A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Relatório extração da caseina

Pré-visualização | Página 1 de 1

Curso: Química
Período: Noite
Relatório: Extração da Caseína do Leite
Professor: Ângela
ALUNOS: 
Adauany Rachid
Deiverson Morais
Gabriel Morais
Gustavo Amorim
JACAREÍ
2019
SUMÁRIO
OBJETIVO
Extrair a proteína caseína do leite em laboratório
INTRODUÇÃO TEÓRICA
A caseína é uma proteína do tipo fosfoproteína encontrada no leite fresco. Estas proteínas encontram-se com frequência no leite de mamíferos, sendo cerca de 80% da proteína encontrada no leite de vaca e entre 20% e 45% das proteínas no leite humano. Quando coagulada com renina é chamada "paracaseína" (caseína de coalho) e, quando coagulada através da redução de pH (utilização de ácidos) é chamada "caseína ácida". A terminologia britânicausa o termo "caseinogênio" quando a proteína não está coagulada e "caseína" quando a proteína está coagulada. Como existe no leite é um sal de cálcio.
A caseína não coagula com o calor. É precipitada pelos ácidos ou pela renina (ou quimosina), uma enzima proteolítica produzida no estômago dos vitelos (bezerros) recém-nascidos (também é produzida por alguns tipos de plantas e microrganismos). A enzima tripsina hidrolisa a peptona retirando o fosfato.
É relativamente hidrofóbica, tornando-se pouco solúvel em água. 
Encontra-se no leite como uma emulsão de partículas de caseína (micelas de caseína), de modo que a região hidrófoba (apolar) fica no interior e a região hidrófila (polar) na superfície exposto a água. As caseínas das micelas se prendem juntas por íons de cálcio e interações hidrofóbicas.
Além de ser consumido no leite, produção de derivados do leite (como queijo), a caseína é usada na produção de adesivos, plásticos (para punhos de facas, cabos de guarda-chuvas, botões, etc), como aditivo de alimentos (marshmallow e outros) e para a produção de vários produtos alimentícios e farmacêuticos.
O ponto isoelétrico da caseína é 4.6. É o ponto de pH em que ela precipita (coagulação ácida). A proteína purificada é insolúvel em água. Enquanto é insolúvel em soluções salinas neutras, prontamente se dispersa em meio alcalino diluído e em soluções salinas tais como oxalato de sódio e acetato de sódio.(WIKIPEDIA, 2018)
MATERIAIS E ACESSÓRIOS
	VIDRARIAS
	Becker 600 e 100 mL
Vidro de relógio
	ACESSÓRIOS E EQUIPAMENTOS
	Bico de Bunsen
Tripé
Tela de amianto
Suporte universal
Garra argola
Funil
Recorte de tecido Voal
Bastão de vidro
	REAGENTES
	Leite integral 
Ácido Acético P.A.
PROCEDIMENTOS
Adicionar 300mL de leite integral a um Becker de 600mL.
Adicionar com o auxílio de uma pipeta, 3 mL de ácido acético P.A.
Aquecer a mistura sem deixar ferver até que ocorra a coagulação do leite.
Esperar esfriar.
Filtrar em tecido 
Espremer para retirar toda água.
 
RESULTADOS E DISCUSSÕES 
O procedimento precisou ser feito em dois dias diferentes, pois no primeiro dia, foi feito o aquecimento em banho maria e não ocorreu coagulação, isso pode ter sido causado pelo fato da temperatura não atingir o ponto de coagulação ou por contaminantes no ácido acético glacial utilizado.
Figura 1: Mistura de leite e ácido acético em banho maria
Fonte: Autoria Própria
Já no segundo dia, a mistura foi aquecida em bico de Bunsen, sem levantar fervura e sobre constante agitação.
Decorridos aproximadamente 30 minutos até que fosse totalmente perceptível a coagulação da caseína.
Figura 2:Mistura do leite e ácido acético sob o bico de Bunsen
Fonte: Autoria Própria
Foi deixado em repouso para que se esfria e filtrado em um pedaço de tecido voal. Ao final da filtração o tecido foi espremido para que toda a umidade saísse.
Deixou-se então sob um vidro de relógio.
Ao secar, ele tornou-se quebradiço.
CONCLUSÃO
Conclui-se que a caseína é facilmente extraída do leite integral adicionando-se apenas ácido acético e colocando a mistura sob aquecimento.]
A caseína corresponde a 80% da proteína encontrada no leite de vaca e quando coagulada através da redução de seu pH é chamada de caseína ácida, que foi o que ocorreu nesta prática.
A caseína é utilizada também na produção de adesivos e plásticos, como cabos de guarda-chuva, botões, entre outros.
FISPQ’s
Ácido Acético Glacial P.A. - Disponível em: <http://www.hcrp.fmrp.usp.br/sitehc/fispq/%C3%81cido%20Ac%C3%A9tico%20Glacial.pdf> Acesso em 01/09/2019
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Disponível em: <https://www.ufrgs.br/lacvet/restrito/pdf/quimica_leite.pdf> Acesso em 06/11/2019.
Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Case%C3%ADna>. Acesso em 06/11/2019.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.