A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
A Primeira Lei de Newton

Pré-visualização | Página 3 de 5

1. 
YOUNG, Hugh D.. Física 1. São Paulo: Addison Wesley, 2008. 
 
Referências imagéticas 
FIGURA 
1.https://images.search.yahoo.com/yhs/search;_ylt=AwrC_BxOsNpcv3cAlwEPxQt.;_ylu=X3oDMTB0N2Noc21lBGNv
bG8DYmYxBHBvcwMxBHZ0aWQDBHNlYwNwaXZz?p=Galileu+Galilei&type=wAk6eiOb6HbiTSP6ezINkTiQQ6QQ&hsp
art=yardi&hsimp=yhs-
001&param2=XPbueSzfBeG6K2MlxBpfEJSa1Mu6nPBZLd%2FZZxt4nZILHQWQLp0Yh9HYQPWcnZT57kK7cTOZ0rzgej8
0NxwEa1eNDcdNkTs2tnIdZokmXRJGyA7PATiTcJ29Vp5lsXoHiondHbmURvWpH8gRV0pdbw4q%2FK3Drgdb62hN%2Fc
mT2mctzdmtacQa9moJI4zyAKKmccXNiK%2FiYJAZMkcg4SDSEk1beWEU7U7IbXa7ixBpBuI9mTKMo5l33B%2B3RVSwsz
KV7HOQUNojthNA0PJWauYsK12i%2FDVD1bhVi%2FKSa2EkcBd6eUp7gLF989GazS15dv%2B97YopvAfCebg%2BnNRW
inEWtwvsPsy%2FZgBTcQg7ui9pbT%2B3w%2BR53JXOrjLHdcr3%2FUNgDsj4iFz%2F5GmJdYVW7MM44aY5AoUlOVkV
mnCjlR4Yd4fg3Z4SXJgFznDfiHcwW1qQWkqecSocM4RwPOB7Pf3cttxUkjo4tkhLkoVb8N0Uj9SQlxHI%2FXpucCYC2RQh
HraE%2FkBLn06pATckeCZWBri%2BM7VxbaVDfkCjf8Hmuh04Ew%2BGMKLRoWDsX7Qh2NYbnk5mKg25CJnRaSlFPTq
uCyKOek%2FHtg95jN6T%2BVwMqBEBhu5dUWcQLqw%2Fi9Z9snax8pMhqlXnPYvDQGaQxi1GenvmQA%3D%3D%7EY
f0Wf1zr0Ee2&ei=UTF-8&fr=yhs-yardi-
001#id=12&iurl=https%3A%2F%2Fimage.slidesharecdn.com%2Fgalileugalileibiblioteca-090512104508-
phpapp02%2F95%2Fgalileu-galilei-biblioteca-1-728.jpg%3Fcb%3D1242125166&action=click 
- Acessado em: 06 mar.2019, às 12h34. 
FIGURA 2. 
https://images.search.yahoo.com/yhs/search;_ylt=AwrEzNRUsNpcp10AcyU2nIlQ;_ylu=X3oDMTBsZ29xY3ZzBHNlYw
NzZWFyY2gEc2xrA2J1dHRvbg--
;_ylc=X1MDMTM1MTE5NTcwMgRfcgMyBGFjdG4DY2xrBGNzcmNwdmlkA2dhZlVrREV3TGpJRDdxaUZXLkRoekFEQ01
Ua3lMZ0FBQUFEdEdLSmYEZnIDeWhzLXlhcmRpLTAwMQRmcjIDc2EtZ3AEZ3ByaWQDTVdXMWttN1lSM1N0c1h5Qmlf
bXcuQQRuX3N1Z2cDMTAEb3JpZ2luA2ltYWdlcy5zZWFyY2gueWFob28uY29tBHBvcwMwBHBxc3RyAwRwcXN0cmwD
BHFzdHJsAzEzBHF1ZXJ5A0lzYWMlMjBOZXd0b24EdF9zdG1wAzE1NTc4MzU5NTU-?p=Isac+Newton&fr=yhs-yardi-
001&fr2=sb-top-images.search&ei=UTF-8&n=60&x=wrt&type=wAk6eiOb6HbiTSP6ezINkTiQQ6QQ&hsimp=yhs-
001&hspart=yardi&param2=XPbueSzfBeG6K2MlxBpfEJSa1Mu6nPBZLd%2FZZxt4nZILHQWQLp0Yh9HYQPWcnZT57kK
7cTOZ0rzgej80NxwEa1eNDcdNkTs2tnIdZokmXRJGyA7PATiTcJ29Vp5lsXoHiondHbmURvWpH8gRV0pdbw4q%2FK3Dr
gdb62hN%2FcmT2mctzdmtacQa9moJI4zyAKKmccXNiK%2FiYJAZMkcg4SDSEk1beWEU7U7IbXa7ixBpBuI9mTKMo5l33
B%2B3RVSwszKV7HOQUNojthNA0PJWauYsK12i%2FDVD1bhVi%2FKSa2EkcBd6eUp7gLF989GazS15dv%2B97YopvAfC
ebg%2BnNRWinEWtwvsPsy%2FZgBTcQg7ui9pbT%2B3w%2BR53JXOrjLHdcr3%2FUNgDsj4iFz%2F5GmJdYVW7MM44
aY5AoUlOVkVmnCjlR4Yd4fg3Z4SXJgFznDfiHcwW1qQWkqecSocM4RwPOB7Pf3cttxUkjo4tkhLkoVb8N0Uj9SQlxHI%2F
XpucCYC2RQhHraE%2FkBLn06pATckeCZWBri%2BM7VxbaVDfkCjf8Hmuh04Ew%2BGMKLRoWDsX7Qh2NYbnk5mKg2
5CJnRaSlFPTquCyKOek%2FHtg95jN6T%2BVwMqBEBhu5dUWcQLqw%2Fi9Z9snax8pMhqlXnPYvDQGaQxi1GenvmQA
%3D%3D%7EYf0Wf1zr0Ee2#id=0&iurl=https%3A%2F%2Fupload.wikimedia.org%2Fwikipedia%2Fcommons%2F3%2F
39%2FGodfreyKneller-IsaacNewton-1689.jpg&action=click- Acessado em: 06/03/2019 às 12h50. 
www.fisicaaplicada.com.br – Acessado em 06 mar. 2019, às 09h50. 
 
