A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
RECLAMAÇÃO TRABALHISTA- seção 2 estagio

Pré-visualização | Página 1 de 2

EXECELENTICIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA ..VARA DO TRABALHO DA COMARDA DE GOIANIA/GO
ALBANO MACHADO, brasileiro, casado, profissão, inscrito no CPF sob nº123.456.789-00, portador do RG nº 000000 XX/XX, endereço eletrônico XXXXX@XXX.com.br, residente e domiciliado à rua Alameda do Riacho, nº 125, Bairro Vila Paris, Goiânia/GO, CEP: 74.000-000, filho de XX e XX, por intermédio de seu advogado subscrito, com endereço profissional à XXXX e endereço eletrônico XXXXX@XXX.com.br, vem respeitosamente perante Vossa Excelência, propor a presente:
RECLAMATÓRIA TRABALHISTA
Em desfavor da empregadora Sra. Maria José Pereira, brasileira, casada, profissão, inscrito no CPF sob o nº 055.222.345-61, portador do RG nº 000000 XX/XX, endereço eletrônico XXXXX@XXX.com.br, residente e domiciliada à rua Girassol, nº 380, apartamento 301, Bairro Mendanha, Goiânia/GO, CEP: 74.100-000, a pessoa de seu representante legal, pelos fatos e fundamentos que passa a expor a seguir:
1. DA GRATUIDADE DE JUSTIÇA
Conforme art. 790 §3º da CLT, o autor declara para os devidos fins e sob pena da lei, ser Hipossuficiente, encontrando-se desempregado e não tendo como arcar com o pagamento de custas e demais despesas processuais, sem prejuízo de seu sustento e da sua família.
Assim sendo, nos termos do art. 790, da CLT, requer que sejam deferidos os benefícios da assistência judiciária gratuita.
2. SINTESE DO CONTRATO DE TRABALHO
Albano Machado, foi contratado pela Maria José Pereira para exercer as funções de cuidador de seu marido, o Sr. Antenor Becha Pereira de 80 anos de idade e necessita de cuidados especiais, pois sofreu acidente vascular cerebral, tendo ficado com varias seqüelas.
O contrato de trabalho se iniciou em 01/02/2012, tendo sempre prestado serviço na residência do casal. Trabalhava em regime 12X36, sempre de 07:00 horas as 19:00 horas, conforme contrato de trabalho em anexo.
Durante os dois primeiros anos de trabalho recebeu o valor de R$ 120,00 por cada plantão de 12 horas realizado. No período restante quantia ajustada foi de R$150,00. Tendo em vista o labor do citado regime, quando seu plantão coincidia com domingo ou feriado, não havia remuneração direfernciada ou folga compensatória. Além disso, durante as 12 horas em que ficava na casa dos SRS. Antenor e Maria José somente parava o trabalho durante 30 minutos para almoçar, laborando ininterruptamente o restante do período.
O pacto laboral durou até o dia 06/02/2017.
Nos termos da Emenda Constitucional n. 72/13 e da Lei Complementar n 150/15, o reclamante se enquadra como trabalhador domestico, eis que exerceu suas funções no âmbito domestico á família da reclamada, laborando mais de dois dias por semana. Dessa forma, todos os pleitos dessa petição inicial devem ser analisados sob o prisma do trabalho domestico.
3. DA JORNADA DE TRABALHO
I- HORAS EXTRAS
Durante todo o pacto laboral o reclamante laborou em regime de revezamento no sistema 12 horas por 36 horas de descanso, sempre de 07:00 horas às 19:00 horas.
Desta forma, acerca da validade jurídica da referida jornada, eis que apenas a legislação sobre algumas profissões permite sua adoção especificas . Todavia, o art. 7º, inciso XIII, da Constituição Federal de 1988, assim dispõe:
Art. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:
XIII - duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais, facultada a compensação de horários e a redução da jornada, mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho; (vide Decreto-Lei nº 5.452, de 1943)
Diante desta previsão constitucional Tribunal Superior do trabalho firmou entendimento de que a flexibilização da jornada de trabalho, hipótese do regime 12X36, é possível desde que ocorra por meio de acordo ou convenção coletiva de trabalho. Neste contexto, as horas laboradas no mencionado regime não sofreram acréscimo do adicional previsto no art. 7º, inciso XIII, da Constituição Federal de 1988. Do mesmo modo a sumula n 444 do TST, dispõem:
