A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Resumão básico para clínica - odontologia

Pré-visualização | Página 5 de 8

na hemostasia, possui ação antialérgica, não produz efeitos colaterais gastrointestinais 
e podem ser usados em gestantes. 
Betametasona, dexametasona, triancinolona, prednisolona, hidrocortisona, cortisona. 
GESTANTE Anti-infl: corticosteroide 
Analgésico: Paracetamol 500 a 750 mg de 6/6 
Antibiótico: amoxicilina, metronidazol, azitromicina. OBS Tetracilina 
CONTRAINDICADO, Alergicas: estearato eritromicina ou clindamicina 
DIABETICOS Anti-infl: corticoides- Betametasona 2mg 1hr antes ou dexametasona 4 mg 1hr 
antes OBS consultar medico antes- risco de crise hipoglicemica, dar em dose 
única. 
Analgésico: Paracetamol (TYLENOL) 500 MG 6/6 OU Dipirona sódica (novalgina, 
anador) 500 mg 6;/6 
Antibiótico: Amoxicilina 2 g 1 hr antes (em descompensados) 
Manutenção 500 mg de 8/8 h 
Alérgico: Claritromicina 500 mg 1 hr antes e depois manutenção 
HIPERTENSO Anti-infl: AINES e corticosteroide 
Analgésico: Dipirona ou paracetamol 
Antibiótico: clindamicina, macrolideos 
- Classificação dos 3 ° M incluso; 
1) Relação do dente com o ramo ascendente da mandíbula (Pell e Gregory) 
a) Classe I: Quando a distância da borda anterior do ramo à face D do 2°M for MAIOR 
OU IGUAL a distância M-D da coroa do 3°M 
b) Classe II: Quando a distância da borda anterior do ramo à face D do 2°M for 
LIGEIRAMENTE MENOR que a distância M-D do 3°M 
C) Classe III: Quando a distância da borda anterior do ramo à face D do 2°M for BEM 
MENOR a distância M-D da coroa do 3°M (ramo colado a D do 2°M) 
2) Profundidade relativa do dente com relação ao 2°M (Pell e Gregory) 
a) Posição A: quando a porção + alta do 3° M estiver AO NIVEL OU ACIMA da face O do 
2 °M 
b) Posição B: quando a porção + alta do 3° M estiver ENTRE A FACE O E A LINHA 
CERVICAL do 2°M 
c) Posição C: quando a porção + alta do 3° M estiver ABAIXO DA LINHA CERVICAL do 
2°M 
3) Posição ao longo eixo do 3°M em relação ao 2° M (WINTER) 
a) Vertical: quando o longo eixo do 3° M está PARALELO ao eixo do 2°M , com a coroa voltada 
para o PLANO OCLUSAL 
b) Mesio-angular: quando o longo eixo do 3° M está INCLINADO em relação ao longo 
eixo do 2°M, com a coroa voltada para M 
c) Horizontal: quando o longo eixo do 3° M está PERPENDICULAR ao longo eixo do 
2°M 
d) Distoangular: quando o longo eixo do 3° M está INCLINADO em relação ao longo 
eixo do 2° M com a coroa voltada para a DISTAL 
e) Vestibulo-angular: quando o longo eixo do 3° M está PERPENDICULAR ao longo 
eixo do 2°M com a coroa voltada para V ou L 
f) Invertido: quando o longo eixo do 3° M está PARALELO em relação ao 2° M, com a coroa voltada 
para a base da mandíbula. 
- Classificação dos C inclusos 
Pré alveolar: coroa e raiz por V 
Trans-alveolar: dente cruza o processo alveolar 
Alveolar: dente ocupa seu lucal no arco dental, sem estar erupcionando 
Retro-alveolar: coroa e raiz se encontram na face L ou P 
- Anestesia: 
3° m inf: n. alveolar inf, lingual e bucal. Complementação com anestesia terminal infiltrativa 
3° m sup: n. alveolar sup post, n. palatino maior. Complementação com anestesial infiltrativa no 
1°M 
C sup: terminal infiltrativa supra periostal, n. alveolar sup anterior e medio, n. nasopalatino e 
palatino maior 
-Hematoma/ equimose: aguardar 10 a 14 dias; medicação; incisão; drenagem. 
-Infecção ALVEOLITE seca: Irriga, curativo, reparo por 2°intenção 
 Úmida: anestesia, curetagem, irrigação, curativo 
 ABCESSOS: incisão e drenagem, remove a causa 
-Pressão arterial 
Classificação PA PA Sistólica (mmgh) PA diastólica ( mmhg) 
Normal 120 80 
Pré hipertenso 120-139 80-89 
Hipertenso estagio 1 140-159 90-99 
Hipertenso estagio 2 160 100 
OBS: 13:8 ainda é normal. Aumenta: digestão, excitação emocional, convulsão, 
hipertireoidismo; Diminui: menstruação, gestação, sono, anemia grave, hemorragia, 
hipotireoidismo. 
ASA I Pc normal e saudável 
ASA II Pc c/ doença sistêmica leve que não interfere nas atividades diária ou pc com fator 
significativo p saúde (tabagismo, álcool, obesidade) 
ASA III Pc c/ doença sistêmica moderada a grave, não é incapacitante, mas que pode alterar 
atividade diária 
ASA IV Pc c/ doença sistêmica grave que é incapacitante e é uma constante ameaça a vida 
 
