Resumo Micro Vet
8 pág.

Resumo Micro Vet


DisciplinaMicrobiologia26.839 materiais501.070 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Resumo 1° prova de Micro Vet. 
Programa Nacional de Controle e Erradicação de Brucelose e Tuberculose 
 Criado para controlar e erradicar as duas enfermidades 
 Percentual de animais acometidos é diminuído vacinando e seguindo o protocolo do Controle Nacional 
Diminui a prevalência das doenças 
 O objetivo do programa é abaixar a incidência e prevalência de casos visando a erradicação 
Incidência = Aparecimento de casos 
Prevalência = Percentual de animais acometidos 
 
Brucelose 
 Possui vacina 
 É uma zoonose 
Sinais Clínicos: Aborto em várias espécies (pior): Terço final da gestação, Retenção de placenta, Nascimento de animais fracos ou mortos. 
Orquite: Uni ou bilateral, pode levar à esterilidade temporária ou permanente (Depende do grau da inflamação) 
Epididimite 
Bursite 
Alterações hepáticas 
Podem inflamar as glândulas acessórias masculinas como: Próstata, Vesicular, Bulboretral 
 Etiologia: Brucella spp 
Melitensis: Não há no Brasil 
Abortus: Bovinos 
Suis: Suínos 
Ovis: Ovinos 
Canis: Cães
Cada espécie possui um hospedeiro preferencial, mas não é exclusivo - A Brucella Abortus possui biovares 1, 2, 3 (sorogrupos) 
 Biovar: Variedade que tem alguma proteína ou epítopo diferente - Mesmo indivíduo com alguma alteração. 
 São separadas em grupos: Lisas (mais patogênicas): Abortus e Suis; Rugosas: Canis e Ovis. 
Essa separação é feita de acordo com pelo lipopolissacarídeo presente na parede celular, Característica das bactérias GRAM \u2013 Por isso, reações cruzadas acontecem 
Ex: Pode ser positivo para E.coli, Leptospira, Salmoella e negativo para brucella. 
OBS: Antígenos Lisos não reconhecem anticorpos rugosos e vice-versa; 
Características microscópicas da Brucella Spp: 
Cocobacilo 
GRAM \u2013 
Não flagelado 
Não- formadora de esporos 
Aeróbicos ou Microaerófilos 
Imóveis 
Desinfetantes: 
Álcool 96° Gl 
Hipoclorito de sódio 5% (mais recomendado) 
Formol 3% 
Cloro 
Calor: 
Autoclavagem 
Pasteurização lenta 
Rápidas fervuras 
Transmissão: 
Placenta/Fluidos fetais (independentemente da espécie) - Período peri-parto e peri-aborto 
20 dias antes 
Momento do parto 
15 dias após 
Vertical: Da mãe para o filho - 5-10% por via transplacentária 
Para humanos, o leite é a principal fonte de contaminação
Ex: Se um cão fosse contaminado pela canis, os sinais clínicos talvez demorassem mais a aparecer, mas ele sendo contaminado pela abortus, sim, pois é mais patogênica. 
A Brucella sp. pode ser fagocitada pelo macrófago e impede que o fagossomo e o lisossomo se fundem - Impedem a digestão da bactéria. 
Tem preferência pelos órgãos hematopoiéticos: Baço, Fígado, Aparelho reprodutor, Linfonodos regionais; 
Elas não ficam no ambiente muito tempo (tipo anos, no máximo meses), mas elas vão mudando de hospedeiro por isso se ''perpetuam\u2019\u2019. 
Existem outras vias de transmissão: Transmissão via agulhas; a cópula é menos eficiente na transmissão do que a inseminação, pois no momento da cópula, há defesas imunológicas naturais. 
OBS: A brucella pode ser eliminada por secreções e excreções. 
Ministério da agricultura: Preconiza que 80% das bezerras sejam vacinadas, apenas são vacinadas bezerras de 3 a 8 meses. Re-testadas após 24 meses. A vacina utilizada deve conter a cepa B-19 ou a RB-51.
A vacina é viva e atenuada e produz respostas imunitárias, é mais rápida e eficiente - Há mais chances de os machos contraírem brucelose pois as vacinas são ministradas somente em fêmeas, pois há risco de orquite. 
Em equinos: Cernelha, Bursite fistulosa - Diagnóstico: Direta - Vê o MO por alguma prova (Isolamento, PCR - prova ouro), Indireta: Vê resposta imune montada pelo animal (anticorpos). 
Sorologia para brucelose por AAT: 
Antígeno Acidificado Tamponante 
Só funciona com brucellas lisas (abortus e suis) 
É uma prova individual e qualitativa (é ou não é) 
É uma prova de triagem 
