A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
CLINICA 02-convertido 001

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 
 
 
 
 NOME COMPLETO: HELDA ALVES MARTINS 
 MATRÍCULA: UP19133356 
 DISCIPLINA: AVALIAÇÃO CLÍNICA E PSICOSSOCIAL EM ENFERMAGEM 
 SALA: 105 
 DOCENTE:NADYLA MARINA FRANÇA SOUTO 
 
 Porto Velho 20 de Maio de 2020 
 
RELATÓRIO DE ESTUDOS - 2020.1 
 
 
ENFERMAGEM COMO PRÁTICA SOCIAL 
 
 O processo de cuidar em Enfermagem, enquanto arte e ciência, requer 
competência técnica e científica permeada pela sensibilidade humana. Iniciaremos 
nosso percurso com uma reflexão acerca da atuação do enfermeiro no cuidado do ser 
humano inserido na sociedade, com destaque para a importância do levantamento de 
dados como etapa importante do processo de cuidar em enfermagem. O enfermeiro 
assume um papel cada vez mais decisivo e proativo no que se refere à identificação 
das necessidades de cuidado da população, bem como na promoção e proteção da 
saúde de indivíduos, famílias e comunidades. Para que o cuidado de Enfermagem 
possa atender à finalidade social da prática e articular os elementos técnico e ético 
desse cuidado, é necessário que o enfermeiro, em seu cotidiano de trabalho, conjugue 
princípios e valores com competência técnica. Para isso, é fundamental que os 
enfermeiros desenvolvam sensibilidade humana, a qual se manifesta no interesse, no 
respeito, na atenção, na compreensão, na consideração e no afeto pelo outro e pela 
comunidade. Considerando a relevância da promoção da saúde como prática de 
cuidado e a necessidade de uma compreensão ampliada do ser humano em seus 
processos de produção e reprodução social para uma avaliação integral dele, 
apresentamos uma breve discussão acerca do conceito e dos desdobramentos da 
promoção da saúde. 
2 
 
 Promoção da saúde é o nome dado ao processo de capacitação da 
comunidade para atuar na melhoria de sua qualidade de vida e saúde, 
promoção da saúde pode ser compreendida como um mecanismo de fortalecimento 
e implementação de uma política transversal, integrada e intersetorial, capaz de 
dialogar com as diferentes áreas do setor sanitário, outros setores do governo, setor 
privado e não governamental e sociedade. 
 Nesse sentido, a promoção da saúde desenvolve-se a partir da articulação 
entre sujeito e coletivo, público e privado, Estado e sociedade, clínica e política, setor 
sanitário e outros setores, almejando romper a fragmentação existente de forma 
evidente na abordagem do processo saúde-adoecimento e reduzir a vulnerabilidade, 
riscos e danos produzidos nesse contexto. Quando utilizado, esse aprimoramento 
pode definir se os dados obtidos são confiáveis e suficientes, ou se são conflitantes 
ou insuficientes, a fim de determinar o diagnóstico mais acurado, bem como 
estabelecer os resultados esperados sensíveis às intervenções de enfermagem e, por 
fim, intervenções de enfermagem adequadas, sempre considerando a segurança do 
paciente. Se, no passado, fenômenos subjetivos tais como fadiga, dor, auto eficácia, 
depressão e qualidade de vida eram consideradas sem possibilidade de mensuração, 
encontramos, na atualidade, à disposição diversos instrumentos para esse tipo de 
avaliação. Incluir ações ecossistêmicas no cotidiano de trabalho do enfermeiro 
envolve o atendimento integral ao ser humano, uma vez que tem a oportunidade de 
adotar ações que abrangem aspectos ambientais, ecológicos, físicos, psicológicos, 
sociais e espirituais, criando, desse modo, possibilidades de um cuidado integrativo e 
inter-relacional. No momento da entrevista, cria‑se um relacionamento duas pessoas 
estranhas se encontram e instituem algum tipo de comunicação. 
 A entrevista realizada pelo enfermeiro tem como meta desenvolver um 
relacionamento com confiança mútua e identificar dados pertinentes ao 
direcionamento da assistência. É importante chamar a pessoa respeitosamente pelo 
nome, e é, inclusive, possível questionar como a pessoa prefere ser chamada. Não 
se deve utilizar títulos e apelidos, tais como mãezinha, voozinho, dentre outros. Além 
do ambiente interno, os cuidados com o ambiente externo compõem o processo de 
preparação para a entrevista. Favorecer a privacidade, evitar locais com interrupções 
no diálogo a ser estabelecido, cuidar de iluminação, temperatura. A inspeção requer 
a utilização do sentido da visão, que deve ser utilizada de forma panorâmica e 
localizada. Além disso, é importante destacar que a inspeção é um processo contínuo 
3 
 
