Pavimentação
27 pág.

Pavimentação


DisciplinaProjeto de Infraestrutura Urbana88 materiais111 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Infraestrutura Urbana
PAVIMENTAÇÃO
Alunos: Andreza C. Münzfeld, Gabriela Machado, Poliana T. Costa, Sabrina de Amaral e William D. Carvalho
Conceito
	Pavimentar significa revestir um piso ou chão com uma cobertura. No âmbito da engenharia, pavimentação constitui uma base horizontal composta por uma ou mais camadas sobrepostas, elevando sua durabilidade e facilitando o fluxo de veículos e pessoas.
	Conceituação parecida é utilizada para se referir especificamente à pavimentação asfáltica. Trata-se da mesma definição utilizada pelos engenheiros, mas observando as propriedades de resistência ao tráfego contínuo, proporcionando condições ideais ao rolamento.
	Como estrutura, o pavimento deve ser elaborado levando em conta variáveis como a base do terreno, fluxo esperado, clima e outras pertinentes. Devem ser considerados, ainda, possíveis impactos causados por intempéries e a natural deterioração da superfície.
	Embora seja comum relacionar pavimentação a asfalto, o termo também designa os tipos de cobertura de chão para pedestres, como calçamento, e pisos interiores.
Pavimentação Urbana no Brasil
	Os pavimentos urbanos no Brasil sofreram um acentuado impulso, desde a promulgação
da constituição em 1988, dada a melhor organização dos municípios brasileiros, bem como pelo
início de destinação de verba, pelo governo federal, para as prefeituras executarem obras de
infraestrutura (PREGO, 2001). 
	Com o aumento da pavimentação dos logradouros, bem como com o desenvolvimento de novas técnicas de pavimentação, as cidades foram migrando dos antigos métodos de calçamento das ruas para a pavimentação flexível que se conhece hoje, e mais tarde os grandes centros passariam a utilizar-se, também, de pavimentos rígidos. 
	Essas mudanças no jeito de se pavimentar e em seu crescimento, comentado anteriormente, tiveram uma maior expressão, inicialmente, nas cidades da região sul e sudeste do país, onde se concentravam os maiores centros urbanos da época, bem como uma maior referência e experiência rodoviária. 
	Embora a pavimentação urbana tenha experimentado um crescente aumento nas últimas décadas, existe ainda, em nosso país, um enorme déficit da mesma, com uma expressiva quantidade de cidadãos que não possuem tal benefício. 
	Como principais fatores, geradores de déficit, dois merecem destaque, sendo eles: o crescimento desordenado dos municípios, reflexo da falta de um plano diretor bem definido, de boas políticas públicas e da falta de fiscalização do poder público; e a falta de recursos financeiros das prefeituras, frente ao elevado preço de uma obra de pavimentação, bem como pela política tributária atual e má gestão pública em alguns casos.
Tipologias existentes
São divididos basicamente em três tipos os pavimentos urbanos:
*Rígidos
*Semirrígidos
*Flexíveis
Pavimentos Rígidos
	São aqueles cuja base é o concreto / cimento, e são indicados para vias em que haja tráfego pesado. Caracterizam-se por oferecer resistência às cargas empregadas, não cedendo a pressões externas, absorvendo quase toda a tensão. Apresentam pouca ou nenhuma deformação.
Pavimentos Semirrígidos
	São uma modalidade intermediária entre pavimentos rígidos e flexíveis, já que sua base de cimento é recoberta de asfalto. Da mesma forma, apresenta propriedades intermediárias em relação à resistência, deformação e absorção das tensões.
Pavimentos Flexíveis
	Diferenciam-se dos demais por não empregarem, nem na sua base, nem na superfície, concreto ou cimento, ou seja, o revestimento cobre uma base de brita, o próprio solo original terraplanado ou outros materiais. São indicados em vias de tráfego menos pesado, e são compostos de base, sub-base e revestimento.
	A base para um pavimento flexível pode ser granular aditivada ou não, e coesiva, com ligante ativo ou asfáltico.
	Diferentemente do pavimento rígido, o flexível apresenta menor resistência a impactos, moldando-se conforme a carga imposta.
