A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
69 pág.
Módulo 1 - Gestão em serviços de saúde

Pré-visualização | Página 1 de 24

1 
 
CAPÍTULO 1 
 
 
 
Apresentação 
Robert E. Burke 
 
Para o estudante que pretende saber mais sobre saúde pública, a função de gestão e o motivo de 
estudar gestão são nebulosos, talvez até mesmo irracionais. Um dos vários objetivos deste texto é que 
os estudantes de gestão em saúde pública adquiram a percepção de que os princípios de gestão se 
aplicam a todos os aspectos da vida humana. Embora seja a liderança que cria a visão, é a gestão que 
faz a visão acontecer. Por motivos que deixam os autores deste texto perplexos, existem pessoas que se 
dedicam ao "bem maior" (inclusive à saúde pública), mas não entendem a gestão e a necessidade do 
uso de princípios de gestão testados e comprovados. Para esses desinformados, a gestão é vista como 
algo negativo. Ela é percebida apenas como uma maneira pela qual as corporações usam alguns 
modelos mágicos de eficiência que resultam em mais produtividade e maior lucro para os investidores. 
Alguns acreditam que a gestão não gera benefícios para os usuários dos programas de saúde pública, 
nem para os profissionais que operam esses programas. Na experiência dos autores, muitos estudantes 
de saúde pública querem concluir sua educação em saúde pública e conseguir um emprego importante 
em saúde pública logo após terem recebido seu diploma de bacharelado ou mestrado (talvez até antes 
disso). Esses funcionários da saúde pública estão ávidos para serem o epidemiologista da vez; para 
trabalhar testando a qualidade do ar e da água; ou para projetar, implementar e avaliar novos programas 
de educação em saúde para melhorar os resultados para uma população. Os estudantes de saúde 
pública querem fazer parte da força de trabalho, de modo a criar programas melhores e mais 
abrangentes de promoção e conscientização de saúde. Ficam ansiosos para serem os novos e 
talentosos profissionais da comunidade de saúde, defensores da medicina fundamentada na população. 
São objetivos nobres, mas não são completos. Faltam o conhecimento, a compreensão e a aplicação da 
gestão de saúde pública. 
 
No entanto, do ponto de vista dos editores e autores deste texto, a gestão — uma boa gestão — é 
primordial para todas as atividades de saúde pública, e, sem a gestão, as atividades de saúde pública 
são muito menos eficientes e podem até ser impossíveis. Além disso, é também do ponto de vista dos 
autores que, muitas vezes, os cursos de gestão ministrados em disciplinas de saúde pública são 
voltados para ensinar como operar e gerenciar as operações cotidianas de um programa de saúde 
2 
 
pública. Podem ser cursos práticos fortes, mas não fornecem uma perspectiva geral da gestão, e 
também não demonstram como a liderança permite que o profissional de saúde pública garanta que as 
metas e objetivos de saúde pública sejam alcançados com sucesso. Dessa forma, o estudante jamais 
entende a importância da gestão em si e como essa nobre atividade acadêmica se encaixa no mundo da 
saúde pública. Esse é o objetivo deste texto. 
 
POR QUE ESTUDAR GESTÃO? 
A partir do momento que os editores e autores conceberam este texto, seus objetivos, o formato e os 
tópicos abordados até o momento em que os autores começaram a escrever, o conteúdo foi se alterando 
para corresponder às mudanças nas necessidades de gestão de saúde da população. Os editores 
optaram por não analisar a gestão de programas de saúde pública específicos, mas por usar esses 
programas para exemplificar e esclarecer um conceito, ideia ou teoria de gestão. Com base nos diversos 
e diferentes históricos acadêmicos dos autores, os editores se deram conta de que muitos funcionários 
da saúde pública aprendem habilidades de gestão como um adendo a seu treinamento em saúde pública 
e não como parte integral da sua formação. Alguns estudantes de saúde pública aprendem conceitos de 
gestão depois de receberem seu diploma de mestrado em saúde pública; alguns aprendem habilidades 
de gestão enquanto trabalham; ao passo que alguns jamais aprendem, compreendem ou valorizam de 
fato a gestão como habilidade integral. Conforme apresentado neste texto, a gestão é uma compilação 
de muitas disciplinas e conjuntos de habilidades diferentes. Este livro demonstra que nenhuma disciplina 
acadêmica é dona do mercado de gestão como atividade acadêmica legítima. Neste livro, os autores 
definem gestão das seguintes maneiras: 
 
