A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
Toxicologia - Plantas, substâncias, micotoxinas perigosas para animais

Pré-visualização | Página 1 de 8

· Toxicologia – ciência dos venenos 
- É a ciência que estuda os efeitos tóxicos decorrentes das interações de substancias químicas com o organismo 
- Organismo + agente toxico = efeito toxico, o sinal desse efeito podem ser subclínicas, sem conseguir identificar com facilidade 
- Agente tóxico qualquer agente químico ou físico capaz de causar dano a um sistema biológico, por exemplo raios UV, raio X. 
- Toxinas substâncias toxicas produzidas por organismos vivos (biológicos) 
· Bactérias – endotoxinas e exotoxinas 
· Fungos – micotoxinas 
· Plantas – fitotoxinas 
· Animais – zootoxinas 
· Peçonha – mordedura ou ferroada (abelha, serpente),produzida em glândulas. 
· Veneno – tecido não glandular (sapo, borboleta), liberado por contato. 
- Toxicidade capacidade inerente e potencial do agente toxico de provocar efeitos nocivos em organismos vivos 
- Condições da exposição 
· O fator de toxicidade pode estar relacionado a dose ou concentração do agente 
· Tempo e frequência (agudo/crônico longo prazo para manifestar sintomalogia da intoxicação) 
· Via de exposição, local de contato do agente toxico com o organismo. Via oral, inalatória. 
· Susceptibilidade, depende da idade, animais jovens tem susceptibilidade maior que os adultos, depende da espécie algumas podem ser mais susceptível, status nutricional, efeito toxico também pode estar relacionado ao sexo (macho ou fêmea), status reprodutivo. 
- Ação tóxica – maneira pela qual um agente tóxico exerce sua atividade sobre estruturas teciduais 
· Dose é quantidade a ser administrada de uma vez no animal 
· DL dose letal 50%, menor dose letal mais toxico o agente é. Quantidade. 
· CL concentração letal 50%
- Intoxicação ou toxicose – Manifestação clinica ou laboratorial de efeitos tóxicos; Estado mórbido causado por um agente tóxico. 
- Antídoto – agentes com ação especifica contra a atividade ou os efeitos de um toxicante. 
· Fases da exposição como o agente vai causar a toxicidade (toxicante); A forma que o agente toxico entra em contato com o organismo, pode ser respiratória a maioria que entram por aqui são gases tóxicos como Co2 ou anestésicos inalatórios ou a queima do mercúrio, digestiva o principal meio de contato é com a mucosa digestiva micotoxinas, medicamentos, e dérmica em contato direto com a pele, geralmente são lipossolúveis isto é são absorvidos em superfícies que possuem gordura; Dose e concentração do agente. O tempo e frequência de administração. Agudo logo em seguida efeito em minutos ou horas, sub-agudo que demora um tempo para intoxicar, crônico que são varias doses ingeridas mas demora para chegar de sintomalogia. Alguns agentes tóxicos que o animal vai ingerir ao um longo de tempo, mas sua sintomalogia é aguda, chega em um ponto que aumenta a concentração do agente toxico que então será apresentado sinais clínicos. 
· Fase toxicocinética Toxicidade (biodisponibilidade); Estuda o movimento o destino das substâncias toxicas no organismo. A absorção esta relacionado a via de exposição, há alguns que são exposto a pele que não são absorvidos, a absorção depende do tamanho da molécula, depende se é mais lipossolúvel (maior absorção) ou hidrossolúvel, depende também da capacidade do agente toxico atravessar membranas e penetra as células seja por transporte ativo, passivo ou facilitado. Distribuição pela circulação sanguínea para chegar o órgão alvo. Biotransformação pode ocorrer por via respiratória pela liberação de gases, via renal muitos podem ser elimanados pelo rim ou absorvidos aqui também, o principal que faz a biotransformação é o fígado, pode transformar um agente ativo ou inativo ou até mesmo potencializar o efeito toxico. Exemplo é o paracetamol em felino que possui deficiência da enzima citocromo 450, assim é transformado em um agente tóxico para felinos. Excreção podem ser eliminados por via urinária, por via fecal, pode ser pulmonar ou via respiração, por via de secreção biliar, saliva, leite. 
· Fase toxicodinâmica Ação tóxica; A ciência que estuda a ação toxica, sob o ponto de vista bioquímico ou molecular. Como vai acontecer os sinais clínicos. 
