A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
305 pág.
Conhecimentos Técnicos - Bianch

Pré-visualização | Página 8 de 50

um avião é utilizado para o movimento do leme de direção, do trem 
de pouso de nariz e para o acionamento dos freios. Para a atuação dos freios geralmente 
aplica-se pressão na parte superior do pedal. É importante ressaltar que a maioria dos 
aviões de pequeno porte não possui sistema antiderrapante (anti-skid), portanto, uma 
pressão excessiva poderá ocasionar o travamento das rodas. Por este motivo, seja suave 
na aplicação dos freios, a menos, é claro, numa situação de emergência. 
Os freios são instalados em 
cada roda do trem de pouso principal, 
e são atuados independentes um do 
outro, ou seja, o freio da roda direita 
é controlado pelo pedal direito e o 
freio da roda esquerda é controlado 
pelo pedal esqu erdo. 
Nos aviões de pequeno porte 
o sistema de freios é totalmente 
independente dos demais sistemas. 
O sistema de freios é composto por 
um reservatório, um ou dois cilindros 
mestres, linhas de fluído e conexões, 
além do conjunto de freio em cada 
roda. 
A ilustração ao lado exibe os 
componentes de um sistema de freios 
a disco. 
 
 
 
 
 
cilindro 
mestre "- 
 
sapatas 
pedal 
esquerdo 
 
DO 
DO 
 
 
 
 
 
'\ 
disco 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
reservatório de 
fluído de freio 
 
 
 
 
linha _de 
freio 
 
cilindro 
secundário 
pedal 
direito 
 
DO 
DO 
 
 
 
 
Inspeção pré-voo 
 
Durante a inspeção externa da aeronave, no pré-voo, é necessário atentar a 
alguns itens relativos ao sistema de freios. Devemos assegurar que: 
- não há vazamento de fluído hidráulico na linha de freio 
· os discos de freio estão em bom estado, não apresentando corrosão ou danos 
- as pastilhas não estão excessivamente desgastadas 
· a estrutura do freio está firmemente presa à roda 
 
Qualquer anormalidade encontrada durante a inspeção externa deve-se chamar 
o mecânico responsável pela aeronave para que se proceda com a liberação da 
mesma. Se por algum motivo, qualquer que seja a pane, você não se sentir 
seguro com o aval do mecânico peça a opinião de outro mecânico, e se mesmo 
assim você não se sentir confortável, não prossiga com o voo! 
461 
o 
Roda de direçãol 47 
Conhecimentos Técnicos (Aviões) - Denis Bianchini 
 
 
Mesmo com a inspeção externa tendo se mostrado satisfatória, durante o 
táxi é recomendado que você faça o teste dos freios, a fim de assegurar o correto 
funcionamento do sistema. 
 
 
 
Freios de estacionamento 
O freio de estacionamento (parking brake) 
na maioria das aeronaves é acionado através de uma 
alavanca, que geralmente trabalha em conjunto cqm os 
pedais. Ao acionar o parking brake a pressão nos freios 
será mantida. 
A figura ao lado exibe a alavanca de acionamento 
do parking brake do Seneca li (PA34). 
 
 
 
 
 
 
 
 
Sistema antiderrapante (anti-skid) 
 
O sistema Anti-Skid é muito utilizado em aeronaves de alta performance, 
nas quais o seu funcionamento é indispensável para a frenagem segura da aeronave, 
visto que tais equipamentos operam com veloci dades elevadas. Em aeronaves a pistão 
dificilmente encontraremos tal sistema, motivo pelo qual devemos ser suaves na 
aplicação dos fr eios, uma vez que não há proteção contra o travamento das rodas. 
O Anti-Skid nada mais é do que um sistema que evita o travamento das rodas, 
ou seja, quando a roda esta prestes a travar ele libera os freios e assim que a rotação da 
roda reinicia o sistema volta a atuar os freios. Todo este processo é automático, cabendo 
ao piloto apenas a verificação dos instrumentos que indicam o correto funcionamento 
do mesmo. 
 
