A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
Simulados Cultura Brasileira

Pré-visualização | Página 3 de 8

quis expressar com esta afirmação?
		
	
 
	que existem sujeitos sociais que trafegam por diversos modelos de cultura, sem se alienar de seus próprios valores culturais
Aula 5
	1a Questão
	
	
	
	A construção da identidade Brasileira está relacionada à formação de processos histórico-culturais. São formas de vida, de pensamento, de ação produtiva, de concepção religiosa, de mentalidade de uma coletividade que se cristalizam em um determinado momento.
Identifique o período histórico que corresponde a este processo de cristalização:
 
		
	 
	A partir de 1822, com a Independência do Brasil
A construção da identidade nacional brasileira se efetivou de forma distinta de outras identidades construídas na Europa, como a inglesa, por exemplo, abordada por Stuart Hall (2005), cuja formação seria calcada na ideia de pureza.
Marque a alternativa que não pode ser considerada como verdadeira, em relação à construção da identidade nacional brasileira.
	
 
	Várias concepções foram criadas em diversos momentos históricos, porém, em nenhum momento as relações étnico-raciais foram conflituosas e desiguais a ponto de subalternizar povos indígenas e a população negra dentro do território nacional.
Explicação:
O momento chave para compreender a identidade no Brasil foi, sem dúvida, a independência política, em 1822. É verdade que várias concepções foram criadas sobre a identidade nacional brasileira em diversos momentos de nossa história, porém, ao contrário do que afirma a alternativa, em todos esses momentos, as relações étnico-raciais foram conflituosas e desiguais, subalternizando, sempre, a figura da população indígena e negra em território nacional. Esta visão da formação do povo brasileiro começa com a explicação biologizante da mistura de três raças: a branca, a indígena e a africana. Mas, esta fábula de três raças surge ainda no Brasil Império, entre os pesquisadores naturalistas, e ganha a adesão de cronistas e escritores, em meio às teorias da época que reuniam os saberes biológicos com os sociais.  Os autores que formularam as impressões do que viam se consolidar no Brasil  voltavam-se para caminhos divergentes, mantendo, porém, uma matriz comum: a constatação da mestiçagem racial. Tal mestiçagem foi vista ora como uma elaboração bio-cultural inusitada e sublime, ora como algo perigoso e lamentável. Para alguns intelectuais brasileiros, dessa época (o século XIX), a mestiçagem seria, então, um entrave aos anseios progressistas da nação que pretendia desempenhar seu papel no mundo civilizado. Ela é, no primeiro momento, a marca racial para se tornar, então, a marca cultural do Brasil. Portanto, a sociedade brasileira se identifica com o traço multiétnico e cultural que lhe é constitutivo, mas vive este traço de forma tensa. Sabemos, por fim, que na prática, o Brasil branco e europeizado, mais tarde branco e americanizado, não soube como fazer com a diversidade cultural que a nossa formação configurou; não a integrou de fato, quando muito de direito.
	3a Questão
	
	
	
	 
A respeito da formação étnica do povo brasileiro, marque a alternativa INCORRETA:
 
		
	 
	O imaginário nacional instaura uma igualdade entre seus membros, que se confirma no espaço real, onde as desigualdades entre as classes sociais deixam de existir.
	4a Questão
	
	
	
	Em 1936, o intelectual Sérgio Buarque de Holanda publica o livro Raízes do Brasil, com um objetivo político de abordar a questão da identidade nacional, ao construir a imagem do "homem cordial", originário da colonização portuguesa, que se pautara no modelo econômico patriarcal e escravocrata.  Por este viés, afirma-se que...
	
 
	a formação da patriarcal sociedade brasileira se alicerça na construção de uma cordialidade forjada pela visão eurocêntrica no período da colonização portuguesa.
	5a Questão
	
	
	
	No que consiste a mercantilização da etnia? Assinale a alternativa correta:
	
 
	Processo no qual as distintas culturas, consideradas exóticas, são tornadas objeto de consumo
	6a Questão
	
	
	
