A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
45 pág.
Resumo Fisioterapia Veterinária

Pré-visualização | Página 4 de 5

para animais ansiosos como relaxamento, em casos de dor aguda ou crônica, como aquecimento para animais de competição ou para diminuir a dor pelo acumulo de ácido lático pós prova. Geralmente é uma terapia que os animais aceitam bem e pode ser complementada com acupuntura e alongamento para controle de dor. No organismo a massagem exerce dois tipos de efeitos: o efeito mecânico retirando edema, fibrose ou aderências e o efeito reflexo que é o causado pela liberação hormonal e liberação de mediadores de inflamação que levam a vasodilatação. Os hormônios que são liberados são a serotonina, ocitocina e endorfina. A ocitocina é liberada na massagem relaxante – feita no peito – ela deve ser nossa massagem inicial para relaxar o animal depois partir para as outras. A ocitocina é o hormônio do aconchego e está relacionada a diminuição do estresse, combate do medo, diminuição da PAS, melhora do sistema digestivo, alivio de dores musculares, diminui ansiedade e irritabilidade, melhora o sino, aumenta a flexibilidade e elasticidade, abaixa o ritmo cardíaco... Além disso a ocitocina e a serotonina juntas atuam no sistema imune aumentando o número de leucócitos.
Tipos de massagem
Para planejar a massagem, deve-se buscar o efeito desejado, pois cada técnica é diferente.
1. Relaxante: Tem efeito relaxante, melhora a circulação sanguínea e alivia a tensão. Feita com a mão, passando de maneira sútil de cranial pra caudal, não tem efeito mecânico. É sempre feita no inicío da sessão para que o animal relaxe. Durante essa massagem é possível avaliar o corpo do animal como um todo procurando por massas, inflamações, inchaço e identificando o tônus muscular.
2. Deslizamento: Pode ser feita de duas maneiras, a superficial e a profunda que envolve mais pressão. Tem efeito de auxiliar o retorno sanguíneo e linfático e a força deve ser sempre realizada na direção dos vasos em questão. Também é conhecida como drenagem linfática, a massagem é feita sempre em direção ao linfonodo com uma força maior que a relaxante, mas não muito profundo. Tem duração de 5 a 10 minutos de maneira que eu passe a mão subindo em direção ao linfonodo palpável mais próximo (poplíteo -> inguinal -> axilar -> cervical -> superficial -> submandibular). Irá massagear o linfonodo por 30 segundos e depois irá seguir para o próximo linfonodo sempre de maneira caudal a cranial.
3. Compressão: Responsável pela retirada de aderência e fibrose. Pode ser feita mais de uma técnica:
· Pregueamento: É uma massagem mais forte, mais profunda, irá levantar a pele e ir apertando.
· Amassamento: Nessa massagem irá atingir os músculos, com as duas mão abertas irá apertar de maneira mais profunda. 
· Fricção: É feita para aquecer em competição, irá balançar a mão de maneira circular fazendo pressão profunda, liberando qualquer aderência.
4. Tapotagem: Feita para tonificação muscular, já que o corpo responde à contração muscular e movimento. Ela é feita com movimento de percussão realizado com as duas mãos de maneira alternada. Amplamente utilizada em Pneumopatias. Conhecida como treme-treme, bastante realizado em crianças.
5. Tigger Point: São nódulos crônicos ativados por estresse, inflamação (pós-trauma, processos cirúrgicos, movimentos repetitivos, postura, peso no mesmo local). Esses pontos/nódulos serão encontrados quando realizar uma pressão profunda com as mãos quando for palpar o animal, na qual podem estar localizados em músculos, tendões, ligamentos, fáscia ou pele. Tem a característica de nódulos pálpaveis com perda de elasticidade na região, além de dor. O tratamento é feito com sua retirada que é baseada na compressão. Dentro do nódulo, tem o fuso neuromuscular, que tem a função de detectar uma extensão inesperada do músculo contraindo e impedindo o movimento. Então quando encontrar o nódulo deve sofrer compressão durante 30 segundos. Como resposta a essa compressão o corpo gera uma forte contração muscular chamada de reflexo miotático, e como medida compensatória evitando a fadiga muscular chamada de reflexo miotático inverso. Isso deve ser feito de 3 a 4 vezes ao dia, isso leva a maior flexibilidade e alívio de tensões musculares. 