Os pavimentos flexíveis, podem, em decorrência de imperfeições na base ou mesmo uso inadequado dos revestimentos, apresentar fissuras ou deformidades.
De qualquer maneira, há o desgaste natural do tempo, que faz com que o asfalto perca seu aspecto original. O selante asfáltico Betuseal rejuvenesce o asfalto, selando fissuras e devolvendo sua coloração escura, em estradas, ciclovias ou condomínios.
Flexível
Rígido
Semirrígido
Tipologias existentes
Pavimentos Intertravados
	Pavimento intertravado é um tipo de piso feito com blocos de concreto pré-fabricados, assentados sobre uma camada de areia e travados entre si por contenção lateral e por atrito entre as peças. O piso é permeável, oferece excelentes ganhos ambientais e pode ser utilizado em vários lugares. 
	Pavimento intertravado de concreto é um tipo de piso que pode ser considerado uma espécie de substituto do paralelepípedo. Até pela aparência similar entre ambos. Ele também é conhecido como bloquete, pavimentos drenantes ou pavers.
	Esse tipo de piso pode ser utilizado em vários lugares, sendo bem comum de ser encontrado no dia a dia. 
	Calçadas, ruas, estradas, ciclovias, praças, parques e garagens são só alguns dos locais onde esse tipo de pavimento pode ser usado.
Sextavado ou hexagonal indicado para áreas com circulação de carros. É muito usado e pode ter o formato encontrado também em praças;
Raquete indicado para efeitos não lineares, possui um modelo de raquete de tênis, o que garante um encaixe perfeito entre os blocos;
16 faces ou onda: utilizado em acessos para garagens e jardins;
Ossinho: tem mesmo um formato de osso e deve ser assentado de maneira intercalada;
Piso grama: a grande vantagem desse tipo é manter o nível de permeabilidade do piso alto, sendo um modelo vazado apropriado para preenchimento com grama;
Três pontas: representa a união geométrica de três pequenos hexágonos, com 12 faces que proporcionam um nível de travamento bastante elevado, sendo indicado para calçadas e áreas externas;
Retangular: modelo clássico e popular que lembra o paralelepípedo, usado em várias situações. É um dos modelos com o maior apelo artístico para formar desenhos com cores diferentes em calçadas e calçadões de pedestres.
O material tem grande força no Brasil nos projetos de arquitetura e paisagismo, tendo chegado ao país ainda nos anos 70. Mas, tal piso nada mais é que uma evolução gerada a partir dos pavimentos revestidos com pedras utilizados na Mesopotâmia \u2013 isso há quase 5.000 anos a.C. \u2013 e muito utilizados pelos romanos desde 2.000 a.C.
Tipologias existentes
Pavimentos Asfálticos
	Primeiramente, pavimento é uma estrutura composta pro várias camadas sobre a superfície final da terraplanagem, destinada a resistir aos esforços oriundos do tráfego de veículos e do clima e a garantir aos usuários melhores condições de rolamento, com conforto, economia e segurança.
	Pois bem, dentre os tipos de pavimento existentes, são eles rígidos, semirrígidos e flexíveis, o pavimento asfáltico é caracterizado como pavimento flexível.
	Esse tipo de pavimento se diferencia dos demais por apresentar deformação elástica significativa sob o carregamento aplicado em todas as camadas e, portanto, a carga se distribui em parcelas aproximadamente iguais entre elas.
	Dessa forma, o pavimento asfáltico é um tipo de pavimento flexível em que a camada de revestimento é composta por uma mistura constituída de agregados e ligantes asfálticos betuminosos.
	Esses ligantes são os principais responsáveis pelas características do asfalto e são oriundos da destilação do petróleo e têm a propriedade de ser um adesivo termoviscoplástico, impermeável à água e pouco reativo.
Revestimento
	O revestimento asfáltico é a camada superior destinada a resistir diretamente às ações do tráfego e transmiti-las de forma atenuada às camadas inferiores, impermeabilizar o pavimento, além de melhorar as condições de rolamento.
Base
	A base é a camada sobre a qual se constrói o revestimento e é destinada a resistir aos esforços verticais oriundos dos veículos