A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Aula 02 Mapa de Risco - Sistema

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 
 
RESUMO 
 
O Mapa de Risco foi criado através da Portaria n° 05 em 17/08/92, tratando da 
obrigatoriedade, por parte de todas as empresas, da "representação gráfica dos riscos 
existentes nos diversos locais de trabalho" tem como objetivos reunir as informações 
necessárias para estabelecer o diagnóstico da situação de segurança e saúde no 
trabalho na empresa; outra função importante é possibilitar, durante a sua elaboração, a 
troca e divulgação de informações entre os trabalhadores, bem como estimular sua 
participação nas atividades de prevenção. É classificado de acordo com cinco grupo 
sendo cada grupo de uma cor. 
 
Exercício Resolvido 
1) (AGEHAB) Na elaboração do mapa de risco, os agentes ergonômicos devem ser 
levantados, pois podem afetar a adaptação das condições de trabalho, bem como 
o conforto, a segurança e o desempenho eficiente do trabalhador. Assinale a 
opção que indica exclusivamente exposição a agente ergonômico. 
 
a) Iluminação, levantamento manual de carga e vibrações. 
b) Exposição a gases e vapores, ritmo acelerado e iluminação. 
c) Ruído, bactérias e pressões anormais. 
d) Iluminação, organização do trabalho e condições ambientais do trabalho. 
e) Levantamento manual de cargas, manutenção de postura inadequada e 
exposição a gases e vapores. 
 
Mapa de Risco 
 
O Mapa de Risco foi criado através da Portaria n° 05 em 17/08/92, tratando da 
obrigatoriedade, por parte de todas as empresas, da "representação gráfica dos riscos 
existentes nos diversos locais de trabalho", e fazia parte da NR-09. Posteriormente o 
Mapa de Riscos passou a constar como anexo IV da NR 5, por meio da Portaria n° 25 
de 29 de dezembro de 1994. 
 
O Mapa de riscos tem como objetivos: 
 
� Reunir as informações necessárias para estabelecer o diagnóstico da situação de 
segurança e saúde no trabalho na empresa; 
2 
 
� Possibilitar, durante a sua elaboração, a troca e divulgação de informações entre 
os trabalhadores, bem como estimular sua participação nas atividades de 
prevenção. 
 
Etapas de elaboração: 
 
1. Conhecer o processo de trabalho no local analisado: os trabalhadores: número, 
sexo, idade, treinamentos profissionais e de segurança e saúde, jornada; os 
instrumentos e materiais de trabalho; as atividades exercidas; o ambiente. 
 
2. Identificar os riscos existentes no local analisado; 
 
3. Identificar as medidas preventivas existentes e sua eficácia. Medidas de proteção 
coletiva; medidas de organização do trabalho; medidas de proteção individual; 
medidas de higiene e conforto: banheiro, lavatórios, vestiários, armários, bebedouro, 
refeitório, área de lazer. 
 
4. Identificar os indicadores de saúde: 
 
 
� Queixas mais frequentes e comuns entre os trabalhadores expostos aos 
mesmos riscos; 
� Acidentes de trabalho ocorridos; 
� Doenças profissionais diagnosticadas; 
� Causas mais frequentes de ausência ao trabalho. 
 
5. Conhecer os levantamentos ambientais já realizados no local; 
6. Elaborar o Mapa de Riscos, sobre o layout da empresa, indicando através de 
círculo: 
� O grupo a que pertence o risco, de acordo com a cor padronizada no quadro 
1; 
� O número de trabalhadores expostos ao risco, o qual deve ser anotado dentro 
do círculo; 
� A especificação do agente (por exemplo: químico - sílica, hexano, ácido 
clorídrico; ou ergonômico-repetitividade, ritmo excessivo) que deve ser 
anotada também dentro do círculo; 
3 
 
� A intensidade do risco, de acordo com a percepção dos trabalhadores, que 
deve ser representada por tamanhos proporcionalmente diferentes de 
círculos. 
 
Após discutido e aprovado pela CIPA (assunto que será discutido adiante), o Mapa de 
Riscos, completo ou setorial, deverá ser afixado em cada local analisado, de forma 
claramente visível e de fácil acesso para os trabalhadores. 
 
No caso das empresas da indústria da construção, o Mapa de Riscos do 
estabelecimento deverá ser realizado por etapa de execução dos serviços, devendo ser 
revisto sempre que um fato novo e superveniente modificar a situação de riscos 
estabelecida. 
 
