A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
ETAPA 2 - A construção da ideia de Direitos Humanos as lutas da Sociedade Civil Organizada

Pré-visualização | Página 3 de 5

outorgada, isto é, imposta, pelo Imperador D. Pedro I, tendo 
durado por todo o período imperial. Durante a República, o Brasil conviveu 
com vários textos constitucionais: 1891, 1934, 1937, 1946, 1967/69, 1988. 
Destas várias constituições, as de 1934, 1946 e 1988 foram as mais democratas, 
pois o texto constitucional foi fruto de uma assembleia nacional constituinte, 
sendo a última promulgada após a Declaração Universal dos Direitos Humanos 
existirem enquanto carta da ONU. 
Estas se materializaram em leis que compõem a Constituição Cidadã, 
promulgada por uma Assembleia Nacional Constituinte em 1988, sendo um 
marco como forma de manutenção da democracia no Brasil. Com a liderança 
de Ulisses Guimarães, político que se destacou na oposição à ditadura militar 
no Brasil, a Constituição brasileira incorporou diversos conceitos de direitos 
humanos internacionalmente reconhecidos, além de em alguns casos ser mais 
avançada que a legislação internacional. 
A educação, a saúde, a família e o trabalho são direitos constitucionais 
no Brasil. Assim como existem leis específi cas para garantir direitos e deveres 
aos menores de idade, às mulheres, aos idosos e aos defi cientes físicos. 
Os movimentos sociais foram os principais vetores para que o conceito 
de diretos humanos conseguisse penetrar no Brasil da atualidade. 
Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. Todos os direitos reservados.
8 Direitos Humanos
FIGURA 4 – FESTA NO PLENÁRIO DO CONGRESSO EM COMEMORAÇÃO À 
PROMULGAÇÃO DA CONSTITUINTE
FONTE: Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/
Ficheiro:Promulga%C3%A7%C3%A3o-Constitui%C3%A7%C3%A3o-1988.jpg>. Acesso em: 
2 out. 2012.
4 AS IMPLICAÇÕES DOS DIREITOS HUMANOS NO BRASIL
 As implicações dos direitos humanos não ocorrem somente em casos 
extremos, como em guerras ou nas maiores calamidades públicas. Podemos 
observar as mais distintas implicações dos direitos humanos nas mais cotidianas 
ações, a exemplo de variadas formas que a Carta de 1948 relaciona com o 
nosso cotidiano. 
Na arguta observação feita pelo então representante da Unesco no 
Brasil, Jorge Werthein, em 1998, quando se comemoravam os 50 anos da 
Carta de 1948:
O conjunto dos direitos humanos constitui um rol inesgotável 
de direitos e garantias fundamentais. A garantia e realização 
de todo o conjunto acaba por gerar expectativas nem sempre 
plenamente atendidas. Nos países em desenvolvimento, 
as limitações políticas e dos meios econômicos tornam 
especialmente difícil a realização dos direitos econômicos, 
sociais e culturais. Não se pode aceitar este valor como 
uma permissão para a violação desta classe de direitos. Os 
governos devem esforçar-se para garanti-los, na medida 
de suas possibilidades, gradativamente, sem retrocessos 
Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. Todos os direitos reservados.
9A Construção da Ideia de Direitos Humanos: As Lutas da Sociedade Civil 
Organizada e os Direitos Constitucionais
e, especialmente, fazendo uso de alternativas como a 
parceria com a sociedade civil e a cooperação internacional. 
(WERTHEIN, 1998, p. 61-62) 
Esta visão foi em grande parte seguida pelos governos brasileiros nas 
duas últimas décadas. Com o fi m da ditadura militar e o restabelecimento 
da forma democrática de governo, mesmo com os problemas econômicos 
enfrentados, as sucessivas gestões presidenciais açambarcaram as temáticas 
pertinentes aos direitos humanos em seus programas de governo e nas políticas 
públicas da União. Podemos destacar alguns pontos nos quais observamos 
destaques e avanços, como no respeito às minorias étnicas e a diversidade 
religiosa brasileira, assim como a ampliação de direitos concernentes às 
mulheres, crianças e adolescentes. 
