A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
206 pág.
livro Processo de Exportação e Importação

Pré-visualização | Página 8 de 50

porém, com 
um custo maior, como foi estudado anteriormente.
Independentemente do canal, o principal requisito para quem quer 
exportar é registrar-se no SISCOMEX (Sistema Integrado de Comércio Exterior). 
Isso porque o SISCOMEX é o sistema que centraliza todas as necessidades 
administrativas perante os órgãos do Estado para fazer acontecer tanto a 
exportação como a importação.
Para lembrar, essencialmente existem três órgãos administrativos nos processos 
de exportação/importação. Temos que observar que até o ano de 1992 as operações 
de comércio exterior eram processadas e controladas por diversos organismos que 
atuavam independentemente. Nesse sentido, até essa data, seja o exportador ou 
importador, precisavam se registrar na Secretaria de Comércio Exterior.
Após esse registro, a empresa exportadora, ou importadora, deve fazer 
os trâmites da declaração de divisas no Banco Central do Brasil, e para fins 
tributários, deve registrar também a exportação ou importação na Secretaria da 
Receita Federal. Ou seja, a empresa atuante no comércio exterior precisa resolver 
uma série de trâmites administrativos com diferentes órgãos do Estado, de 
maneira independente em cada um deles. 
A partir do ano de 1992, visando facilitar os trâmites administrativos 
do comércio exterior, apresentou-se a necessidade da criação de um sistema 
integrado para facilitar a validação de uma série de documentos, tais como: guias 
de exportação e/ou importação, declaração de exportação e/ou importação, licença 
de importação, declaração de importação, contratos de câmbio, entre outros.
Esse sistema de integração é o SISCOMEX (Sistema Integrado de Comércio 
Exterior), que basicamente é o sistema de informação dos órgãos do governo 
essenciais para o intercâmbio de dados entre os diferentes órgãos do Estado. 
Assim, o SISCOMEX consolida de forma sistemática e administrativa a interface 
dos dados, sendo um meio de consolidação entre:
• a Secretaria de Comércio Exterior (SECEX);
• o Banco Central do Brasil;
• a Secretaria da Receita Federal.
UNIDADE 1 | A IMPORTÂNCIA DAS EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES NO COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL
18
Cabe lembrar que o SISCOMEX é um sistema de informação, embora 
essencial à administração do comércio exterior, não é um órgão em si. Os órgãos 
atuantes continuam sendo os mesmos de antes do nascimento do SISCOMEX 
(1992). Lembre-se de que todos estes (três) órgãos do Estado possuem suas 
funções preservadas, porém, hoje, com o SISCOMEX é mais eficiente o processo 
de comércio exterior, tornando-o ágil e competente, nas diversas etapas de um 
processo de exportação ou importação.
Hoje, cada uma das exportações ou importações a serem executadas 
devem, sem exceção, passar pelo SISCOMEX. Entre os principais serviços de 
integração de dados que presta o SISCOMEX temos:
• O	REI	(Registro	de	Exportação	e	Importação): Cada exportação ou importação 
deve possuir o REI, sem este não existirá chance nenhuma de exportar.
• O RV (Registro de Venda): Documento que faz o registro do valor da transação 
comercial internacional.
• O	SD	 (Solicitação	de	Despacho	Aduaneiro): Documento fundamental para 
internacionalizar a mercadoria, quando exportar; e nacionalizar a mercadoria, 
quando importar.
• O	 RC	 (Registro	 de	 Operação	 de	 Crédito): Documento que oficializa as 
condições e meios de pagamento da exportação ou importação.
Como podemos observar, o SISCOMEX é parte essencial da parte 
administrativa para formalizar a transação internacional. Ao comparar o antes e o 
depois de ter implantado o SISCOMEX, os principais objetivos, segundo Vasquez 
(2004, p. 48), são:
• simplificar e padronizar as operações de comércio exterior, com 
acentuada redução da carga burocrática;
• agilizar ao máximo as operações de embarque de mercadorias 
destinadas à exportação;
• reduzir ao mínimo o tempo de liberação das mercadorias importadas;
• dispor de controles automáticos e unificados, por meio de recursos 
