A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Terapeutica medicamentosa em odontopediatria

Pré-visualização | Página 1 de 2

C.D x Paciente pediátrico: 
Promover saúde e bem estar físico, psíquico e social, monitorar e 
cuidar do crescimento e desenvolvimento junto ao pediatra e protege-
la contra doenças típicas da cavidade bucal durante a infância e dos 
fatores de risco de doenças próprias do adulto. Oliveira,2011 
Fundamentos da prescrição: 
Orientação, apoio, atenção e cuidado Conversa, acolhimento, 
interação, exame clínico e orientações ag. Terapêuticos e de promoção 
de saúde 
Bases racionais da escolha terapêutica: 
 Diagnóstico 
 Tratamento 
 Doença 
 Custo 
 Paciente 
 Local de tratamento 
 Anamnese 
 Via de administração 
 Efeitos benéficos 
 Dose 
 Efeitos colaterais 
Idade x Terapia medicamentosa: 
Parâmetro 
Recém-
nascido 
Lactante Criança 
Secreção de 
H+ gástrico 
< Normal Normal 
Tempo de 
esvaziamento 
gástrico 
< > > 
Mobilidade 
intestinal 
< Normal Normal 
Função biliar < Normal Normal 
Flora 
microbiana 
Sendo 
adquirida 
Padrão do 
adulto 
Padrão do 
adulto 
Importância da consulta inicial: 
Classificação do paciente em função do estado físico 
Avaliação dos sinais vitais e interpretação clínica 
Classificação do estado de saúde do paciente: 
 ASA 1: Saudável 
 ASA II: Paciente com doença sistêmica moderada/fator de 
risco 
 ASA III: Paciente com doença sistêmica séria não 
incapacitante 
 ASA IV: Doença sistêmica séria sem risco de morte 
 ASA V: Paciente em fase terminal 
 ASA VI: Paciente com morte cerebral declarada cujos 
órgãos serão removidos para doação 
Frequência cardíaca em repouso em função da idade: 
IDADE/ANOS BATIMENTOS/MIN 
Bebês 110 – 170 
Crianças de 2-10 anos 70 – 120 
Crianças> 10 anos e adultos 60 – 100 
 
Frequência respiratória em função da idade: 
IDADE/ANOS FR/MIN 
Bebês 30 – 40 
1 – 2 anos 25 – 30 
2 – 8 anos 20 – 25 
8 – 12 anos 18 – 20 
Adultos 14 – 18 
Farmacologia: 
A escolha do medicamento e o modo de medicar devem ser realizados 
após avaliação criteriosa do paciente por meio de anamnese, exame 
clínico (e complementares se necessário) e do plano de tratamento 
Escolha das formas farmacêuticas: 
 Preferência às preparações líquidas e mais concentradas 
 Sabor 
 Xarope: contém açúcar 
 Elixires: soluções alcoólicas moléculas do fármaco estão 
dissolvidas 
 Suspensão: partículas não dissolvidas. Necessita de agitação. 
Posologia pediátrica: 
3 meses a 1 ano: Peso (kg): Idade (meses) + 9 
 2 
1 ano a 10 anos: Peso (kg): (Idade x 2) + 9 
3 meses a 1 ano: Peso (kg): (Idade x 7) - 5 
 2 
Receituário: 
 Orienta dosagem e posologia 
 Impede a automedicação 
Terapêutica medicamentosa 
Layara Aquino 
 Pode incluir precauções, orientações e cuidados pós-
operatórios 
 Serve como instrumento legal 
 Deve conter a denominação genérica Lei dos genéricos, 
Decreto no 793 04/1993; Lei 9.787/99 
RECEITA COMUM: 
 
RECEITUÁRIO MAGISTRAL: 
Duas folhas de receituários separadas: 1- com solicitação da 
preparação para o farmacêutico; 2- com orientação ao paciente; 
 
RECEITA DE CONTROLE ESPECIAL: 
PREENCHIDA EM DUAS VIAS 
RDC nº 44/2010 
RDC nº 20/2011: prescrição de 
antimicrobianos em receituário 
privativo do prescritor ou do 
estabelecimento de saúde, não 
havendo modelo de receita 
específico 
NOTIFICAÇÃO DE RECEITA: 
 
Arsenal de medicamentos em 
odontopediatria: 
Analgésicos: 
DOR LEVE – MODERADA 
 Dipirona 
 Paraceramol 
 Ibuprofeno 
 
