A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Bacia Obstétrica - Resumo + Questões

Pré-visualização | Página 1 de 1

O canal do parto se estende do útero até a fenda vulvar. Nele, há 3 estreitamentos: o orifício cervical, o diafragma 
pélvico e a fenda vulvovaginal. Ele é constituído por uma estrutura rígida e mais resistente, formada por ossos, 
articulações e ligamentos, e por outra mais flexível, a “bacia mole” (cérvice, vagina, região vulvoperineal). 
A bacia obstétrica é constituída pelos seguintes ossos: ílio, ísquio, púbis, o sacro e o cóccix. É importante 
ressaltar que os ossos ílio, ísquio e púbis se fundem e, juntos, formam o osso ilíaco. Os ossos da bacia se unem 
pelas articulações, que – por ação hormonal – especialmente pela progesterona, tornam-se mais frouxas durante 
a gestação (embebição gravídica). 
O estreito superior, ou melhor, a linha terminal divide a pelve em grande e 
pequena bacia. 
• Acima da linha terminal→ pelve maior = pelve falsa 
• Abaixo da linha terminal → pelve menor = pelve verdadeira 
(Trajeto do feto durante o parto) 
 
CONJUGATA 
• Anatômica – linha traçada do promontório até a borda 
superior do púbis = 11 cm 
• Obstétrica – linha traçada do promontório até a sínfise 
púbica (região mais proeminente) = 10,5 cm 
o É o menor diâmetro, sendo assim a região que 
causa maior resistência 
• Diagonal - linha traçada do promontório até a borda 
inferior do púbis = 12 cm 
 
➔ Conjugata exitus (de saída) – linha traçada do cóccix até a 
borda inferior do púbis = a mobilidade do cóccix torna sua 
medição imprecisa 
➔ Diâmetro transverso médio: mede 12cm e é equidistante do 
promontório e da face posterior da sínfise púbica 
 
Como não é possível mensurar todas as conjugatas, na prática, o que fazemos é mensurar a conjugata diagonal 
e, ao subtrair 1,5cm desse valor, teremos o equivalente a conjugata obstétrica, de maior importância clínica. 
 
TIPOS DE BACIA e sua relação com o PROGNÓSTICO DO PARTO 
• Ginecoide – 50% das mulheres 
o Bacia arredondada 
o Diâmetro transverso é equidistante do promontório e da sínfise púbica 
o Espinhas isquiáticas não são proeminentes 
o Prognóstico de parto excelente (occipitopúbica - OP e occipitosacro - OS) 
 
• Antropoide – 25% das mulheres 
o Formato elíptico, alongado 
o O diâmetro anteroposterior é maior que o transverso 
o Prognóstico do parto (dificuldade na insinuação) 
 
 
 
• Androide – 20% das mulheres 
o Levemente triangular 
o O diâmetro transverso está muito mais próximo do promontório do 
que da sínfise púbica 
o Espinhas isquiáticas são muito proeminentes 
o Prognóstico de parto muito ruim (comum ocorrer distocias) 
 
 
• Platipeloide – 5% das mulheres 
o Formato ovalado (como uma melancia) 
o Diâmetro transverso é maior que diâmetro anteroposterior 
o Prognóstico do parto (dificuldade na insinuação) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1. A classificação dos tipos de bacia por meio de estudos radiológicos leva em consideração a importância 
prática das alterações das bacias no prognóstico do parto. Assinale o tipo de bacia feminina mais comum e 
que apresenta melhor prognóstico para o parto vaginal: 
a) Androide 
b) Ginecoide 
c) Antropoide 
d) Platipeloide 
 
2. Quando no toque vaginal, NÃO se consegue atingir o promontório, conclui-se que a bacia da mulher 
apresenta: 
a) Diâmetro anteroposterior amplo 
b) Diâmetro transverso amplo 
c) Diâmetro transverso estreito 
d) Diâmetro oblíquo amplo 
e) Diâmetro oblíquo estreito 
 
3. Qual é o tipo de bacia que apresenta maior chance para que a insinuação ocorra em apresentações 
anteroposteriores? 
a) Mista 
b) Antropoide 
c) Ginecoide 
d) Androide 
e) Platipeloide 
 
4. O diâmetro traçado do bordo superior da sínfise púbica ao promontório denomina-se: 
a) Conjugata vera obstétrica 
b) Conjugata anatômica 
c) Conjugata diagonalis 
d) Diâmetro mínimo 
e) Todas estão corretas 
 
 
GABARITO 
1) B 
2) A 
3) B 
4) B