A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
PRINCIPIOS DA INTERPRETAÇÃO RADIOGRAFICA

Pré-visualização | Página 1 de 1

✓ Periápice 
✓ Periodonto 
✓ Cristas Ósseas 
 
✓ Ramo da mandíbula 
✓ ATM 
✓ Seios maxilares 
 
 
 
 
 
o A maioria dos processos patológicos de interesse odontológico 
se localizam nos tecidos duros. Estes processos oferecem 
dificuldades à ultilização plena dos exames clínicos. 
o Os tecidos duros são mais capazes de absorver raios-x e 
permitem mais facilmente o registro radiográfico que, muitas 
vezes, é o único meio de inspecionar esse tecido. 
o O Diagnóstico é uma confluência do exame clínico, radiogrático 
e laboratorial. 
 
o Percepção: Capacidade de reconhecer padrões anormais na 
imagem. 
o Cognição: Interpretação desses padrões anormais para 
chegar a uum diagnóstico. 
 
o Conhecimento e domínio dos tecidos intrabucais. 
o Conhecimento da anatomia radiológica. 
o Conhecimento de patologia radiológica 
 
o 1º princípio: A região a ser interpretada deve aparecer 
totalmente na radiografia e na incidência que melhor reproduza 
a região. 
o 2º princípio: A radiografia a ser interpretada deve abranger 
não somente os limites da área suspeita, mas também o tecido 
ósseo circundante. 
o 3º princípio: Para se interpretar uma radiografia, há 
necessidade de conhecer a anatomia e variações 
radiográficas, bem como as entidades patológicas que podem 
aparecer na imagem. 
o 4º princípio: Sempre que se inicia um tratamento 
odontológico, há necessidade de um levantamento completo 
dos arcos dentais, mesmo sem suspeita clínica. 
 
o Qualquer método de análise é limitado pelas informações 
contidas nas imagens. É essencial garantir que haja um número 
adequado de imagens que exibam a região de interesse em sua 
totalidade. 
o Usar imagens planas ou de projeção, imagens múltiplas em 
ângulos levemente diferentes e imagens expostas em ângulos 
retos entre si. 
o A aparencia das radiografias são regidos por mudanças 
anatômicas e fisiológicas causadas por patologias. O diagnóstico 
é dado pelo reconhecimento dessas alterações. 
 
 
 
 
 
o Abordagem analítica: Analisa passo a passo de todas as 
características de um achado anormal para então chegar a 
um diagnóstico. 
o Sistema Semi-diretos: Ao ver um achado anormal, 
automaticamente ter uma hipótese diagnóstica holística, 
seguida por uma busca deliberada por características que 
embasem a hipótese inicial. 
 
1. Análise da qualidade da radiografia 
✓ Nitidez: Detalhes das imagem. 
✓ Densidade: Deve ser grau médio. No grau alto, 
muito tempo de exposição, a imagem ficará 
escurecida e no grau baixo, pouco tempo de 
esposição, a imagem ficará muito clara. 
✓ Contraste 
2. Condições adequadas de visualização 
✓ Ambiente calmo 
✓ Baixa luminosidade 
✓ Negatoscópio 
3. Montagem das radiografias 
✓ Posicionamento da radiografia: 
- Superiores: Coroa para baixo 
- Inferiores: Coroa para cima 
- Para um correto posicionamento, a parte 
convexa do picote deve estar voltada ao 
observador 
✓ Panorâmicas: 
- Ordenar conforme a própria ordem dos 
dentes na cavidade oral. 
- Deve ser identificada da direita para esquerda 
4. Análise sistemática das imagens 
✓ Dente: 
- Coroa 
- Câmara pulpar 
- Raiz 
- Canal radicular 
5. Panorâmica 
✓ Dentes: 
- Coroa e raiz 
✓ Periápice 
✓ Periodonto 
✓ Mandíbula