	Como a obra de Gilberto Freire ajudou na interpretação da sociedade brasileira. Que interpretação é essa?
I - A obra de Freire desloca a questão de raça e traz a questão da heterogeneidade de culturas, com uma visão positiva. As formações a partir de etnias diferenciadas gerando uma cultura única, mais forte, enriquecida pela miscigenação.
II - Casa-grande & senzala, de Gilberto Freyre, consolidou na cultura nacional a valorização da mestiçagem racial como um dos mais sólidos fundamentos da sociedade brasileira.
III - Para Freire, a mestiçagem entre brancos, negros e indígenas resultava em "um produto desequilibrado e de frágil resistência física e moral", caracterizado pela indolência, pela suscetibilidade a patologias diversas e pela tendência à criminalidade.
Qual a opção correta?
	
 
	 I e II, apenas.
	Explicação:
Então, a obra do Gilberto Freire é inovadora, pois desloca essa questão da raça e traz a questão da heterogeneidade  de culturas, de formações étnicas diferenciadas de uma forma positiva a formação de uma cultura  única, ou seja, a miscigenação era vista por ele como algo positivo, a soma de culturas enrique, fortalece a nova cultura e não negativa como outros cientistas viam na época.
	
	
	7a Questão
	
	
	
	Leia o fragmento de texto a seguir e marque a alternativa mais coerente com o pensamento de Darcy Ribeiro:
"Muito sabido esse D. João VI. Descrevem-no como um bestão que andava numa carroça, comendo frango com as mãos e jogando os ossos para o lado... Ele é descrito popularmente como uma besta, mas não tem nada de besta. Enquanto os reis de Espanha ficavam querendo pedir perdão a Napoleão para continuar mandando, ele viu que o bom era o Brasil, não era Portugal. Ele largou aquela velharia e veio para cá, abriu os portos e começou a organizar o país. Trouxe 18 mil pessoas. Essa trasladação trouxe pra cá toda uma classe dominante já feita, muitos deles com cursos universitários em Coimbra. É essa gente que organiza o país."
(RIBEIRO, Darcy. O Povo Brasileiro)
	
 
	Em O povo brasileiro, o antropólogo Darcy Ribeiro desmistifica a imagem histórica do monarca D. João VI, que se instaurara no imaginário popular como um soberano idiota e glutão.
	8a Questão
	
	
	
	"Um conjunto de estudos e práticas voltado para o controle da hereditariedade humana, visando à preservação de grupos raciais considerados superiores e à contenção da reprodução dos grupos e indivíduos que representassem uma ameaça, sobretudo as raças inferiores, portadores de deficiências físicas, doentes mentais e desviantes em geral". A frase cita o conceito de:
		
	
 
	Eugenia
	
Explicação:
O termo eugenia surgiu em 1883. Criado por Francis Galton, o termo foi definido como o estudo dos agentes sob o controle social que podem melhorar ou empobrecer as qualidades raciais das futuras gerações seja física ou mentalmente. Na verdade, o cientista afirmava que deveria ser aplicado o melhoramento genético na população humana. É evidente que existe um severo problema ético na eugenia, como por exemplo, o abuso da discriminação, pois ela resulta em uma categorização de quem é apto e quem não é apto para a reprodução. Em diversos países foram propostas políticas de “higiene e profilaxia social”, com o objetivo de impedir a reprodução de pessoas que possuíam doenças consideradas hereditárias e, também, exterminar portadores de problemas físicos e mentais. Um exemplo extremo de eugenia foi na Alemanha Nazista, comandada por Adolf Hitler, onde os nazistas almejavam extinguir as “raças humanas” ditas inferiores, deixando apenas as “raças nórdicas” (arianos) que eram consideradas “raças superiores”, resultando no Holocausto. (Débora Meldau)
Aula 6
	1a Questão
	
	
	
	Sabemos que a literatura é vista como um fato de cultura, algo, portanto, que não surge pronto e acabado, mas que se configura ao longo de um processo cumulativo de articulação com a sociedade. A respeito dessa afirmação, é correto afirmar:
		
	
 
	Antonio Candido em seu