuição para o surgimento da filosofia?
Nota: 20.0
	
	A
	O alfabeto promoveu a desmistificação dos fenômenos da natureza.
	
	B
	O alfabeto estimulou a ascensão social da classe dos comerciantes.
	
	C
	O alfabeto proporcionou maior clareza na definição das ideias.
Você acertou!
O surgimento do alfabeto grego proporcionou uma maior clareza na descrição de ideias e conceitos abstratos (p. 43).
	
	D
	O alfabeto relativizou a crença nas divindades gregas.
	
	E
	O alfabeto fortaleceu a tradição homérica.
Questão 5/5 - História da Filosofia Antiga
Leia o texto a seguir:
\u201cSócrates \u2013 Então, ao que parece, a retórica é obreira da persuasão que promove a crença, não o conhecimento, relativo ao justo e ao injusto?
Górgias \u2013 Exato.
Sócrates \u2013 Sendo assim, o orador não instrui os tribunais e as demais assembleias a respeito do justo e do injusto, mas apenas lhes desperta a crença nisso\u201d.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: PLATÃO. Górgias. In: _______. Protágoras, Górgias, Fedão. Belém: EDUFPA, 2002. p. 139.
O texto acima é uma parte de um diálogo entre Sócrates e um sofista, Górgias. De acordo com o livro-base Introdução à Filosofia Antiga, Sócrates critica os sofistas, porque:
Nota: 0.0
	
	A
	eles se interessam pela formação dos jovens para a democracia.
	
	B
	eles desenvolveram um pensamento que rejeita a cultura dos mitos.
	
	C
	eles praticam uma arte, a retórica ou oratória, que não busca a verdade.
\u201cSócrates acusava os sofistas afirmando que eles não buscavam a verdade em seus discursos, mas apenas se contentavam em produzir \u2018pseudoverdades\u2019, tais como, enganar, persuadir e lucrar pela cobrança desses ensinamentos. Por isso os sofistas também eram chamados de \u2018mercadores do saber\u2019, impostores e malabaristas de argumentos (Cf. CHAUÍ, 2000, p. 43)\u201d (p. 128).
	
	D
	eles implementaram uma forma de educação semelhante à dos poetas.
	
	E
	eles possuem uma perspectiva contrária aos ideias democráticos de Atenas.
uestão 1/5 - História da Filosofia Antiga
Leia o fragmento de texto a seguir:
\u201cSentimos necessidade do prazer somente quando sofremos pela ausência do prazer,