A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Questões de Semiologia Cardiovascular (com gabarito)

Pré-visualização | Página 1 de 1

Semiologia Cardiovascular 
1 - Quanto aos achados na ausculta cardíaca, marque a alternativa falsa: 
a) Desdobramento fixo de B2 é fisiológico em crianças e adultos jovens 
b) B3 é protodiastólica e pode ser fisiológica 
c) Galope de B3 é sinal geralmente associado a descompensação de insuficiência cardíaca. 
d) A presença de B4 pode ser fisiológica em crianças e jovens adultos. 
2 - Quanto ao ictus cordis: 
a) Descreva a localização fisiológica pela palpação 
b) Cite 2 patologias que o desviam de sua localização fisiológica 
c) Cite 2 manobras que sensibilizam a palpação 
3 - (TEMA RECORRENTE) Sobre os sopros cardíacos, marque a alternativa errada: 
a) O sopro da insuficiência valvar mitral é sistólico e se irradia para a axila 
b) O sopro da estenose aórtica é diastólico e se irradia para a fúrcula esternal 
c) O sopro da insuficiência tricúspide é intensificado com a manobra rivero-carvalho 
d) Anemia é uma causa não cardíaca de sopros à ausculta do coração 
4 - Fazem diagnóstico diferencial com angina pectoris: 
a) Pericardite 
b) Dissecção de aorta 
c) Espasmo esofagiano 
d) Diverticulite 
5 - Diagnóstico é Trombose venosa profunda 
a) Cite 2 manobras para se certificar: Homans e Ollow 
6 - Mulher, 41 anos, apresenta queixa de fraqueza, adinamia, inapetência, náuseas e vômitos, emagrecimento e 
atraso menstrual. Nega febre, tosse ou outros fatores acompanhantes, procura atendimento médico e relata que os 
sintomas se iniciaram após seu esposo ter iniciado tratamento para Tuberculose a cerca de 15... O exame físico 
revela a paciente em REG, desidratada, hipocorada e com a pele ...pigmentada em face e braços. 
PA deitada: 110/60 mmHg 
PA em pé: 70/40 mmHg 
FC: 52bpm 
Interpretação clínica para os achados de exame físico: 
a) PA deitada: 110/60 mmHg e PA em pé: 70/40 mmHg 
b) FC: 52bpm 
c) Possíveis causas de hipofonese da primeira bulha cardíaca: 
7 - Selecione as características dos sopros à ausculta cardíaca com a patologia compatível e marque a alternativa 
correta: 
1- Estenose mitral 
2- Estenose aórtica 
3- Insuficiência mitral 
4- Insuficiência tricúspide 
A. Sopro sistólico com irradiação para axila 
B. Sopro sistólico de regurgitação 
C. Sopro o sistólico de ejeção 
D. Sopro diastólico com estalido 
a) 1-D, 2-C, 3-A, 4-B 
b) 1-C, 2-B, 3-A, 4-D 
c) 1-D, 2-A, 3-B, 4-C 
d) 1-A, 2-D, 3-B, 4-C 
B1 é referente ao fechamento das válvulas atrioventriculares (mitral e tricúspide) e a abertura das semilunares 
(pulmonar e aórtica) durante a sístole (ventricular). Logo, o sopro sistólico é resultante de qualquer lesão que cause 
mudança do fluxo quando há aumento da pressão dentro do VENTRÍCULO → refluxo de volta pro átrio (insuficiência 
mitral e tricúspide) ou dificuldade para sair do coração (estenose de semilunares). 
8 - Descreva a manobra de Rivero Carvalho: 
 
