Aspectos morfológicos, biológicos e patogênicos dos diferentes tipos de microrganismos
31 pág.

Aspectos morfológicos, biológicos e patogênicos dos diferentes tipos de microrganismos

Pré-visualização1 página
ASPECTOS MORFOLÓGICOS, 
BIOLÓGICOS E PATOGÊNICOS DOS
DIFERENTES TIPOS DE
MICRORGANISMOS
Prof.ª Dr.ª Sarah Regina Vargas
INTRODUÇÃO
\uf0a2 O que são microrganismos ?
\uf0a2 Microrganismos são células microscópicas e de
vida independente.
\uf0a2 Unicelulares
\uf0a2 Vírus \uf0e0 microscópicos acelulares
Robert Hooke \u2013 Invenção do Microscópio - 1664
Antoni van Leeuwenhoek \u2013 Observação dos Microorganismos - 1684
\uf0a2 Características dos microrganismos \u2013 seres vivos
\uf0a2 A membrana citoplasmática 
é uma barreira que separa o 
citoplasma do meio 
ambiente. 
\uf0a2 Outras importantes 
estruturas celulares incluem: 
genoma, o citoplasma, os 
ribossomos e a parede 
celular. 
\uf0a2 O metabolismo e a 
reprodução são 
características essenciais 
associadas ao estado vivo
\uf0a2 As células podem ser 
consideradas usinas 
químicas e dispositivos 
codificadores.
TAXONOMIA
\uf0a2 Taxonomia é a ciência que estuda a classificação
dos seres vivos, estabelecendo relação entre um
grupo e outro e os diferenciando, a partir do
parentesco devido à evolução.
\uf097 Ferramenta básica que auxilia no fornecimento de
uma linguagem universal.
\uf097 A hierarquia taxonômica é reflexo das relações
filogenéticas (história evolutiva dos organismos).
\uf0a2 Linnaeus (XVIII)
\uf097 Iniciou o uso da linguagem
em latim dos organismos
para estabelecer uma
linguagem comum e
universal.
\uf097 Dois Reinos
\uf0a2 Animais
\uf0a2 Plantas
TÁXONS USADOS NA CLASSIFICAÇÃO BIOLÓGICA
\uf0a2 1758: Karl Von Linné (Lineu), propôs o sistema de
organização hierárquica dos seres vivos.
\uf097 Cada um dos grupos hierárquicos pode ser chamado de
TÁXON.
ESPÉCIE E A NOMENCLATURA BINOMIAL
- Conjunto de normas: uniformizar a denominação dos seres
vivos, dando a cada ser vivo um nome científico.
- Escrito em latim e destacado no texto.
- 2 palavras: 1ª GÊNERO
2ª EPÍTETO ESPECÍFICO
AS CLASSIFICAÇÕES BIOLÓGICAS AO LONGO DO TEMPO \u2013
OS CINCO REINOS DOS SERES VIVOS
Lineu - 1735 Haeckel - 1866 Copeland - 1956 Whittaker - 1969
Woese e 
Fox - 1990
\uf0a2 3 domínios \uf0e0 Bacteria, Archaea e Eukarya. 
\uf097 Aceito como a classificação mais adequada aos conhecimentos 
científicos contemporâneos. 
- Bacteria e Archaea: todos os procariontes (Monera).
- Eukarya: eucariontes (Protista, Fungi, Plantae e Animalia).
E OS VÍRUS ??
\uf0a2 São microscópicos e acelulares
\uf097 Extremamente pequenos
\uf0a2 Não possuem nenhuma atividade vital quando não
estão se reproduzindo.
\uf0a2 Parasitas intracelulares obrigatórios: um único vírus,
ao invadir uma célula, pode assumir as atividades
celulares e até mesmo fazer com que as células
hospedeiras trabalhem apenas para produzir novos
vírus.
\uf0a2 Aspectos morfológicos
\uf097Cada tipos de vírus possui uma forma característica específica
\uf097Grande variedade de formas e tamanhos
\uf097Entre 10 e 400 nm
aproximadamente
Mosaico Nu Envelopado Complexo -
bacteriófago
- seres unicelulares
- Isolados ou em Colônias
- procariontes
\uf0a2 Aspectos morfológicos
BACTERIA E ARCHAEA
- Eucariontes
- Unicelulares - leveduras
- Pluricelulares \u2013 filamentosos
\uf0a2 Aspectos morfológicos
\uf097 Unicelulares
\uf0a2Tendem a se agrupar, formando colônias
\uf0a2Forma esférica ou oval
FUNGOS
Candida albicans
\uf0a2 Pluricelulares - Filamentosos
\uf097 O filamento é chamado de HIFA
\uf097 O conjunto de hifas é chamado de MICÉLIO.
