Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
AFECÇÕES PODAIS EM BOVINOS

Pré-visualização | Página 1 de 1

AFECÇÕES PODAIS EM BINOS
É uma das principais causas de claudicação em bovinos, acomete mais gado leiteiro que gado de corte. As afecções podais dos bovinos apresentam grande variação clínica e resultam em perdas econômicas significativas para os produtores. Diversos são os fatores que podem estar envolvidos na etiologia das doenças dos cascos dos bovinos, tais como, a tendência genética, o meio ambiente (as condições dos pisos dos currais, as pastagens), o manejo (grande concentração de animais e exercícios exagerados), excesso de crescimento do casco e a nutrição (deficiência de minerais ou excesso de uma dieta altamente energética. 
DERMATITE DIGITAL E DERMATITE INTERDIGITAL
A dermatite digital e a dermatite interdigital é altamente contagiosa, invasiva e proliferativa (possui processo inflamatório), que ocorre próximo a junção da pele e do tecido córneo, na região flexora do espaço interdigital causada por patogenos , podendo ser uni ou bilateral e possui três formas a erosiva, a proliferativa e a ulcerativa. Ela é mais freqüente em ambientes úmidos, sujos, alta concentração de animais no ambiente, estresse/estado imunológico e idade do animal. O animal tem sensibilidade ao toque no local da lesão e tem claudicação por causa da dor. O tratamento consiste em: uma boa higienização do casco antes de tudo e após isso ocorre a anamnesia do casco (ex: pinçamento); depois da avaliação do casco e de observar se é uma lesão erosiva ou proliferativa faz o casqueamento corretivo do casco saudável; dependendo da forma da lesão tem dois tipos de tratamento, o tratamento tópico com antibiótico oxitetraciclina juntamente com a sulfa em pó e o tratamento sistêmico com uso de antibióticos oxitetraciclina junto com a cefalosporina ou ela sozinha. Prevenção uso de pédiluvio com formol 5%, sulfato de zinco 10% e sulfato de cobre 5% na saída dos currais e casqueamento preventivo em todos os animais. 
EROSÃO DE TALÃO OU PODRIDÃO
É considerada uma perda irregular do tecido córneo, iniciando-se como pequenos orifícios arredondados que podem levar a formação de fissuras profundas na região axial do talão e às vezes na sola de coloração negra e odor fétido, causando a destruição do mesmo e do terço pélvico da sola. Suas causas são as mesma da dermatite digital e interdigital, acomete mais membro posterior e lateral que os demais. Seu tratamento é a higienização e anaminesia do casco, após a avaliação faz o casqueamento corretivo e ultiliza-se Tratamento com remoção de tecidos lesionados, com cuidado ate que o casco atinja uma corformação adequada (tratamento tópico e tratamento sistêmico com pediluvio) , tratamento tópico uso de antibióticos oxitetraciclina com sulfa e tratamento sistemico antibióticos oxitetraciclina juntamente com o cefalosporina, uso de Anti-inflamatorio não esteriodal como flunixin ou fenilbutazona e o pediluvio de formol 5%, sulfato de zinco 10% e sulfato de cobre 5%.
DOENÇAS DE LINHA BRANCA.
A doença de linha branca se caracteriza pela separação da sola e da parede da borda da sola. O corio se infecta por meio dessa abertura levando a formação de abscessos na subsola e em casos mais graves abscessos articulares (abscessos com conteúdo purulento). As causas que levam a doença são variados sendo mais comum a exposição a umidade excessiva , impacto de locomoção em terrenos irregulares ou em pisos de concreto e ocorrências de laminites sub-clinicas. Todos esses fatores levam ao o amolecimento da linha branca o que leva a ruptura e posterior infecção do cório ou ate mesmo articulação. Os animais apresentam sinais de claudicação, membros girados para fora (diminuir a presão), aumento do bulbo (devido a infecção da articulação). O tratamento consiste em limpeza e anaminesia do casco após isso se faz o casqueamento e uso de bloco de madeira no digito saudável para diminuir a pressão do digito acometido, no digito acometido e realizado a drenagem do abscesso e realizando a lavagem com solução salina, bandagem do casco afetado e uso de tamanco no digito saudável e utiliza antibióticos não esteroidais (flunixin e fenilbutazona) e/ou antibióticos esteroidais se possível usar.
PODODERMATITE CIRCUNSCRITA OU ULCERA DE SOLA.
É uma lesão localizada na região da junção da sola/bulbo dos bovinos. Os danos da derme se associam com uma zona circunscrita de hemorragia e necrose localizada. As ulceras podem afetar um ou os dois dígitos traseiros laterais. A doença aparece cujas as condições são precárias de higienização. Sua incidência é variável chegando acometer 50% do rebanho. Acredita-se que suas causas são decorrentes de uma laminite sub-clinica que danificam o tecido córneo, resultando em um casco mole, se exposta a umidade e sujidade excessiva acelera o processo de amolecimento do casco. Um casqueamento incorreto e deficiente pode levar a ter a doença, pois causa uma transferência de pressão do casco fazendo que o animal pise de maneira incorreta, deixe o casco erguino, nem pise ou fica logo em decubito. Seu tratamento consiste em limpeza e anaminesia do casco, após é realizado o casqueamento corretivo para a diminuição da pressão do casco afetado, uso de um bloco de madeira ou borracha no casco não afetado, tirando peso do casco afetado e transferindo para o casco saudável utilizar a lido 2% s/ vasocontristor em veia doral no membro acometido e uso de antibiótico oxitetraciclina e sulfato de cobre 10% em pó sobre a lesão e uma bandagem para evitar a contaminação por matéria orgânica.
· ULCERA ABERTA E ULCERA FECHADA.
Se o animal não reage á pressão na região com hemorragia no casco a lesão e considerada uma ulcera fechada, porem se o animal reagir a pressão na região com hemorragia a lesão é considera aberta e o material deva ser removido.