6. Acupressão: Fazemos pressão em pontos de acupuntura estimulando o fluxo de energia vital que percorre o corpo.
A massagem é contra- indicada em 
· Animais bravos
· Fraturas não consolidadas
· Queimaduras
· Áreas com feridas
· Infecções agudas
· Áreas com tumor (local não pode)
· Áreas com hiperestasia
· CE
· Tromboembolismo
Eletroterapia 
Tem duas funções principais: analgesia e evita atrofia muscular. Além disso pode ser utilizada para ganhar propriocepção já que aumenta a sensibilidade local. É uma terapia feita através de aparelhos que geram corrente elétrica. São dois tipos de corrente a TENS (estimulação nervosa elétrica transmutada) que é a utilizada para analgesia e a FES utilizada para recrutamento muscular. A terapia é feita alterando a frequência, comprimento de onda e intensidade. 
a) Frequência (Hz): é a quantidade de ondas por segundo. Quanto maior o número de ondas por segundo maior a frequência, quanto menor o número menos a frequência. 
b) Comprimento de onda (ms): é o intervalo entre uma onda e outro, quando nossa frequência é alta nosso comprimento de onda é baixo. 
c) Intensidade: varia de pessoa para pessoa. 
A impedância da pele é a resistência exercida por ela frente a eletricidade, ou seja, quanto a pele é capaz de impedir a passagem da corrente. Órgaos com muita agua são capazes de conduzir muito bem a eletricidade, porém locais com excesso de gordura não, então temos: 
Quanto maior a frequência mais a onda vai entrar na pele, então em locais que a condução não é boa ou em animais gordinhos devemos aumentar bem a frequência e consequentemente diminuir o comprimento da onda.
TENS 
O TENS é capaz de exercer a analgesia através de duas teorias. Existem dois tipos de fibras condutoras, as mielínicas (mecanoceptores) que conduzem as informações rapidamente e as amielinicas (nocireceptores) que transmitem informações de forma mais lenta. As fibras amielinicas são as responsáveis por transmitir impulsos dolorosos, já as fibras mielínicas transmitem os impulsos elétricos. Quando sentimos uma dor a informação é captada pelas fibras amielinicas e atingem o corno dorsal – localizados na medula – e caminha ate o córtex cerebral onde a informação é recebida, esse é um processo lento.
A eletroterapia age por competição, ela chega mais rápido ao corno dorsal e fecha as comportas para a passagem da dor, ou seja, a dor transmitida pelas fibras amielinicas não consegue atingir o córtex cerebral pois o corno dorsal está bloqueado.(Teoria das comportas ou portão da dor) 
Após a retirada do eletro esse bloqueio se mantem por pouco tempo, porém a analgesia é longa já que quando os impulsos gerados pelo eletro chegam no córtex ocorre a liberação de opioides endógenos, como endorfina e encefalina. (Teoria do controle descendente) 
A cada cinco ou dez minutos devemos mudar a intensidade porque as células se acostumam e param de despolarizar. Cada anima tem um limite, quando ele começa a se incomodar muito eu devo diminuir, outra opção é colocar a mão e sentir a corrente, se isso acontecer está muito alto. Não existe tempo máximo para essa terapia, o tempo mínimo para funcionar é de 20 minutos. Os eletrodos devem ser posicionados no local onde está doendo, se tivermos uma área grande ou com lesão podemos colocar na sua área dermatoda respectiva. Para dor crônica usamos frequência baixa e alto comprimento de onda, para dor aguda usamos frequência alta e baixo comprimento de onda. 
Iontoforese: colocar uma medicação em gel no eletrodo e faz o eletro, isso aumenta a penetração da medicação. 
FES 
Evita a atrofia muscular e melhora a propriocepção. Com associação de exercícios podemos utilizar para hipertrofia. A terapia FES é feita em fases, temos um tempo de subida de dois segundos (preparo para concentração), tempo de sustentação de seis a dose segundos (contração propriamente dita), tempo de descida que deve ser