 Mecanismo de ação toxica Inespecíficos, agente toxico acarreta lesão em qualquer célula, tecido ou órgão, sem tempo de latência. Ácido (corrosivos), bases (cáusticos). Específicos, ação seletiva em órgão ou tecido alvo. Pode ser agonista, antagonista, interação enzimática (inibidor), pode alterar o ciclo de Krebs, pode inibir sinapses. 
· Fase clinica Manifestação dos sinais clínicos; Fase onde há evidências de sinais e sintomas. Alterações patológicas detectáveis, febre, dor nos olhos, dor nas articulações, manchas vermelhas, coceira, cansaço. 
Sinais de toxicose em animais 
- sinais evidentes na boca ou na pele, de que o animal tenha mastigado, engolido, aspirado ou estado em contato com substancias toxicas 
- hálito com odor estranho
- modificação na coloração das mucosas e interior da boca, dependendo do agente causal
- apatia, torpor, coma, convulsões e choque
- vômitos 
- lesões cutâneas, queimaduras intensas com limites bem definidos ou bolhas
- depressão da função respiratória 
- oligúria ou anúria (diminuição ou ausência de volume urinário) 
- distúrbios hemorrágicos manifestados por hematêmese, melena ou hematúria 
- queda de temperatura, que se mantém abaixo do normal 
- paralisa 
· Tratamento e manejo das toxicoses 
- procedimentos instruções ao proprietário 
- encaminhar logo a clinica ou hospital veterinário, levar a bula ou rotulo do agente toxico. 
- Verificar o tempo de exposição, estimar quando o animal ingeriu o toxicante 
- provocar vômito – se o animal ingeriu agente toxico 
· Exceções – animal inconsciente ou deprimido, convulsivo, ingestão de substancias cáusticas/corrosivas 
· Não administrar eméticos – ruminantes, equinos, roedores, coelhos
· Para induzir o vomito – peróxido de hidrogênio 3%, sol hipersaturada de sal, xarope de ipeca 2%, sabonete liquido 
· Adsorventes – carvão ativado, catárticos (lactolona, sorbitol), aumentam o persiltastismo ruminal 
· Agentes aspirados 
- o que vai ocorrer palidez na pele, cianose, falta de ar, perda de sentidos 
· Procedimento 
- Arejar o ambiente 
- Remover imediatamente para a clinica ou hospital veterinário 
· Intoxicação através da pele 
- procedimentos 
· Lavar abundantemente por 15 minutos em água corrente e detergente 
· Contaminação dos olhos 
- procedimentos 
· Lavar com agua ou soro fisiológico mantendo as pálpebras abertas até chegar o hospital 
· Micotoxinas e Micotoxicoses
- São metabolitos secundários tóxicos produzidos por fungos, o agente é o produto produzido por ele que é toxico 
- Estão presentes na alimentação humana como animal
- No sistema de produção animal, podem ser encontrados no alimento (ração, concentrado, silagem ou feno) ou na cama. 
- Sua detecção pode ser difícil, pois o fungo não produz de forma uniforme as suas micotoxinas. 
- São termo resistente.
· Principais fungos produtores de microtoxinas 
- Aspergillus 
- Penicillium 
- Fusarium 
· As principais micotoxinas produzidas 
- Aflatoxina
- Tricoteceno 
- Ocratoxina A 
- Fumonisinas
- Zearalenona 
· Efeitos negativos 
- Sobre o desempenho e a saúde dos animais
- A qualidade dos produtos dos animais 
· A contaminação pode ser: 
- Indireta quando alimentos são previamente contaminados por um fungo toxinogênico 
- Direta Ocorre quando o alimento se torna contaminado posteriormente, durante a produção, processamento, transporte e armazenamento 
- Sinais clínicos sem sinais clínicos específicos, ocorrência esporádica ou sazonal, não há tratamento específico. 
 Toxicidade pode ser: 
-Aguda resultando em danos aos rins ou fígado 
-Crônica resultado em neoplasias de fígado 
-Mutagênica causando danos no DNA 
-Teratogênica mal formações, danos no desenvolvimento, danos nervosos 
Aflatoxinas 
· Quem produz é o Aspergillus altamente toxigênico, contaminante comum de grãos amendoim, milho, sorgo, aveia, arroz e trigo 
· Principais aflatoxinas – AFB1, AFB2,AFG1 e AFG2. 
· Podem ser mutagênicas, carcionogenicas,