9 - Qual é o mecanismo do desdobramento fisiológico inspiratório da segunda bulha cardíaca: 
10 - Não é achado comum do exame físico da miocardiopatia hipertrófica: 
a) Ictus amplo, forte, com desvio para E 
b) Desdobramento de B2 
c) Presença de B4 
d) Sopro crescendo e decrescendo na borda esternal esquerda 
11 - Considerando o desdobramento fisiológico de B2 na inspiração e sua explicação, responda e justifique qual melhor 
local de ausculta, melhor manobra sensibilizadora e o melhor receptor do estetoscópio a ser usado. 
12 - Explique, semiologicamente, o que é o Fenômeno de Raynaud. 
13 - Paciente masculino, 63 anos, branco, hipertenso, ao realizar a palpação dos pulsos pediosos, você observa 
assimetria importante, estando ausente do lado esquerdo. 
a) Qual sua interpretação semiológica? 
b) O que faria na continuação da propedêutica vascular? 
1 – A 
2 – 
a) Quarto ou quinto espaço intercostal esquerdo ao da linha 
hemiclavicular média 
b) Enfisema pulmonar e hipertrofia do ventrículo direito 
Outros exemplos: Doenças pulmonares (enfisema 
bilateral - posição semelhante aos longilíneos 6º EI; 
atelectasia com fibrose - pode repuxar o coração e alterar 
a posição da ponta; pneumotórax, desvio contralateral do 
ictus ao lado da lesão), patologias da coluna (escoliose, 
cifose) leva ao reposicionamento cardíaco. Gravidez 
(que não é uma patologia) pode horizontalizar o coração 
levando à alteração do ictus. 
c) Paciente em decúbito lateral esquerdo. Paciente em 
apneia pós-expiratória. 
3 – B 
Rivero Carvalho: É a manobra utilizada para diferenciar um 
sopro mitral de um sopro tricúspide. Inicialmente, com o 
paciente em decúbito dorsal, ausculta-se com a campânula 
do esteto o foco tricúspide, observando-se intensidade do 
sopro. Pede-se para o paciente inspirar. Quando ocorre a 
inspiração profunda o retorno venoso no coração direito 
aumenta pela diminuição da pressão intratorácica, dessa 
forma, caso o sopro seja tricúspide, haverá aumento da sua 
intensidade, sendo o teste +, caso a intensidade não se altere, 
o teste é – e o sopro é mitral. 
Anemia: Reduz a viscosidade do sangue →sopro 
4 – C 
A dor do espasmo esofagiano é na mesma localização, tem 
mesma irradiação, mesma característica e ainda, quando 
tratada com nitrato (um vasodilatador tto comum para angina) 
também apresenta melhora. 
5 – Homans e Ollow 
6 – 
a) Hipotensão ortostática, pode ser causada por 
hipovolemia, por exemplo. 
b) A perda eletrolítica causada pela êmese/desidratação 
pode resultar em redução da concentração de cálcio e/ou 
potássio no sangue causando bradicardia. 
c) A hipovolemia provoca redução do débito cardíaco que 
por sua vez é motivo/causa de hipofonese. 
Suspeitamos que: A paciente está grávida (atraso menstrual, 
náusea e vômitos). É possível que ela tenha também 
hiperêmese gravídica (o que também explicaria as náuseas e 
vômitos, a inapetência, adinamia, fraqueza e o 
emagrecimento e principalmente a desidratação já que a 
pessoa não consegue manter nada no estômago), o que 
levou a uma desidratação severa, causou redução da volemia 
e perda de eletrólitos. A hipovolemia causa a hipotensão 
ortostática e a perda eletrolítica causa a bradicardia. 
7 – A 
8 – É a manobra utilizada para diferenciar um sopro mitral de 
um sopro tricúspide. Inicialmente, com o paciente em 
decúbito dorsal, ausculta-se com a campânula do esteto o 
foco tricúspide, observando-se a intensidade do sopro. Pede-
se para o paciente inspirar. Quando ocorre a inspiração 
profunda o retorno venoso no coração direito aumenta pela 
diminuição da pressão intratorácica, dessa forma, caso o 
sopro seja tricúspide, haverá aumento da sua intensidade, 
sendo o teste +, caso a intensidade não se altere, o teste é – 
e o sopro é mitral. 
9 - O desdobramento de B2 se dá durante a inspiração, pois 
há diminuição da pressão torácica e consequente aumento do 
RV, principalmente no coração direito, isso retarda o 
fechamento da valva pulmonar sendo perceptível na ausculta 
o fechamento primeiro da aórtica e depois da pulmonar. 
10 – B 
13 – 
a) Existe uma obstrução arterial no membro inferior 
esquerdo. 
b) A continuação da propedêutica seria a palpação de 
outros pulsos do membro inferior acima do pedioso 
(tibial, femoral) para avaliar o nível da obstrução. 
 
 
 
https://p.flowcode.com/N3OO0K2D?fc=0