 
PPF 
-Técnica da confecção do provisório 
1) Técnica de pré-moldagem: Indicação: dente anterior e posterior integro, coroa unitária ou múltipla 
Material: alginato e silicone; Sequencia: 
 
 
 
 
 
Reembasamento: é necessário para permitir uma melhor adaptação cervical e selamento marginal da coroa 
provisória, protegendo o periodonto e dente suporte 
1°isola o dente com vaselina 5°Demarca linha de termino 
2° resina pela técnica de nealon 6°Desgaste do excesso 
3°coloca provisório 7°acabemento e polimento 
4°remove provisório 
2) Técnica da faceta: anterior e coroa unitária; utiliza dente de estoque 
1° desgaste na face L do dente de estoque (até formar uma faceta) 
2°Adaptação da faceta no dente (degaste pela cervical) 
3°Posiciona provisório e insere resina acrílica pela L 
4°Remove excesso 
5°Reembasamento 
6° Demarca linha do termino 
7°Remove excesso 
8° Checa oclusão e adaptação cervical 
9°Polimento 
3) Técnica do pino de reforço: quando estruturas remanescente não tem retenção suficiente para 
colocar provisório. Dente fraturado ou endod. Tratado 
1°preparo do remanescente 7°moldagem pela técnica da faceta 
2°radiografia 8°reconstrução porção coronária/remove excesso 
3°desobturação do canal 9°reembasamento 
4°preparo do pino de reforço 10°avalia provisório 
5°isola o dente com vaselina 11° acabamento e polimento 
6° molda o conduto 
4) Técnica da escultura negativa: dente posterior e coroa unitária 
1°Isola o dente 6°Remoção do excesso 
2°manipula resina acrílica 7°Reemabasamento 
3°adapta resina sobre o dente 8°Demarca linha do termino e remove excesso 
4°Oclusão do paciente e movim. Mandíbula 9°Polimento 
5° Reconstrói anatomia 
1° moldagem previa do dente 9°Remoção do excesso 
2° acondicionamento do molde 10° Checa adaptação sobre o dente 
preparado 
3° preparo do dente 11°Reembasamento 
4° seleção de cor 12° checa oclusão 
5° isolamento do dente com vaselina 13° acabamento e polimento 
6° colocação da resina no molde 
7° readaptação do molde 
8° remoção do molde 
Cuidados: aumento da 
DVO, sobre/subcontorno, 
remoção do provisório 
-Sequência do preparo dos condutos intrarradiculares. 
1° Rx periapical( ver se tem tratamento endo., esta satisfatório? Reab óssea?) 
2°preparo do remanescente coronário 
- com a broca esférica remove todo tecido cariado 
-elimina o esmalte sem suporte 
-preserva estrutura dentaria 
-fazer o termino cervical de acordo com a coroa indicada 
-promove acesso radicular adequado 
-elimina as retenções da câmara pulpar 
3° verificar o comprimento do remanescente dental: rx periapical com posicionador; pontas Rhein aquecidas 
e calibradas para remover guta percha ate o limite estabelecido ou brocas gates glidden; broca largo 
(1,2,3,4..) alisamento e alargamento das paredes interna do conduto 
-Raiz maior calibre: comprimento 2/3 da raiz 
-Raiz menor calibre: comprimento até a metade 
-outra raiz: embocadura ou 1/3 
-Pino pré fabricado metálico (+rígido) 
1°Preparo do conduto radicular 6°Seleciona agente cimentante 
2°Seleciona o pino correspondente a broca largo 7°Aplica o cimento no int. do canal com a lentulo 
3°Coloca o pino em posição 8°Levar o pino em posição e esperar sua presa 
4°Radiografa