Quadro 1 - Classificação dos principais riscos ocupacionais em grupos, de acordo com a 
sua natureza e a padronização das cores correspondentes. 
Grupo 1 Grupo 2 Grupo 3 Grupo 4 Grupo 5 
Riscos Físicos Riscos Químicos Riscos Biológicos Riscos Ergonômicos Riscos de Acidentes 
Verde Vermelho Marrom Amarelo Azul 
• Ruídos; 
• Vibrações; 
• Radiações 
Ionizantes ; 
• Radiações não 
Ionizantes; 
• Frio; 
• Calor ; 
• Pressões 
anormais; 
• Umidade. 
• Poeira ; 
• Fumos ; 
• Névoas; 
• Neblina; 
• Gases; 
• Vapores; 
• Substâncias; 
• Compostos ou 
produtos químicos 
em geral. 
• Bactérias; 
• Vírus 
• Protozoários; 
• Fungos; 
• Parasitas; 
• Bacilos. 
• Esforço físico 
Intenso; 
• Levantamento e 
Transporte manual de 
peso; 
• Exigência de 
Postura Inadequada; 
• Controle rígido de 
produtividade; 
• Imposição de 
ritmos excessivos; 
• Trabalho em turno 
e noturno; 
• Jornadas de 
trabalho prolongadas; 
• Monotonia e 
repetitividade ; 
• Outras situações 
causadoras de 
"stress" físico e/ou 
psíquico . 
• Esforço físico 
Inadequado; 
• Máquinas e 
equipamentos sem 
proteção; 
• Ferramentas 
Inadequadas ou 
defeituosas; 
• Iluminação 
Inadequada; 
• Probabilidade de 
Incêndio ou 
Explosão; 
• Armazenamento 
inadequado; 
• Animais 
peçonhentos; 
• Outras situações de 
risco que poderão 
contribuir para a 
ocorrência de 
acidentes. 
 
4 
 
Agentes Ambientais 
 
Agentes Ambientais são elementos ou substâncias presentes nos diversos ambientes 
humanos que, quando encontrados acima dos limites de tolerância, podem causar 
danos à saúde das pessoas. Esses agentes ambientais são estudados por uma ciência 
conhecida como Higiene Industrial que tem como objetivo promover a saúde dos 
trabalhadores através do estudo de diversos meios. 
 
A Higiene Industrial é uma área relacionada à Medicina do Trabalho e a Engenharia de 
Segurança. A Medicina do Trabalho estuda os produtos existentes na empresa com o 
objetivo de avaliar o poder que esses possuem de contaminar ou provocar doenças nos 
trabalhadores. Compete à Engenharia de Segurança a avaliação, ou quantificação 
desses agentes no ambiente de trabalho que servirá para subsidiar o estudo do risco a 
que se expõem os trabalhadores. 
 
Os agentes ambientais que serão estudados em nosso projeto de pesquisa são: 
 
� gentes Mecânicos 
� Agentes Físicos. 
� Agentes Químicos 
� Agentes Biológicos 
� Agentes Ergonômicos 
 
Agentes Físicos. 
 
São os riscos gerados pelos agentes que têm capacidade de modificar as 
características físicas do meio ambiente. Por exemplo, a existência de um tear numa 
tecelagem introduz no ambiente um risco do tipo aqui estudado, já que tal máquina gera 
ruídos, isto é, ondas sonoras que irão alterar a pressão acústica que incide sobre os 
ouvidos dos operários. 
5 
 
Os riscos físicos se caracterizam por: 
 
a) Exigirem um meio de transmissão (em geral o ar) para propagarem sua nocividade. 
b) Agirem mesmo sobre pessoas que não têm contato direto com a fonte do risco. 
c) Em geral ocasiona lesões crônicas, mediatas.. 
 
Alguns exemplos de riscos físicos ruídos (que podem gerar danos ao aparelho auditivo, 
como a surdez, além de outras complicações sistêmicas); iluminação (que podo 
provocar lesões oculares), calor, vibrações, radiações ionizantes (corno os Raios-X) ou 
não-ionizantes (com a radiação ultravioleta), pressões anormais, etc. 
 
De acordo com a definição dada pela Portaria n.º 25, que alterou a redação da NR-09, 
são as diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais 
como: 
 
• ruído; 
• vibrações; 
• pressões anormais; 
• temperaturas extremas; 
• radiações ionizantes e não ionizantes; 
• infra-som; 
• ultra-som. 
 
Agentes Químicos. 
 
De acordo com a definição dada pela Portaria n.º 25, que alterou a redação da NR-09, 
são as substâncias, compostos

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.