A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Gestão de Pessoas no Setor Público_AD1

Pré-visualização | Página 1 de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE – PÓLO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA
INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS – ICHS
PROGRAMA NACIONAL DE FORMAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA – PNAP/UAB
BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro
Centro de Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro
AD1 
Gestão de Pessoas no Setor Público
Prof Dr André Ferreira
Nome do aluno: Nevton Ferreira Leite
Polo: Campo Grande
Matrícula: 18113110373	 
GPSP 2020-02-Atividade das Unidade I, II & III (AD 1)
 Cada Questão vale 1,0 ponto
1) Ferreira et al. (2007) consideram que, após a década de 1980, foram dados os primeiros passos para se implantar no País um modelo gerencialista de Administração Pública, face às novas demandas da sociedade que exigiam um aparelho administrativo moderno e mais eficiente. Faça um resumo das característica deste modelo:
O modelo gerencialista permitiu a realização de parcerias entre agências públicas e privadas e inovações gerenciais, como programas de qualidade total, usando a lógica do empreendedorismo. Tudo isso advindo de uma sociedade em rede, com tecnologias cada vez mais avançadas.
2) A experiência de Hawthorne, em Chicago, desenvolvida pelo psicólogo americano Elton Mayo foi fundamental na evolução da Gestão de Pessoas nas organizações. Após pesquisa, apresenta de forma resumida e sistematizada o que consistiu esta experiência e seus principais achados.
O objetivo dessa experiência era o de estudar a influência da iluminação na produtividade e os índices de acidentes e de fadiga. No entanto, foi detectada a influência de fatores sociais e psicológicos no produto final .
3) - De acordo com Olivier (2001), são muitas as ações e as dimensões ligadas ao planejamento estratégico de pessoas. Essa diversidade e abrangência traz dificuldades ao planejamento estratégico de pessoas. Com referência às ações e dimensões QUE DIFICULTAM O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE PESSOAS apresentadas por Olivier, faço um resumo de suas características:
1. a abrangência territorial;
2. a histórica “posição paternalista” em relação aos servidores;
3. as restrições orçamentárias; 
4. a necessidade de legislação pertinente;
5. o despreparo profissional da maioria dos servidores públicos; 
6. os desvios de verba;
7. os custos operacionais altos devido à magnitude da própria máquina administrativa;
8. a duplicidade de programas e projetos; e
9. o não cumprimento dos planos de governo. 
 4) O Gespública, apesar de ter sido revogado pelo Decreto 9.094/17, foi um modelo de gestão relevante, cujo propósito era contribuir para a qualidade dos serviços e para a geração de ganhos sociais.”, tendo por princípio básico ser excelente sem deixar de ser público. Esse princípio subdivide-se em seis princípios interligados e interdependentes. Faça um apresentação sintética destes princípios:
1. Publicidade;
2. Legalidade;
3. Moralidade;
4. Impessoalidade;e
5. Excelência dirigida ao cidadão.
 5) A partir da segunda metade da década de 1950, começou a configurar-se um projeto nacional de desenvolvimento, o Plano de Metas do governo Juscelino Kubitschek. Iniciou-se, então a multiplicação de órgãos de Administração Pública Indireta (fundações, autarquias etc.). Quais foram as vantagens que estas fundações e autarquias trouxeram para a Administração Pública?
Maior agilidade e flexibilidade, melhor atendimento às demandas da sociedade e do Estado, facilidade de aporte de recursos e, naturalmente, facilidade de recrutamento, seleção e remuneração de pessoal. 
6) Uma das etapas de um planejamento estratégico de pessoas para o setor público é definir os principais aspectos que uma política de recursos humanos deve contemplar. Apresente de forma resumida os seis aspectos apresentados no livro.