 
 
Roda de direção 
O controle direcional da aeronave em solo faz-se através da roda de direção. Nas 
aeronaves convencionais tal controle ocorre através da bequilha e nas aeronaves com 
trem de pouso do tipo triciclo o controle ocorre através do trem de nariz (nosewheel). 
O piloto tem o controle sobre o trem de nariz ou a bequilha através do pedal, 
onde geralmente a parte inferior (a mesma que controla o leme) é a responsável por 
mover a roda de direção. Nas aeronaves maiores o controle do trem de nariz pode 
ser efetuado também através do "nosewheel steering", o que permite um controle 
direcional maior e mais preciso durante o taxi. 
Sistema de trem de pouso 
Conhecimentos Técnicos (Aviões) - Editora Bianch 
 
 
Apenas como curiosidade, no Boeing 737Ng o controle direcional através dos 
pedais é capaz de girar apenas 7° o trem de nariz, no entanto, o controle através do 
nosewheel steering permite o giro de até 75°. 
Conforme comentado anteriormente, a aplicação diferencial dos freios poderá 
auxiliar na realização de curvas mais fechadas, principalmente nas aeronaves que não 
dispõe do nosewheel steering. 
 
 
o controle direcional no solo é realizado 
através dos pedais 
 
 
 
 
 
Shimmy damper 
 
O Shimmy damper é um 
amortecedor de vibração cuja função é 
minimizar as vibrações e oscilações do trem 
de pouso de nariz durante a operação em 
solo. O Shimmy damper é uma pequena 
unidade pistão/cilindro hidráulico, como é 
possível visualizar na figura ao lado. 
em aeronaves equipadas com nosewheel 
steering o controle direcional no solo pode 
ser realizado através deste dispositivo ou 
dos pedais 
481 
 
 
 
5 
 
MOTORES J ÊRONÁUTICOS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
N e ste capítulo analisaremos os aspectos gerais dos motores aeronáuticos, 
primeiramente conheceremos os tipos mais comuns de motores que equipam as 
aeronaves atuais e posteriormente estudaremos as características básicas que um 
motor aeronáutico deve possuir. 
 
 
 
 
 
Tipos de motores aeronáuticos 
Um motor é basicamente uma máquina 
que transforma um determinado tipo de energia 
(térmica, elétrica, etc.) em energia mecânica. 
Os motores utilizados na aviação são 
do tipo térmico de combustão interna, ou seja, 
transformam a energia calorífica proveniente da 
queima do combustível em trabalho mecânico. 
Os motores térmicos podem ser 
classificados como de combustão interna e de 
combustão externa. Nos motores de combustão 
externa a queima do combustível ocorre fora do 
motor, como por exemplo, num motor a vapor das 
antigas locomotivas. Já nos motores de combustão 
interna a queima ocorre dentro do motor, como por 
exemplo, num motor a jato de um avião comercial. 
5 O I Motores aeronáuticos 
Conhecimentos Técnicos (Aviões) - Editora Bianch 
 
 
Os motores de combustão interna possuem diversas vantagens: são mais eficientes, mais 
leves e menores. Estes são os principais motivos pelos quais um motor de combustão 
interna equipam atualmente os aviões e os automóveis. 
 
Os motores aeronáuticos são divididos em duas categorias: 
- motores convencionais (a pistão) 
- motores a reação (turbo -hélice, turbojato, turbofan) 
 
 
 
Motores convencionais 
 
Os motores convencionais (a pistão), que serão 
amplamente analisados neste li vro, são os motores que 
equipam a maioria das aeronaves de pequeno porte e as 
aeronaves de treinamento. 
Estes motores utilizam a energia proveniente 
da queima do combustível dentro dos cilindros para 
mover a hélice. A hélice por sua vez impulsionará grande 
quantidade de massa de ar a velocidades relativamente 
baixas, permitindo que a aeronave desenvolva a tração 
necessária ao voo. 
As principais vantagens de um motor convencional são o seu baixo custo 
operacional e sua eficiência em baixas velocidade e altitudes, por estas razões as 
aeronaves de pequeno porte majoritariamente utilizam este tipo de motor. 
 
 
 
 
Motores a reação 
 
Faremos apenas uma análise superficial dos motores a reação, uma vez que 
o conteúdo programático do curso de piloto privado prevê apenas uma visão geral a 
respeito. A análise detalhada dos motores a reação encontra-se na segunda parte deste 
livro. 
Os motores a reação equipam praticamente todas as aeronaves comercial em 
operação atualmente, e têm como principal