• Acima de tudo, é uma ocupação interdisciplinar, rigorosa e válida que é essencial para todas as 
atividades humanas, inclusive a saúde pública. 
• É uma condição necessária e suficiente para garantir que os objetivos dos programas de saúde 
pública sejam alcançados. 
• É um componente essencial do contrato social. 
 
Essas ideias e conceitos dos autores deste texto foram validadas pelo Conselho de Educação para 
Saúde Pública (CEPH). O CEPH expressou a importância da gestão para a saúde pública e determinou 
que a gestão, como componente da política e gestão de saúde, é uma das cinco áreas de competências 
centrais para a saúde pública. As competências de gestão que um profissional de saúde pública precisa 
ter estão listadas nas Tabelas 1–1 e 1–2. 
 
3 
 
Exceto pelas competências de política (D.3 e D.4), cada uma dessas competências é abordada. As 
competências interligadas com a liderança também estão contidas ao longo dos diferentes capítulos 
deste livro. 
 
O QUE É GESTÃO? 
Todos os autores deste texto compartilham da visão de que gestão não é um conceito ou uma ideia. 
Uma boa gestão praticada por profissionais de saúde pública é uma compilação de conceitos de muitas 
e diferentes profissões e profissionais. Na realidade, a gestão pode ser considerada uma das primeiras 
disciplinas acadêmicas que rompe fronteiras. Como apresentado neste texto, ideias acadêmicas, 
desenvolvimento racional e ação são calcados em sociologia, psicologia, psicologia social, ciências 
comportamentais, economia, teoria da administração, estatística e finanças. 
 
Os autores deste texto representam essas disciplinas e compartilham da crença de que toda gestão é 
interdisciplinar e que a gestão é um correlato necessário de e para a saúde pública. Todos os autores 
são gestores experientes no setor privado e/ou público. Todos receberam formação e treinamento em 
gestão, mas os autores têm diferentes históricos acadêmicos. Entre os autores estão um sociólogo 
médico, um economista, advogados, gestores de sistemas de saúde, um especialista em levantamento 
de fundos, um pesquisador de serviços de saúde e um especialista em informações de sistemas de 
saúde. Todos esses autores são "praticantes". Além de seus compromissos acadêmicos, eles tiveram ou 
têm cargos de alto escalão em gestão de serviços de saúde nos setores público e privado. Cada um 
deles fornece uma contribuição singular para a gestão da saúde pública. 
 
TABELA 1–1 Conteúdo de competências de gestão, política de saúde e gestão removido devido a 
restrições de direitos autorais 
 
TABELA 1–2 Conteúdo de competências de gestão e liderança removido devido a restrições de direitos 
autorais 
 
O principal objetivo deste texto é aproveitar a experiência em gestão de saúde pública dos autores para 
que este livro seja repleto de perspectivas de gestão diferentes e, por vezes, singulares. O estudante 
deve aprender que uma boa gestão envolve a implementação de métodos de resolução de problemas 
que podem variar de acordo com cada programa, processo ou situação. Como toda a saúde pública é 
feita com trabalho em equipe, o objetivo secundário é ensinar aos futuros gestores que, para escrever 
com sucesso, de forma individual ou colaborativa, um capítulo ou trabalho, o trabalho em equipe 
interdisciplinar é desejável e necessário. Esse misto de ideias e históricos amplia a riqueza de ideias e 
pensamentos. 
4 
 
O terceiro objetivo é apresentar o valor de que todos os bons esforços precisam para serem 
administrados com sucesso e mostrar que a saúde pública não é