1. o recrutamento eficiente e rigoroso;
2. uma estrutura de carreira que estimule o servidor a buscar sua capacitação e a melhorar seu desempenho;
3. uma estratégia de capacitação que possibilite o aprimoramento constante da força de trabalho;
4. uma estrutura de incentivos com remuneração, benefícios, prêmios pecuniários ou não, que estimulem o servidor e reforcem a possibilidade de a organização cobrar um desempenho adequado;
5. uma estrutura de avaliação que possibilite verificar o desempenho, identificar as necessidades de capacitação e esteja associada à progressão do servidor;e
6. uma estratégia de realocação e redistribuição de servidores que possibilite o alcance do perfil e o quantitativo desejado para cada área organizacional.
7) Um mesmo cargo, de acordo com o sistema de remuneração que a organização adota, pode ter ocupantes diferentes aos quais são atribuídos grupos de tarefas diferentes. Essa distribuição de funções e de tarefas pode ser mais ou menos flexível de acordo com o modelo de desenho de cargos que predomina na organização. Com se caracteriza esta flexibilização no setor público?
 Pela grande especialização que caracteriza os cargos, pois quanto mais segmentado e especializado, mais fácil de ser descrito em lei e de apresentar subjetividade. 
 Quais as consequências desta característica?
Ela compromete o bom funcionamento das estruturas administrativas nos dias atuais de permanentes mudanças. 
 8) A admissão para cargo público compreende a nomeação, a posse e o exercício; Explique estes conceitos.
1. Nomeação : é a convocação formal de um candidato para assumir um cargo público;
2. Posse : é a aceitação formal do cargo pelo candidato;
3. Exercício: é a efetiva entrada do servidor nas atividades do cargo. 
 9) Alguns autores usam a palavra remuneração no lugar da de recompensas. De acordo com Hipólito (apud FLEURY, 2002) como as recompensas podem ser?
1. Remunerações fixas:
 a. Salário – definido de acordo com o valor do profissional para a organização, levando em conta a política salarial, o mercado de trabalho, a legislação etc.
b. Benefícios – assistência médica, seguro de vida, auxílio transporte, alimentação, associação em clube etc. 
2. Remunerações variáveis: 
a. Curto prazo – participação nos lucros e resultados, comissão de vendas, atingimento de metas etc.
b. Longo prazo – participação acionária.
c.Recompensas alternativas: promoção, programas de desenvolvimentos, participação em congressos etc.
10) O processo de treinamento possui basicamente quatro grandes etapas. Explique essas 4 etapas:
As quatro grandes etapas são :
1) levantamento das necessidades : identifica as competências necessárias que uma organização precisa desenvolver para alcançar seus objetivos, os CHA’s [conhecimentos, habilidades e atitudes] que um indivíduo deve apresentar para desempenhar sua função, bem como identifica os indivíduos que necessitam de treinamento por não apresentarem esses CHA’s desenvolvidos. 
2) planos e projetos:
elabora-se a programação do treinamento que vai responder qual a melhor forma de treinar e desenvolver, que comportamentos devem ser modificados, o que deve ser ensinado, como deve ser ensinado, quanto deve ser ensinado, quando deve ser ensinado, onde deve ser ministrado, quem deve treinar e desenvolver e o que deve ser avaliado;
3) execução do treinamento: 
Bohlander, Snell e Sherman (2003) dividem a execução do treinamento em dois tipos: gerencial e não gerencial, e cada um desses tipos em treinamento realizado no local de trabalho e fora dele. Cada uma dessas formas de treinamento, quanto ao local de trabalho, possui técnicas que poderão ser utilizadas de acordo com as necessidades de aprendizagem. 
4) avaliação dos resultados:
 Como afirma Hamblin (1978), a avaliação em treinamento é a arte do possível, sendo a mais correta aquela mais plausível e útil. Esse autor considera que a avaliação do treinamento se dá em cinco níveis: 
1) Nível 1: das reações;
2) Nível 2: do aprendizado;
3) Nível 3: do comportamento no cargo;
4) Nível 4: da organização;
5) Nível 5: do valor final.
Esses níveis também são citados por Bohlander, Snell e Sherman (2003) como “critérios” e eles agrupam os dois últimos níveis no que chamam