 
 
 Física I 
 
 
 
 
A SEGUNDA LEI DE NEWTON 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1 
 
Sumário 
 
Introdução........................................................................... Erro! Indicador não definido. 
 
Objetivo ............................................................................... Erro! Indicador não definido. 
 
1. Título ................................................................................ Erro! Indicador não definido. 
1.1 Subtítulo ........................................................................ Erro! Indicador não definido. 
1.2. Subtítulo ....................................................................... Erro! Indicador não definido. 
 
Exercícios ............................................................................ Erro! Indicador não definido. 
 
Gabarito ............................................................................... Erro! Indicador não definido. 
 
Resumo ................................................................................ Erro! Indicador não definido. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Introdução 
Poderíamos iniciar a tratativa dessa apostila, indagando: O que acontece com 
a velocidade de um corpo qualquer quando a força resultante não é igual a zero? 
 
2 
 
Para respondermos tal indagação, se faz necessário conhecermos a segunda lei de 
Newton. 
Tal lei é conhecida popularmente por Princípio Fundamental ou Princípio 
da Proporcionalidade ou Segunda Lei de Newton, sendo que a mesma analisa 
essencialmente o que ocorre com a velocidade do corpo quando a força resultante 
não é nula. em outras palavras, a segunda lei de Newton, nos mostra que o efeito de 
uma força resultante não nula é o de criar uma aceleração no corpo ao qual está 
agindo. 
 depois de conhecermos nas entrelinhas a primeira lei de Newton (lei da 
inércia), que afirma que qualquer objeto em equilíbrio mantém, por inércia, sua 
velocidade vetorial constante, vamos trabalhar com a segunda lei de Newton. Vamos 
conhecê-la? 
 
Objetivo 
• Conhecer a segunda lei de Newton. 
• Compreender a importância da segunda lei de Newton em situações 
cotidianas do nosso dia a dia. 
 
5. Princípio Fundamental ou 2ª Lei de Newton 
Ao interpretarmos o Princípio da Inércia ou Primeira Lei de Newton, 
visualizamos que, quando a força resultante num ponto material é nula, seu vetor 
velocidade permanence constante. 
Em símbolos, temos que: 
FR = 0 ⇔ 𝑣 ⃗⃗⃗ é constante 
O Princípio Fundamental ou Princípio da Proporcionalidade ou Segunda 
Lei de Newton, analisa o que acontece com a velocidade do corpo quando a força 
resultante não é nula. 
IMPORTANTE! 
 
 
 
 
Note que a primeira Lei de Newton está associada ao 
equilíbrio de um corpo (força resultante nula), a 
segunda Lei de Newton está associada aos corpos 
acelerados (força resultante não nula). Para a segunda 
Lei de Newton, precisamos do conceito de massa de um 
corpo. Grosso modo, a massa de um objeto é uma 
medida quantitativa da inércia desse objeto. 
 
 
3 
 
 
É interessante observarmos também, que durante muitos séculos se pensava 
que o efeito dinâmico da ação das forças era gerar ou manter a velocidade das 
partículas em que agissem. 
Desta maneira, a 1ª Lei de Newton alterou essa argumentação, não é 
necessária uma força para manter a velocidade. qualquer porção limitada de 
matéria possui inércia, isto é, uma vez em movimentção tende a permanecer nesse 
estado de modo indefinido. 
Nessa direção, poderíamos indagar: Então, qual seria o efeito da ação de 
uma força resultante não nula sobre um corpo? Pensemos! Se, quando a força 
resultante é nula, o vetor velocidade permanence inalterado (constante), quando a 
resultante não é nula, o vetor velocidade sofrerá alterações (variações). Em outras 
palavras, isso nos diz que, o efeito de uma força resultante não nula é o de gerar 
uma aceleração no corpo ao qual está aplicada. 
Em verdade, a segunda Lei de Newton descreve que a razão entre a resultante 
das forças aplicadas em um ponto material e a aceleração que o ponto material 
adquire resulta em uma constante que é a massa do corpo: 
𝐹𝑅⃗⃗⃗⃗ = m.𝑎 ⃗⃗⃗ 
 Tal relação é também conhecida como Princípio Fundamental . 
 Observemos que, como a massa é constante e sempre positiva (maior do 
que zero), a aceleração de um ponto material está na mesma direção e sentido que a 
resultante das forças que agem sobre ela. Vejamos a figura a seguir. 
 
 
Interpretando a 2ª Lei de Newton. 
 
Com relação a figura anterior, a força resultante está na direção horizontal

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.