A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
aba-analisedocomportamentoaplicada-apostila

Pré-visualização | Página 1 de 16

NÚCLEO DE PÓS GRADUAÇÃO 
 
CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO 
Coordenação Pedagógica – IBRA 
 
 
 
DISCIPLINA 
ABA - ANÁLISE DO 
COMPORTAMENTO 
APLICADA 
 
 
 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
 
 
 
 
INTRODUÇÃO ......................................................................................... ……………... 03 
 
1 ANÁLISE DO COMPORTAMENTO: PRINCÍPIOS BÁSICOS ............ ………………. 05 
2 TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA……………………………………. ........... 25 
3 ANÁLISE DO COMPORTAMENTO APLICADA (ABA) ..................... ……………….. 40 
4 A INTERVENÇÃO EM ABA ……………………………………………..……………….. 47 
 
REFERÊNCIAS CONSULTADAS …………………………………………….……………… 53 
 
3 
 
 
 
INTRODUÇÃO 
 
 
Prezados alunos, 
 
 
 
Nos esforçamos para oferecer um material condizente com a graduação e 
consequente capacitação daqueles que se candidataram à está Pós-Graduação, procurando 
referências atualizadas, embora saibamos que os clássicos são indispensáveis ao curso. 
As ideias aqui expostas, como não poderiam deixar de ser, não são neutras, afinal, 
opiniões e bases intelectuais fundamentam o trabalho dos diversos institutos educacionais, 
mas deixamos claro que não há intenção de fazer apologia a esta ou aquela vertente, 
estamos cientes e primamos pelo conhecimento científico, testado e provado pelos 
pesquisadores. 
Apesar de o curso possuir objetivos claros, positivos e específicos, nos colocamos 
abertos para críticas e para opiniões, pois somos conscientes que nada está pronto e 
acabado e com certeza críticas e opiniões só irão acrescentar e melhorar nosso trabalho. 
Como os cursos baseados na Metodologia da Educação a Distância, você é livre 
para estudar do melhor modo que possa. Este arranjo preserva a sua individualidade 
impondo, uma responsabilidade imperativa. Organize-se, lembrando que: aprender sempre, 
refletir sobre a própria experiência se somam, e que a educação é demasiado importante 
para nossa formação e para o bem-estar dos pacientes. 
A presente apostila tem como proposito oferecer um conteúdo abrangente de 
Análise do Comportamento Aplicada-ABA partindo do conceito da analise do 
comportamento, passando pela compreensão do transtorno do espectro autista, analise 
aplicada até a intervenção em ABA. 
Neste intuito apresentamos um compendio de conhecimento necessários à analise 
do comportamento no ambiente de consultório como no ambiente educacional. Oferecemos, 
4 
 
 
ainda, ferramentas para o desenvolvimento de procedimentos que produzirão mudanças 
observáveis no comportamento. 
A apostila agrupa de maneira ordenada a síntese do pensamento de vários autores 
cuja obra que entendemos serem as mais importantes para a disciplina. Sendo fruto de 
exaustiva pesquisa bibliográfica, cujas fontes são colocadas ao fim da apostila possibilitando 
ao aluno, conforme sua necessidade e disposição, o amplio de seus conhecimentos. 
5 
 
 
 
