Regência Verbal
11 pág.

Regência Verbal


DisciplinaPortuguês69.668 materiais1.606.521 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Português - Gramática 
 
 
 
 
REGÊNCIA VERBAL 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1 
 
 
Sumário 
 
Introdução ........................................................................................................................................ ..2 
 
Objetivos ..............................................................................................................................................2 
 
1. Regência verbal ..........................................................................................................................2 
1.1. Casos de regência verbal ...................................................................................................3 
1.2. Regência de verbos intransitivos .....................................................................................7 
 
Exercícios .............................................................................................................................................7 
 
Gabarito ...............................................................................................................................................8 
 
Resumo ................................................................................................................................................8 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2 
 
Introdução 
Dando continuidade ao tema da regência, que é a relação de dependência 
que ocorre entre um verbo ou um nome e seus complementos, visto na apostila 
\u201cRegência Nominal\u201d, nesta aula iremos abordar como essa relação acontece nos 
verbos. Apontaremos os principais tipos de regência verbal dos verbos intransitivos, 
aqueles que não precisam de complemento, pois têm o sentido completo. 
Estudaremos os casos de regência verbal com ou sem preposição. 
Para finalizar, veremos exemplos dos verbos chegar e ir. 
Objetivos 
\u2022 Indicar os casos de regência verbal; 
\u2022 Explicitar a regência de verbos intransitivos. 
 
1. Regência verbal 
Os verbos se relacionam em uma oração com o que denominamos de 
complementos. 
No caso da regência verbal, há dois tipos de complementos: objeto direto e 
objeto indireto. Assim, a regência verbal se refere à relação entre verbos e seus 
complementos e na atenção dada ao uso ou não de preposição. 
Também já vimos que na análise da regência, há a presença de dois termos: o 
regente (aquele que rege) e o regido (o que complementa o regente). 
 
EXEMPLO 
 
 
No exemplo, vemos que o verbo \u201cacomodar\u201d exige o uso da preposição \u201ca\u201d 
antes de seu complemento \u201cmesa\u201d. Desse modo, a construção \u201cAssim que chegou, 
acomodou-se na mesa\u201d estaria inadequada. Pois equivaleria afirmar que o indivíduo 
se sentou em cima da mesa. 
 
 
 
 
Assim que chegou, acomodou-se à mesa. 
 
 
3 
 
 
 01 
A imagem da regência do verbo acomodar-se. 
 
Por isso, é importante saber o tipo de preposição que mais convém adotar em 
um contexto oracional para não prejudicar o sentido, além de demonstrar 
competência linguística. 
 
1.1. Casos de regência verbal 
Como já vimos que alguns verbos necessitam de palavras ou expressões que 
completem o seu sentido, compreendemos, com isso, que passa a existir uma 
interdependência entre o termo complementado (regente) e o termo que o 
complementa (regido). 
Vamos então observar como frequentemente usamos o verbo chegar na 
linguagem do dia a dia. 
 
 
 
 
Esse tipo de construção nos é tão comum na oralidade que acabamos a 
usando na escrita também, o que não é aconselhável, já que a preposição \u201cem\u201d não 
é adequada para o verbo \u201cchegar\u201d. O correto é chegar a algum lugar e não em 
algum lugar. 
SAIBA MAIS! 
 
 
 
 
 
Cheguei em casa
. 
Fique mais por dentro da regência do verbo chegar, 
acessando o site Conjugação, que trata sobre esse 
assunto. 
 
 
4 
 
Mas é fácil saber quando um verbo exige o uso da preposição a. Basta saber 
se o termo regido, isto é, o complemento do verbo é precedido pelo artigo a. No caso 
do nosso exemplo \u201cCheguei à casa\u201d, a palavra casa pode ser antecedida pelo artigo 
a. E quando aparecer especificada: Cheguei à casa de Miguel, a preposição a com o 
artigo a se juntam e formam o que denominamos de crase \u201cà\u201d. 
Vejamos alguns casos mais comuns de regência verbal com 
acompanhamento de preposições que se relacionam aos verbos. 
 