É feita para saber se o animal foi exposto a brucella 
É rápido e barato 
COMO FAZER: 
Colher 5 mL de sangue para 2 mL de soro 
No microtubo há brucella abortus inativada - Como é uma brucella lisa, pode ser positivo para abortus ou suis.
Não usar soro hemolisado! 
Pipetar 30 microlitros de soro e antígeno, colocando um ao lado do outro na placa de vidro 
Misturar os dois e fazer por 4 minutos movimentos de báscula 
A leitura não deve ser feita após 4 minutos de reação: Positivo = Grumos rosas ou Negativo = Grumos claros e pequenos (resto de fibrina). 
Prova do anel do leite (ring test) 
É uma prova de rebanho 
Utiliza-se hematoxilina como corante 
COMO FAZER: 
Quando formar o complexo Ag-Ac, a gordura do leite aglutina, Caso for positivo, a gordura se precipita, formando um anel azul no topo por causa do complexo Ag-Ac, Se for negativo, o anel formado será branco, de leite - Pode haver problemas na interpretação, pois alguns leites podem dar reação no teste (Leites ácidos, Leites mastísticos) 
Prova confirmatória: 
2-mercapitoetanol 
É o mais específico 
Destrói IgM, restando apenas IgG 
É uma prova quantitativa 
Título 1:25 já é considerado positivo 
Teste de polarização fluorescente: 
Muito especifica e sensível 
Pode ser usada como prova única 
Medida compulsória: Vacinação obrigatória (controle).
Tuberculose 
 É uma zoonose 
 É uma doença de caráter crônico, não agudo 
 Mycobacterium tuberculosis: 
OBS: Atinge humanos e causa sensibilidade em outros animais.
M. bovis: Atinge bovinos, humanos e outras espécies, é um agente zoonótico, a transmissão é por meio de secreção e excreções 
M. avium: Não é patogênico para bovinos e bubalinos, causam reações inespecíficas. 
Mycobacterium: 
GRAM + 
Baar (coloração Ziehl- Neelsen) - É utilizada porque a parede mycobacterium possui muitos lipídeos 
Bacilo 
Possui o crescimento extremamente lento (4 a 8 semanas) - Diagnóstico por meio de cultura é muito demorado 
Bactéria não esporulada é muito mais resistente 
Tuberculose é uma zoonose de evolução crônica caracterizada pelo desenvolvimento progressivo de lesões nodulares, que pode acometer qualquer órgão ou tecido; os sinais clínicos estão relacionados ao local onde o tubérculo está. é uma doença ocupacional, pois os profissionais da saúde são os mais vulneráveis. 
Desinfetantes: 
Fenol 5% 
Formol % 
Fontes de infecção e transmissão: 
Animais infectados e o homem 
Ingestão de alimento infectado 
Aerossóis 
Urinas 
Descargas vaginais 
Descargas respiratórias 
Leite 
Vertical (mãe para filho) 
Locais das lesões: 
Cabeça 
Pescoço 
Tórax 
OBS: As lesões são arenosas e amareladas devido a calcificação da resposta imunológica. 
Tuberculose miliar: Generalizada.
Tuberculose retraída: Reservada em um só local. 
Sinais clínicos: 
Perda de peso progressiva 
Animal com pescoço esticado 
OBS: tratamento para bovinos e bubalinos é proibido, animais devem ser eutanasiados.
Diagnósticos: 
Métodos diretos e indiretos 
Clínicos e bacteriologia 
Histopatologia e tuberculina 
Diagnóstico alérgico cutâneo (PPD) 
Derivado proteico purificado 
Desenvolvido por Koch 
Para medir a hipersensibilidade tardia 
Funcionamento: Caso o animal tenha sido exposto previamente à mycobacterium, quando a tuberculina for inoculada, causará um tipo de alergia - Bovinos e bubalinos devem ser testados a partir de 6 semanas de idade - NÃO HÁ VACINA - Fêmeas de 15 dias antes e até 15 dias depois do parto são retestadas. 
Existe risco de falso positivo, os testes só são feitos de 60 em 60 dias pois pode dar falso-negativo, caso seja feito antes: 
PPD bovino \u2013 NA5 de M.bovis \u2013 1mg de proteína/ mL 
PPD aviária \u2013 D4 de M. aviarium \u2013 0,5 mg de proteína/ mL 
Teste cervical simples: 
Teste de rotina 
Não indica qual micobacteria é 
PPD bovina 
Dosagem: 0,1mL 
Região cervical ou escapular 
Caso haja aumento de pele, é uma reação de hipersensibilidade tardia do tipo 4 
Caso haja aumento de pele por M. aviarium, é negativo pois ele causa reações inespecíficas.