 
Medicamento Nome 
comercial 
Apresen
tação 
Regra 
Ibuprofeno Alivium 50mg/
ml 
100mg/
ml 
1gt/kg/6-6h 
Dipirona Magnobyprol 
(chocolate) 
50mg/
ml 
PesoX0,3/6-6h 
Dipirona Novalgina 
(framboesa) 
500mg
/ml 
PesoX0,3/6-6h 
Paracetamol Pratium 140mg/
ml 
1gt/kg/6-6h 
Paracetamol Tylenol 200mg
/ml 
1gt/kg/6-6h 
DIPIRONA – PARACETAMOL: Contra indicações: 
DIPIRONA: 
 Hipersensibilidade 
 Gravidez- lactação 
 11,5g falência renal reversível= indução de aborto 
 Overdose (+- 7,5g) é associada com toxicidade 
gastrintestinal leve a moderada 
PARACETAMOL: 
 Hipersensibilidade 
 Insuficiência hepática – alcoólatras 
 50% das falências hepáticas agudas ocorrem por 
drogas 40% devido ao paracetamol 
 Overdose maior causa de falência hepática fulminante 
(EUA) TRANSPLANTE 
Anti-inflamatório não esteroidal (AINE) 
Os AINEs são os medicamentos mais utilizados na Odontologia. Estes 
agentes inibem as cicloxigenases, enzimas importantes no metabolismo 
do ácido araquidônico, que existem nas isoformas de COX-1 e COX-2, 
embora a existência de uma terceira, a COX-3, tenha sido postulada. A 
COX-1 é descrita como fisiologicamente constitutiva, agindo como 
citoprotetora gástrica e mantenedora da homeostase renal e 
plaquetária, cicatrização e ovulação; a COX-2 é fisiologicamente indutiva, 
surgindo apenas em situação de trauma tissular e inflamação 
 AINES drogas mais utilizadas no mundo 
ANTIALGICOS: Prevenção da 
sensibilização
*Hiperalgesia
AINES
Corticosteróides
Ação antiexudativa
Analgésicos: tratamento da dor 
instalada
*Depressão dos nociceptorres 
sensibilizados
AAS
DIPIRONA
PARACETAMOL
 
B AZUL: 
Substâncias psicotrópicas: 
benzodiazepínicos; 
 Dificuldades na prescrição 
 No Brasil não existem normas e política regulatória 
 Mais da metade dos medicamentos usados não são 
licenciados para prescrição pediátrica 
Contra indicados por eventos adversos sérios 
Falta de pesquisa 
O ácido acetilsalicílico, o cetoprofeno, a indometacina e o ibuprofeno 
inibem, de forma não seletiva, as cicloxigenases; portanto, podem 
causar efeitos adversos relacionados ao trato gastrintestinal, pele, 
plaquetas e rins. Já o piroxicam e o diclofenaco apresentam baixa 
seletividade para a COX-2 e também podem causar efeitos adversos 
DICLOFENACO: 
 RDC (137/03) ANVISA 
 Contra indicado em menores de 14 anos 
 Não existem estudos assegurando a eficácia e segurança na 
faixa etária pediátrica 
 Risco aumentado de sangramento do trato gatrintestinal 
NIMESULIDA: 
 Comissão de farmacoterapia da prefeitura de SP, excluiu 
nimesulida mg/ml da rede básica substituída por 
ibuprofeno mg/ml 
 Sindrome de Reye (Portugal) 
IBUPROFENO: é um dos AINES menos tóxicos, seu efeito anti-
agregante-plaquetário cessa em 24 horas após a interrupção do uso, 
enquanto que o AAS requer 7 dias de suspensão para que a função 
palquetária seja normalizada. Posologia: Ibuprofeno (Alivium) solução 
gotas 50mg/ml – 1 gota/kg/dose de 6/6 h ou de 8/8h. 
Recomendados em Odontopediatria: 
1. Ibuprofeno (Alivium): 1 gota/kg/dose de 6/6h ou de 8/8h 
2. Nimesulida (Nisulid, Scaflan): 1 gota/Kg/dose de 12 em 12H 
Anti-inflamatório esteroidal (AIE) 
Hormônios sintéticos que mimetizam as ações do cortisol endógeno 
secretado pela glândula adrenal. 
Supressão dos mecanismos envolvidos na resposta inflamatória, 
levando a uma diminuição dos níveis de mediadores químicos pró-
inflamatório no local da injúria. 
PREDINISOLONA 3MG/ML (predinisona- solução oral) – 0,5mg/kg/dia 
BETAMETASONA gotas (0,5mg/ml) – 0,025mg/kg – dose única pré-
operatória (30min antes do procedimento) 
Antibióticos: 
A duração da antibiótico-terapia deve ser baseada na remissão clínica 
de sintomas, portanto, pode durar, 3, 5 ou mesmo 7 dias. Em média, a 
maioria das infecções parece se resolver em dias 
Prescrição de Antibióticos em Odontopediatria – Indicações: 
 Pacientes com manifestações sistêmicas da infecção: 
febre, mal-estar, apatia, cansaço físico, falta de apetite, 
prostração. 
 Abscessos agudos, atingindo espaços adjacentes: edema 
atingindo região de gânglios linfáticos (linfonodos), celulite, 
trismo. 
 Em casos de traumatismos de grande possibilidade de 
contaminação infecciosa 
 Profilaticamente em casos selecionados: pacientes com 
doenças sistêmicas como diabetes, asma, cardiopatias, 
portadores de válvulas coronárias protéticas 
CONTRA INDICAÇÕES: 
 Fístula 
 Abcessos localizados, sem sinais de disseminação 
 Dor associada