VERBO PREPOSIÇÃO 
Atender a 
Batalhar com 
Combater contra / por 
Desobedecer a 
Expor a 
Fundar-se em 
Gozar de 
Habituar-se a 
Interessar-se por 
Justificar (se) de / a 
Limitar-se a / com 
Manter-se com 
Negar-se a 
Obrigar a 
Proibir a 
Querer a 
Referir-se a 
Safar-se a 
Tingir de 
Ungir com 
Visar a 
 
5 
 
(pretender) 
Tabela 1. Regência de alguns verbos 
Fonte: BECHARA, 2009, p. 572-581. 
 
Alguns verbos, dependendo do sentido que se queira transmitir, podem vir 
acompanhados da preposição a ou não. Como exemplo, vamos analisar em um 
contexto oracional o verbo visar, que admite diversos significados. 
a. O candidato visa ao cargo de gerente. (Sentido de pretender, almejar). 
b. Nos fins de semana visava o sol pela janela. (Sentido de olhar, ver). 
c. O turista teve que visar o seu passaporte. (Sentido de autenticar). 
d. O jogador visou o alvo e chutou para o gol. (Sentido de alvejar). 
 
O mesmo se dá com o verbo assistir. 
a. Assistimos ao espetáculo ontem. (Sentido de presenciar, ver). 
b. O professor assistiu o aluno. (Sentido de ajudar, apoiar, socorrer). 
c. O projeto assiste exclusivamente a você. (Sentido de compete, 
pertencer, caber). 
 
Notamos que em um dos casos a preposição se contrai: a+o = ao, por isso é 
importante atentar para o significado que o verbo adquire na oração. 
Mas existem outros verbos que também são usados de maneira frequente em 
nosso cotidiano, como: 
Com preposição 
\u2022 Distinguir de 
\u2022 Proceder a 
\u2022 Pagar a (alguém) 
\u2022 Apaixonar por 
\u2022 Meditar sobre 
 
Sem preposição 
\u2022 Beber 
\u2022 Fazer 
\u2022 Comer 
\u2022 Ler 
\u2022 Ouvir 
 
 
 
 
6 
 
EXEMPLO 
 
 
 
 
 
Para saber se o verbo acompanha ou não a preposição, basta perguntar a ele: 
\u2022 Sabe-se o quê? 
\u2022 Leu o quê? 
\u2022 Perdoou a quem? 
\u2022 Chamou quem? 
\u2022 Obedeceu a quem? 
 
E assim por diante. Exemplos esses com verbos transitivos, isto é, aqueles 
que admitem complementos (objeto direto ou indireto). 
 
DICA 
 
 
 
 
Uma boa gramática deve nos acompanhar sempre, fazer parte de nossa 
rotina de estudos para que estejamos atualizados com base nos conhecimentos 
necessários a adquirir. 
 
 
 
 
Procure estudar mais sobre a regência de verbos para 
ficar craque e não hesitar na hora de sua prova. Para 
tal, leia o livro de Evanildo Bechara. 
BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. 37. Ed. Rio de 
Janeiro: Nova Fronteira, 2009. p. 572-581. 
 
\u2022 Sabemos distinguir aipo de aipim. (trans. direto) 
\u2022 Ele procedeu à reunião com sucesso. (trans. indireto) 
\u2022 Pagou o cheque ao vendedor. (trans. direto e indireto) 
\u2022 Apaixonei-me por você. (trans. indireto) 
\u2022 Meditamos sobre o assunto. (trans. indireto) 
 
7 
 
1.2. Regência de verbos intransitivos 
Já estudamos que verbos intransitivos se diferem de verbos transitivos por 
não precisarem de complementos para haver sentido completo. Vamos analisar dois 
verbos intransitivos. 
\u2022 Chegar = Chegamos a São Paulo. (Adjunto adverbial de lugar) 
\u2022 Ir = Fomos a Salvador. (Adjunto adverbial de lugar) 
Percebemos que os termos