1. ANÁLISE DO COMPORTAMENTO APLICADA: PRINCÍPIOS BÁSICOS 
 
 
A Análise do Comportamento tem suas raízes filosóficas no Behaviorismo Radical 
de B. F. Skinner (1904-1990). Seu objeto de estudo é o comportamento em suas relações 
com o ambiente. Skinner (1953, p.16) afirma que “o comportamento é uma matéria difícil, 
não porque seja inacessível, mas porque é extremamente complexo. Desde que é um 
processo, e não uma coisa, não pode ser facilmente imobilizado para observação. É mutável, 
fluido e evanescente.” 
Na Análise do Comportamento o foco a ser analisado é o organismo em suas 
relações com o ambiente. “O ambiente com o qual a pessoa interage inclui tanto o organismo 
quanto o meio externo e também as pessoas com as quais ela interage” (BANACO, DEL 
PRETTE, MEYER, TOURINHO E ZAMIGNANI, p. 154, 2010). De acordo com Skinner (1953) 
parte desse ambiente está sob a pele. O ambiente determina as ações dos organismos por 
meio de três processos de seleção que são sobrepostos e associados: a filogênese, a 
ontogênese e a cultura (SKINNER, 1981). 
Na Análise do Comportamento, um conjunto de implicações metodológicas explica 
o estudo dos fenômenos psicológicos em termos comportamentais. A Análise do 
Comportamento seria a área mais ampla da prática behaviorista, composta de três subáreas 
interligadas a Análise Experimental do Comportamento, o Behaviorismo Radical e a Análise 
do Comportamento Aplicada, formando a tríplice epistemológica que fundamenta o estudo do 
comportamento humano. Para Banaco, Del Prete, Meyer, Tourinho e Zamignani (2010): 
 Análise Experimental do Comportamento (uma ciência básica), diz respeito às 
pesquisas empíricas; 
 Behaviorismo Radical (uma filosofia), se atem aos trabalhos conceituais e 
filosóficos; 
 Análise do Comportamento Aplicada (uma ciência aplicada e uma tecnologia) 
que trata dos trabalhos de intervenção. 
A tríplice epistemológica é inter-relacionada não havendo trabalho conceitual 
desarticulado de programas de investigação empírica e sem demandas relativas à solução de 
6 
 
 
problemas humanos; similarmente, trabalhos empíricos devem articular com elaborações 
conceituais e guardar relações que possibilitem a intervenção de caráter analítico-
comportamental fundamentada em conceitos/interpretações behavioristas radicais e em 
princípios derivados da investigação empírica do comportamento (TOURINHO, 2003). 
 Análise Aplicada do Comportamento se inícia logo que os pesquisadores da Análise 
Experimental do Comportamento: 
1) Tem demonstrações empíricas suficientes dos princípios básicos em Análise do 
Comportamento. Tais demonstrações dizem respeito, primordialmente, aos comportamentos 
respondentes e operantes e 
2) Possuem conhecimento o bastante para pensar na aplicação desses conceitos 
para a resolução de problemas humanos, ou seja, de problemas sociais que afetam 
diretamente e indiretamente o indivíduo e o meio social no qual ele está inserido 
(GONGORA, 2003). 
Os estudos em análise do comportamento estabeleceram ao longo do acúmulo de 
conhecimento produzido, critérios para a aplicação dos princípios básicos em intervenções 
analítico comportamentais. Como exemplo pode-se citar o trabalho de Baer, Wolf e Risley 
(1968) que definem como deve ser um estudo analítico comportamental aplicado, 
especificam algumas características, a saber: deve ser aplicado, comportamental e analítico; 
além disso, deve ser tecnológico, conceitualmente sistemático e eficaz e demonstrar certa 
generalidade. 
Os termos comportamental e analítico referem-se, respectivamente, a demonstração 
empírica do comportamento modificado e ao controle que deve ser exercido sobre o 
comportamento a ser modificado. O termo tecnológico pressupõe que os procedimentos e 
as técnicas comportamentais devem estar completamente identificadas e descritas; sobre o 
conceitualmente sistemático e eficaz, refere que as intervenções devem ser pautadas nos 
princípios básicos; e por último, a generalidade que afirma que uma mudança comportamental 
apresenta generalidade caso se mostre durável através do tempo, apareça numa grande 
variedade de ambientes possíveis e/ ou se estenda a uma grande variedade de 
comportamentos relacionados. 
Se a aplicação de técnicas comportamentais não produzir efeitos extensos o 
suficiente para ter valor prático, a aplicação terá falhado. A pesquisa não-aplicada muitas 
vezes pode ser extremamente valiosa, ao produzir efeitos pequenos, mas fidedignos, uma 
vez que esses efeitos comprovam a operação de alguma variável que tem, em si, grande 
importância teórica. Na aplicação, a importância teórica de uma variável geralmente não está 
7 
 
 
em questão. Sua importância prática, especificamente seu poder de alterar comportamentos 
o suficiente para tornar-se socialmente importante, é o critério essencial. Um estudo que 
demonstre que uma nova técnica de sala de aula pode elevar as notas de crianças 
culturalmente carentes, de 4 para 5, não é um exemplo óbvio de análise comportamental 
aplicada. Esse estudo pode concebivelmente