A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Resenha - A arte da Palavra

Pré-visualização | Página 1 de 1

2
CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA
Faculdade de Tecnologia de Barueri
Curso de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação
Gabriel Perissé
A Arte da Palavra
Barueri/SP 
2019
ROMULO RODRIGUES MOURA DE LIMA
A Arte da Palavra
Resenha apresentada para a disciplina Comunicação e Expressão, no curso de Gestão da Tecnologia da Informação, da Faculdade de Tecnologia de Barueri – Fatec Barueri
Prof. Dr. NAILTON MATOS
 Barueri/SP 
2019
PERISSÉ, Gabriel. A Arte da Palavra. Editora Manole Ltda, 2002, 156p.
Resenha acadêmica descritiva
Rômulo Rodrigues Moura de Lima
Uma análise descritiva é o que se apresenta a seguir, cujo texto-fonte foi do livro “A arte da Palavra”, lançado pela editora Manole Ltda. De autoria de Gabriel Perissé, palestrante, tradutor e escritor brasileiro. 
Com uma linguagem simples e acessível, Gabriel Perissé o autor da uma importância no cuidado e relevâncias necessárias em que cada escritor deve ter naquilo que escreve um comprometimento de se poder entender o que está sendo escrito e pensar qual será o seu público (leitor). O livro aborda cada uma das etapas desse processo em 156 páginas e 5 capítulos.
 Os 3 primeiros capítulos tratam dos aspectos importantes para se obter o autoconhecimento. O primeiro capítulo que é útil não somente no campo literário, mas também em outros campos de apontá-la como importante recurso para a argumentação dos oradores, que buscam persuadir seus interlocutores. Assim sendo, o autor demonstra que para um discurso ser convincente e sedutor, precisará agregar ao raciocínio lógico, emoção e formas variadas de linguagem à Oratória de quem fala, especialmente em se tratando de convencer e envolver o júri de um tribunal.
 No capítulo IV, Chalita enfatiza, além da palavra, os fatores que compõem o contexto em que ela é pronunciada A palavra, como elemento principal da sedução, deve se tornar a ferramenta do profissional de Direito. Em seguida, ele aborda as varias formas de linguagem que também são usadas como recurso argumentativo. Cita também o silêncio como elemento do discurso, onde o próprio autor diz que o silêncio às vezes é mais eloquente do que a fala, não deixando de ser prejudicial dependendo do momento do discurso em que é inserido. Chalita apresenta as diferenças entre o raciocínio dialético e o analítico, enfatizando o primeiro como o esperado nos discursos jurídicos. Discorre sobre a importância de se utilizar elementos de sedução na argumentação de um discurso, já que o objetivo maior é convencer um público Como exemplo apresentado pelo autor temos a retórica, elemento de grande importância para persuadir o público. Aborda também sobre os defeitos e falácias do discurso, erros no encadeamento de ideias num discurso jurídico. Que derivam de raciocínios viciosos denominados sofismas. Se não têm o
propósito de enganar, sendo de boa-fé, são denominados paralogismos. 
Em seguida, ele discorre sobre a linguagem corporal, afirmando que gestos podem ser mais fortes do que discursos inteiros. “Salienta também o uso de sofismas gestuais, caracterizando-os como contra-ataques silenciosos”. 
 Chalita busca apontar também outros erros no discurso. Argumentos baseados em mal-entendidos conduzem a dispersão de ideias, sendo usados para manipular o júri intencionalmente. Destaca a subjetividade do júri, onde cada jurado possui preconceitos e percepções individuais, evidenciando a necessidade de se conhecer as características pessoais de cada um, para a obtenção do sucesso em um julgamento.
Finalmente, o último tópico abordado por Chalita são os debates. Para mostrar a importância do confronto na sedução do discurso, ele explica os vários métodos usados para facilitar a persuasão dos ouvintes, estratégias e táticas relevantes, e realça como o discurso deve ter apelo emocional e interpretação cênica para obter sua sedução.
Com certeza a obra de Chalita é de grande valia não somente para os profissionais e acadêmicos do Direito, como também para o público que deseja conhecer mais sobre o mundo dos discursos. O autor consegue alcançar seu objetivo com o uso de uma linguagem simples e acessível, onde também enriquece o conteúdo com exemplos ilustrativos Enfim, para seduzir um júri, devemos ter um olhar atento às diversas abordagens envolvidas na linguagem utilizada nos discursos jurídicos.
Estudante do 1º período do curso de Gestão de Tecnologia da informação da Faculdade FATEC - BARUERI

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.