\uf097 Podem formar corpo de frutificação: reprodução
\uf097 As hifas são independentes umas das outras: não formam tecidos
verdadeiros.
\u2022 Nas hifas podem ocorrer septos ou não
delimitando as células.
\uf0a2Cenocíticas (vários núcleos)
\uf0a2Septadas (1 ou 2 núcleos)
Microbiologia
Médica
Agrícola
Industrial
Aquática
Ecologia
Biotecnologia
Fisiologia
Genética
Biologia 
Molecular
Bioquímica
E QUAL É A IMPORTÂNCIA DOS
MICRORGANISMOS ??
IMPORTÂNCIA: ECOLÓGICA E ECONÔMICA
\uf0a2 Fertilização do solo.
\uf0a2 Decomposição da matéria 
orgânica
\uf097 reciclagem de elementos
químicos para a manutenção
da vida na Terra;
\uf097 Ciclo do C, N, P, O
\uf0a2 Engenharia sanitária \uf0e0
tratamento de água e resíduos
o Indústrias Farmacêutica
\uf097 Produção de proteínas humanas em bactérias \u2013 hormônios
de crescimento e insulina;
\uf097 Cosméticos;
\uf097 Antibióticos e vitaminas.
http://img.blogcu.com/uploads/klonlama_tranfer_and.jpg
http://img.blogcu.com/uploads/klonlama_tranfer_and.jpg
Antibióticos
Acetobacter
\uf0a2 Industrias alimentícia e alcoólica
Streptococcus thermophilus
\uf0a2 Agricultura
Lactobacillus
S. aureus
E. coli
\uf0a2 Saúde
\uf097 Todas as pessoas 
possuem 
microrganismos na 
superfície e dentro do 
corpo. Eles constituem 
a microbiota ou flora 
normal.
E QUANDO CAUSAM DOENÇAS ??
Aspectos patogênicos
\uf0a2 Os microrganismos que causam doenças são 
chamados de patógenos.
\uf0a2 Os microrganismos patogênicos têm propriedades 
especiais que permitem que eles invadam o corpo 
humano ou produzam toxinas.
\uf0a2 Quando um microrganismo supera as defesas do 
hospedeiro, um estado de doença se desenvolve.
\uf0a2 Patogenicidade \uf0e0 e\u301 a capacidade de um organismo em 
causar doença por meio da superação das defesas do 
hospedeiro
\uf097 Para causar doença, a maioria dos patógenos deve obter 
acesso ao hospedeiro, aderir-se aos tecidos, penetrar ou 
escapar das defesas e danificar os tecidos do hospedeiro.
\uf097 Alguns micróbios causam doença em decorrência do 
acúmulo de excretas/toxinas microbianas produzidas.
\uf097 Os patógenos podem penetrar no corpo humano ou em 
outros hospedeiros com a ajuda de várias vias, chamadas 
de portas de entrada:
\uf0a2Membranas mucosas
\uf0a2Pele
\uf0a2Via parenteral (rompimento da pele e membranas)
\uf0a2 Experimentos para provar que determinado microrganismo 
causa uma doença
MADIGAN, Michael T.; MARTINKO, John M.; DUNPLAP, Paul V.; CLARK, David 
P. Microbiologia de Brock. Porto Alegre: Artmed, 2011.
TORTORA, Gerard J.; FUNKE, Berdell R.; CASE, Christine L. Microbiologia. 
Porto Alegre: Artmed, 2017.
http://www.wisc.edu/
http://www.ifi.unicamp.br/~ghtc/Contagio/intro.html \u2013 Livro sobre a 
História do Contágio
http://www.bact.wisc.edu/Microtextbook/index.php - Livro Virtual da 
Universidade de Winscosin
http://www.textbookofbacteriology.net/
http://www.erc.montana.edu/default.htm
http://files.cienciapatodos.webnode.pt/200000025-
e6bd6e7b75/microbiota%20do%20corpo%20humano_Olga%20Lage.jpg
Referências Bibliográficas