eletrônicos;
• gerar estatísticas confiáveis e tempestivas;
• inibir a tentativa de fraudes;
• motivar a participação de novas empresas no comércio exterior.
Acabamos de estudar várias questões interessantes sobre definições de 
para “onde” e para “quem” exportar, quesitos iniciais e de base para começar 
um processo de exportação ou importação. Contudo, para que esse processo de 
exportação possa ser executado, existe a necessidade de observar os requisitos 
administrativos perante a formalização e internacionalização da mercadoria, 
processo administrativo feito por meio do SISCOMEX.
19
Neste tópico, você aprendeu que:
• O comércio exterior aborda todas as transações comerciais de um país em 
específico com o resto do mundo, executando processos, operações, exportações 
e importações de mercadorias e serviços. 
• Quais são os elementos importantes quando decidir como exportar, para 
quem exportar, o que exportar. Todos estes elementos dependerão do 
posicionamento competitivo do país no contexto internacional. Quanto maior 
for a competitividade relativa do Brasil, maior a capacidade de exportação.
• A precificação,	logística	e	marketing possuem uma relação direta “para onde”, 
“para quem” e “como exportar”, pois, em função destes fatores é que se poderá 
determinar os processos de exportação.
• A importância e o impacto positivo de vender para o exterior, tanto para o 
Brasil como para as empresas. Para o país como um todo, as exportações geram 
divisas necessárias para poder adquirir bens e serviços vindos de fora que não 
são produzidos no país.
• Quais são os passos iniciais para fazer acontecer a comercialização internacional. 
O “como exportar” e o “como importar” dependerão, em muito, do tamanho 
da empresa exportadora e/ou importadora. Desta forma, cada empresa deve 
fazer sua própria análise de custo/benefício para decidir se o processo de 
comércio exterior será feito diretamente ou terceirizado por meio de uma 
trading company.
RESUMO DO TÓPICO 1
20
1 Ao definir “para quem exportar”, devemos tomar algumas precauções. Cite, 
pelo menos, três condicionamentos que possam ajudar ao exportador nesses 
questionamentos básicos.
2 Há três elementos estratégicos a serem considerados na hora de exportar, 
sendo eles: táticas de precificação; estruturação e logística; estratégias de 
marketing. Agora, escolha um desses elementos e exponha um exemplo 
prático de como poderia ser interpretado numa situação real.
3 Quais os benefícios das exportações para o Brasil? E para as empresas?
4 No momento de fazer acontecer uma exportação, de que dependerá a 
decisão de iniciar o processo de exportação diretamente, ou contratar uma 
trading company?
AUTOATIVIDADE
21
TÓPICO 2
AS IMPORTAÇÕES
UNIDADE 1
1 INTRODUÇÃO
Como vimos no tópico anterior, muitas empresas, assim como exportam, 
também importam insumos, seja de maneira direta ou indireta, através dos 
distribuidores. Vimos também como um produto de marca internacional pode 
possuir fornecedores ao redor de mundo e fábricas em diversos países. Isto 
acontece porque na economia globalizada tudo fica em função da competitividade 
relativa e dos mercados.
Hoje, o comércio entre as nações atinge índices nunca antes vistos, refletindo 
nos altos volumes tanto das exportações como das importações dos países, e no 
Brasil acontece igual. Esse aumento drástico do comércio internacional deve-se 
ao fato de as nações, para conseguirem manter padrões de vida modernos, devem 
estar inseridas no mercado mundial de mercadorias e serviços. Isto ocorre por 
meio dos recursos próprios, não há nação moderna e dinâmica que possa atingir 
níveis de consumo de uma sociedade do século XXI.
Nesse cenário é que o Brasil deve interagir com as demais nações do 
mundo. Ou será que o país pode dar conta das necessidades de sua população 
só com a produção nacional? Para responder a isso, devemos reparar que o 
comércio nacional de bens de consumo não seria viável sem a participação do 
comércio internacional. Ou seja, sem as importações, as empresas

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.