A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
APS Psicologia analitico comportamental

Pré-visualização | Página 1 de 1

INSTITUTO BRASILEIRO DE MEDICINA DE REABILITAÇÃO 
 
 
 
PAULA GONÇALVES RAMOS 
GISELE SANCHES 
 
 
 
 
 
APS- ATIVIDADE PRÁTICA SUPERVISIONADA 
 
 
 
 
RIO DE JANEIRO 
2020 
RELATÓRIOS SOBRE OS VÍDEOS 
 
Vídeo 1: Uma história de aprendizagem operante 
 
O vídeo retrata a história de aprendizagem por condicionamento operante de 
uma ratinha de laboratório, inicialmente o vídeo mostra os comportamentos, 
desta ratinha, registrados em níveis operantes. Depois foram também 
registrados o desenvolvimento da modelagem das respostas de pressão as 
barras. 
O animal é colocado pela primeira vez na caixa de Skinner e são registrados 
comportamentos deste em nível operante, antes que a intervenção seja 
realizada. O animal por sua vez emite, em primeiro momento, comportamentos 
exploratórios sem sequer se aproximar da barra ou demonstrar interesse por ela. 
Em seguida observa-se o registro da modelagem da resposta de pressão a 
barra, onde o bebedouro é ativado que é disponibilizado para o animal quando 
este se aproxima da barra, o pesquisador seleciona cada vez mais 
comportamentos mais próximos ao de pressionar a barra para que o reforço seja 
disponibilizado. 
Quando o animal toca na barra, e busca a água em seguida não a encontra pois 
o pesquisador está à espera de que o animal pressione a barra, que é o 
comportamento que ele deseja reforçar. 
Observa-se que no momento em que o animal pressiona a barra, imediatamente 
o reforço é apresentado, a partir daí então inicia-se o registro de reforço contínuo 
(CRF), o animal então pressiona a barra mais de uma vez até que a água seja 
disponibilizada, porque nesta fase o bebedouro fica acionado por três segundos. 
Ao final dessa sessão o animal pressiona a barra, a água é apresentada e 
consumida e o animal pressiona novamente a barra em busca do reforço. 
Em seguida o vídeo retrata a fase da extinção que se dá da seguinte forma; o 
animal pressiona a barra porém o reforço não é apresentado contingente a essa 
resposta. Então o animal aprende que mesmo que pressione a barra a água não 
será mais apresentada, logo ele para de pressionar. 
Na próxima sessão, a de intervalo fixo de 5 segundos onde após o último reforço, 
se o animal pressionar a barra ele recebe outro reforço, este intervalo aumenta 
para 20 segundos seguindo o mesmo padrão que é após a apresentação do 
último reforço, se o animal pressionar a barra em 20 segundos ele recebe 
novamente a água, caso pressione a barra antes do final desse intervalo de 
tempo, o reforço não é apresentado. No intervalo fixo de 40 segundos o animal 
já apresenta o comportamento desejado e após beber a água, ele espera por 
volta de 40 segundos para voltar a pressionar a barra. 
Na sessão de treino discriminativo objetiva-se ensinar o animal a pressionar a 
barra quando a luz da caixa estiver acesa e a não pressionar quando a luz estiver 
apagada. No início deste treino o animal emite as respostas de pressionar a 
barra tanto quando a luz está apagada quanto com ela acesa, no entanto quando 
o animal pressiona a barra com a luz apagada, o reforço ou seja a água, não é 
apresentada. Estando assim, esse comportamento de pressionar a barra com a 
luz apagada em extinção, a luz apagada denomina-se de S delta e a luz acesa 
denomina-se estímulo discriminativo. O animal então, ao longo do treino 
discriminativo deixa de emitir ou emite pouquíssimas vezes o comportamento de 
pressionar a barra quando a luz está apagada. Já quando a luz está acesa o 
animal pressiona a barra em estilo CRF. 
 
 
Vídeo 2: Experimento de Laboratório: Treino ao bebedouro 
 
No vídeo em questão retrata-se um rato branco dentro de uma caixa de Skinner, 
nessa caixa tem uma barra que sempre que sobe, disponibiliza uma gota de 
água para o animal. O pesquisador diz que antes de modelar a resposta do 
animal de pressionar a barra, deve-se ensinar a este que sempre que ouvir o 
barulho da barra, uma gota de água estará disponível para ele. 
Logo após o registro do nível operante, o pesquisador aciona o bebedouro e o 
mantém acionado por 5 segundos até que o animal se aproxime e beba a água, 
devendo esperar que o animal retire a cabeça do recinto de água para 
disponibiliza-la novamente. Deve-se repetir esse processo até que o animal ao 
ouvir o barulho da barra, se direcione até ela para beber a água, a partir desse 
acontecimento se dá o início a sessão de modelagem propriamente dita, onde o 
bebedouro só será acionado quando o animal se aproximar da barra. 
 
Vídeo 3: Modelagem 
 
Esse vídeo consiste na continuação do vídeo 2 e se propõe a discutir sobre o 
processo de modelagem propriamente dito, após o treino ao bebedouro. Modelar 
um comportamento na verdade significa ensinar um comportamento novo a um 
indivíduo, que no caso é ensinar o rato a pressionar a barra, para isso deve-se 
utilizar reforço e extinção. O animal aprendeu que sempre que ouvisse o barulho 
da barra, haveria água disponível pra ele e todos os comportamentos dele 
seguidos por água, que é o reforço, ele provavelmente fará mais vezes. 
Logo, todas as vezes que o animal, olhar em direção a barra ou se aproximar 
ela, deve-se apresentar o reforço ou seja disponibilizando a água. Deve-se 
apresentar a água sempre que o animal emitir o comportamento próximo ao 
desejado, até que o animal aprenda a pressionar a barra. Ressalta-se que em 
determinado momento para-se de reforçar comportamentos próximos ao 
desejado como cheirar a barra para que estimule assim o aprendizado do 
comportamento de pressionar a barra, que é o de fato desejado. 
Quanto mais próximo o reforço do comportamento mais rápido é a 
aprendizagem, assim o pesquisador deve ficar atento para o menor movimento 
para baixo na barra e imediatamente quando o animal o pressionar, mesmo que 
seja leve, deve-se apresentar o reforço. A modelagem está concluída quando o 
animal pressionar a barra dez vezes. 
 
 
 
 
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
 
UMA HISTÓRIA de aprendizagem operante. Produção: Márcio Borges Moreira. 
Gravação de Lucas Couto de Carvalho. [S. l.: s. n.], 2011. Disponível em: 
https://www.youtube.com/watch?v=vPPUxHMN0wQ. Acesso em: 3 jun. 2020. 
 
EXERCÍCIO de laboratório: Treino ao Bebedouro. Produção: Márcio Borges Moreira. 
Gravação de Lucas Couto de Carvalho. [S. l.: s. n.], 2012. Disponível em: 
https://www.youtube.com/watch?v=vPPUxHMN0wQ. Acesso em: 3 jun. 2020. 
 
MODELAGEM. Produção: Márcio Borges Moreira. Gravação de Lucas Couto de 
Carvalho. [S. l.: s. n.], 2012. Disponível em: 
https://www.youtube.com/watch?v=vPPUxHMN0wQ. Acesso em: 3 jun. 2020.