O respeito às minorias étnicas que habitam o território brasileiro, em 
especial os indígenas, é uma realidade em construção. Ainda existe muito 
preconceito contra os primeiros habitantes das terras brasileiras, além de 
uma falta de assistência mais intensa por parte da Fundação Nacional do Índio. 
Todavia, as demarcações dos territórios indígenas continuam a serem feitas. 
Assim como existem políticas públicas para a inclusão de negros e indígenas 
em algumas universidades federais.
O mesmo respeito à diversidade se observa em relação à fi liação 
religiosa dos brasileiros. Vivemos em um país no qual a diversidade de crenças 
acaba por diminuir a proporção de membros da maioria religiosa estabelecida: 
a Igreja Católica Apostólica Romana. Porém, as minorias religiosas e a religião 
dominante são igualmente tratadas perante as leis do Estado Nacional 
Brasileiro, respeitando o artigo 18 da Declaração Universal, que garante o 
direito à liberdade de crença, opinião e religião. O Estado brasileiro é laico, 
em afi nidade com os parâmetros da declaração.
A proteção social da família, da infância e da mulher, direito garantido 
nos artigos, está aos poucos, no Brasil, sendo adequada à realidade nacional 
e respeitada. Em 1985 surgiu uma legislação para as mulheres, o Estatuto da 
Mulher. Em 1991 foi criado o Estatuto da Criança e do Adolescente. Esses 
estatutos pioneiros foram complementados por outros que garantem direitos 
a outras categorias sociais, como o Estatuto do Idoso e o Estatuto da Igualdade 
Racial. Alguns programas governamentais, como Bolsa Família, são algumas 
tentativas para se possibilitar que os direitos humanos possam se ampliar a 
todos os cidadãos brasileiros. 
Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. Todos os direitos reservados.
10 Direitos Humanos
FIGURA 5 – DIREITOS
FONTE: Disponível em: <http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fi chaTecnicaAula.
html?aula=1505>. Acesso em: 2 out. 2012.
Por vezes, a mídia e o pensamento conservador brasileiro, representados 
por alguns políticos e jornalistas, apontam os defensores dos direitos humanos 
como representantes de interesses estrangeiros no Brasil. Um dos principais 
problemas seria quando das rebeliões em presídios ou nas críticas aos métodos 
arcaicos de algumas polícias estaduais, que são acusadas de torturar marginais 
ou, mesmo, de colocar seres humanos em celas com condições degradantes à 
dignidade da pessoa humana. Por vezes, afi rmam existir direitos apenas para 
bandidos, enquanto os trabalhadores viveriam com medo devido à violência 
que assola as principais cidades brasileiras. 
Copyright © Editora GRUPO UNIASSELVI 2012. Todos os direitos reservados.
11A Construção da Ideia de Direitos Humanos: As Lutas da Sociedade Civil 
Organizada e os Direitos Constitucionais
FIGURA 6 – DIREITOS HUMANOS
FONTE: Disponível em: <http://www.direitoshumanos.com.br/>. Acesso em: 2 out. 2012.
Todavia, estes argumentos conservadores partem de princípios 
equivocados. Pois, não são apenas para os bandidos presos ou menores 
em confl ito com a lei que as determinações de direitos humanos servem. 
Algumas medidas para os trabalhadores e chefes de família, como o seguro-
desemprego e as melhoras nas condições de trabalho fabril, são algumas 
das principais conquistas que alguns princípios básicos da ideia de direitos 
humanos nos possibilitam. Assim como a ampliação dos direitos das mulheres, 
como as delegacias especiais e a recente Lei Maria da Penha, que coloca os 
agressores domésticos contra donas de casa na cadeia, é também um exemplo 
de conquistas de direitos humanos. 
Por fi m, podemos lembrar que a constante ampliação de instituições 
de ensino, tanto no nível superior quanto na educação básica, é também uma 
demonstração da importância que as noções de direitos humanos possuem na 
vida cotidiana dos brasileiros. Existe hoje uma ampliação de vagas tanto no 
ensino básico quanto no ensino superior, a partir da Lei de Diretrizes e Bases 
da Educação Nacional, de 1996. Estes aumentos no número de matrículas são 
inegáveis avanços. 
Porém, temos muito a avançar enquanto nação na temática dos direitos