A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
CRIME DE BIGAMIA

Pré-visualização | Página 1 de 1

CRIME DE BIGAMIA 
 
O crime de bigamia, previsto no ​artigo 235 do CP, prevê que alguém casado, 
contrair novo casamento configura crime, com pena de reclusão de dois a seis anos. 
Logo, podemos perceber que o bem juridicamente protegido pelo delito de 
bigamia é o casamento monogâmico e consequentemente a organização da 
família, base da nossa sociedade como bem reconhece a Constituição Federal de 
1988. Já o ​seu objeto material é o casamento​. 
 
Quanto aos sujeitos, trata-se de ​crime próprio​, pois o sujeito ativo precisa ser 
pessoa já casada que posteriormente contrai novo casamento. ​O sujeito 
passivo é o ESTADO em que tem suas normas violadas, bem como o cônjuge do 
primeiro casamento e o contrante de boa-fé. 
 
Já quanto a sua ​classificação doutrinária​, trata-se de um crime próprio, material, 
de forma vinculada, comissivo, instantâneo de efeitos permanentes, 
plurissubjetivo(haja vista que necessita, obrigatoriamente, de uma outra pessoa 
para efeitos de configuração típica, tratando-se, pois, de um delito denominado 
bilateral, de encontro ou de convergência), plurissubsistente e não transeunte (tendo 
em vista a possibilidade de prova pericial no que diz respeito à documentação 
necessária ao reconhecimento do casamento). 
 
Além disso, o elemento subjetivo do crime de bigamia é o dolo, uma vez que ​não é 
admitido a sua forma culposa. 
 
Também vale lembrar que o § 1º trata da ​bigamia privilegiada​, em que a pessoa 
não casada contrai casamento com pessoa casada tendo conhecimento desse fato, 
terá reclusão ou detenção, de um a três anos. Sendo assim, uma exceção à teoria 
monista, valendo-se da teoria pluralística, pois a pessoa casada responderá pelo 
crime do caput​, embora ambos tenham buscado o mesmo resultado, em concurso 
de pessoas. Ademais, como o § 1º fala em conhecendo essa circunstância, exige-se 
o dolo direto, não sendo possível a prática do delito quando a pessoa age com dolo 
eventual. 
 
A bigamia se estende a poligamia, por via lógica, não pode contrair novo 
casamento. Lembrando também que a bigamia pode ser ​interna (dentro do próprio 
país) ou​ internacional ​(ocorrendo em países diversos).