durante a palpação, ausculta e percussão, o avaliador permanece realizando a 
inspeção. Além disso, atenção especial deve ser dada às expressões apresentadas 
pela pessoa que está sob avaliação. A palpação requer a utilização do tato para a 
obtenção de impressões de partes mais superficiais do corpo e da pressão, que 
possibilita as impressões de regiões mais profundas. É importante que o ambiente 
esteja sem ruídos externos e o estetoscópio seja colocado diretamente na pele, sem 
roupa, apresenta valores mais elevados na posição sentada em comparação à 
posição supina e, referente ao tempo de mensuração, um período de cinco minutos 
foi similar ao de sessenta minutos para a sua avaliação. Sugere‑se, portanto, que 
ocorra uma padronização dos protocolos de avaliação, para avaliar a frequência 
respiratória, a pessoa que está sendo avaliada não pode ter consciência que essa 
observação está sendo realizada, para que o padrão respiratório não seja alterado. A 
dor é uma experiência sensorial e emocional desagradável, sendo relacionada à lesão 
tissular real ou potencial. Pode ainda ser definida como o quinto sinal vital para 
ressaltar a importância da sua mensuração de maneira sistemática, semelhante aos 
demais sinais vitais. A avaliação, a mensuração e o registro sistemático do fenômeno 
doloroso, aliados ao conhecimento adequado sobre dor e analgesia, evitam 
sofrimento físico e mental dos pacientes e seus familiares e são fundamentais para 
propiciar a recuperação rápida de pacientes hospitalizado. 
 O processo de avaliação da dor é amplo e envolve a obtenção de 
informações relacionadas à data de início, à localização, à intensidade, à duração e à 
periodicidade dos episódios dolorosos, às qualidades sensoriais e afetivas do 
paciente, aos fatores que iniciam, aumentam ou diminuem sua intensidade. Temos 
também a anamnese neurológica envolve a abordagem das condições de 
alimentação, vícios, trabalho, condições emocionais, antecedentes familiares. 
definição de consciência está relacionada com a capacidade de conhecimento de si 
mesmo e do ambiente; a pessoa é capaz de reagir diante de uma situação de perigo 
e de interagir para atender suas necessidades biológicas e psicossociais, avaliação 
do controle motoro, funções sensitivas. Em todos os sistemas orgânicos, mas em 
especial no cardiocirculatório, é importante ressaltar a necessidade de capacitação 
para correlacionar os sintomas identificados com a fisiologia normal. Em todos os 
sistemas orgânicos, mas em especial no cardiocirculatório, é importante ressaltar a 
necessidade de capacitação para correlacionar os sintomas identificados com a 
fisiologia normal. Na anamnese, cardiovascular é importante dar atenção a queixas 
4 
 
de dor, palpitações, fadiga, dispneia. Também é significativo avaliar tratamentos 
anteriores e histórico familiar, dentre outros componentes individuais. 
 A dispneia pode ocorrer diante de pequenos, médios ou grandes esforços. 
O estado emocional, tal como ansiedade e depressão, pode desencadear a falta de 
ar psicogênica. A avaliação gastrointestinal, ruídos intestinais são denominados 
ruídos hidroaéreos são resultantes dos movimentos peristálticos associados ao 
deslocamento de ar e líquidos pelas alças intestinais. 
 Devemos utilizar o estetoscópio com a parte do diafragma devidamente 
aquecida. Deve‑se iniciar a ausculta pelo quadrante

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.