SÚMULA N.º 444 - JORNADA DE TRABALHO. NORMA COLETIVA. LEI. ESCALA DE 12 POR 36. VALIDADE.
É valida, em caráter excepcional, a jornada de doze horas de trabalho por trinta e seis de descanso, prevista em lei ou ajustada exclusivamente mediante acordo coletivo de trabalho ou convenção coletiva de trabalho, assegurada a remuneração em dobro dos feriados trabalhados. O empregado não tem direito ao pagamento de adicional referente ao labor prestado na décima primeira e décima segunda horas.
Res. 185/2012, DEJT divulgado em 25-9-2012
No entanto, no caso sob exame a reclamada ou a categoria a categoria a quem pertence não celebrou negociação coletiva autorizando a adoção do regime de trabalho denominado 12X36.
Salienta-se que relativo ao trabalho domestico a previsão legal de adoção da jornada 12X36 por meio de acordo ou convenção coletiva se deu somente com o inicio da vigência da lei Complementar n. 150, em 02/06/2015. Em seu art. 10 há previsão acerca da adoção da mencionada jornada mediante previsão no contrato de trabalho, o que existe na espécie.
Conclui-se, pois, que o reclamante laborava em regime de trabalho extraordinário, porém não recebendo corretamente as horas extras a que tinha direito, pois conforme comprovar-se-á pelos cartões de ponto a serem juntados, o mesmo laborava em jornada excedente a oito horas diárias, conforme no art. 7º, inciso XIII, da constituição Federal de 1988.
Diante do exposto, requer a condenação da reclamada ao pagamento das horas extras excedentes a 8ª hora diária, desde a sua contratação (01/02/2012) até 01/01/2015, com reflexos em aviso prévio, férias mais 1/3, décimo terceiro salário e na multa de 40% do FGTS.
II- TRABALHO AOS DOMINGOS E FERIADOS
No trabalho do regime 12X36 é inevitável a coincidência de labor em domingos e feriados, o que ocorre pela própria natureza da jornada adotada.
De acordo com o caso em analise, houve labor em vários domingos feriados, sem que houvesse folga compensatória ou remuneração diferenciada pelo labor desempenhado nestes dias, nos termos da Lei n. 605/49.
Desse modo, requer o pagamento em dobro dos domingos e feriados trabalhados durante todo o contrato de trabalho.
III- INTERVALO INTRAJURNADA
O reclamante nunca gozou de uma hora de intervalo para refeição e descanso, conforme é assegurado aos trabalhadores domésticos desde a publicação da Lei Complementar n. 150/15. Seu art. 13 assim dispõe:
Art. 13. É obrigatória a concessão de intervalo para repouso ou alimentação pelo período de, no mínimo, 1 (uma) hora e, no máximo, 2 (duas) horas, admitindo-se, mediante prévio acordo escrito entre empregador e empregado, sua redução a 30 (trinta) minutos.
Considerando o não cumprimento ao intervalo mínimo de uma hora, requer a condenação da reclamada ao pagamento de uma hora extra por dia de trabalho. Nos termos da Súmula n. 437, do TST, desde a publicação da Lei Complementar n. 150, em 02/06/2015, até o término do contrato de trabalho, reflexos em aviso prévio, férias mais 1/3, décimo terceiro salário e na multa de 40% do FGTS.
4. DISPENSA POR JUSTA CAUSA:
O reclamante foi dispensado por justa causa em 06/02/2017, ocasião em que discutiu com a sua empregadora, ora reclamada.
Ela lhe pediu para dar banho pela manha no Sr. Antenor, de quem o reclamante cuidava durante todos os dias de trabalho. Contudo, como convivia mais próximo do enfermo, preferia dar o banho após o almoço, período do dia em que era mais quente e mais confortável para o idoso.
Alem do mais, a reclamada não gostava que deixasse que o Sr. Antenor assistisse televisão, o que de fato não era observado pelo reclamante, haja vista que o doente ficava muito feliz nos momentos em que estava á frente do televisor.
Durante o contrato de trabalho o reclamante e a reclamada chegaram a discutir algumas vezes sobre estes fatos, sempre de maneira respeitosa. Em nenhum momento o reclamante foi advertido ou suspenso de suas atividades laborais em decorrência destes fatos, o que corrobora a inexistência de gravidade na sua conduta

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.